IPOG na InterFORENSICS: entrevista com a Dra. Keyun Ruan da University College Dublin
3 minutos de leitura
29 de Maio de 2017

IPOG na InterFORENSICS: entrevista com a Dra. Keyun Ruan da University College Dublin

A InterFORENSICS recebeu em sua programação de palestras uma das mais importantes pesquisadoras em Cloud Forensics, Cloud Security e Gerenciamento de Riscos da atualidade, a Dra. Keyun Ruan da University College Dublin. A doutora, que está pela primeira vez no Brasil, nos concedeu uma entrevista exclusiva sobre sua área de pesquisa. Confira na íntegra:

1-   Qual a metodologia e técnicas utilizadas para a investigação pericial no ambiente de computação em Nuvem?

É uma resposta complicada, porque essa é uma pergunta muito ampla. Mas de forma resumida, buscamos utilizar ferramentas já existentes e disponibilizadas por empresas referência na área.  Em alguns casos, quando tratamos de servidores, conseguimos usar ferramentas para extrair data, em outros, isso não é possível. Então, recorremos a venders e suas ferramentas próprias que são inovadoras para a análise de data na Nuvem.

2- Quais as principais ferramentas/softwares utilizados em uma investigação em Nuvem?

A Amazon é atualmente líder neste tipo de serviço e eles estão constantemente pesquisando e introduzindo novas capacidades forenses, como, por exemplo, o produto Amazon Glacier, que é uma ferramenta muito impressionante.  Ela te permite armazenar um número infinito de data em um ambiente seguro e de extrema confiança. A previsão é que com o tempo essa segurança fique ainda mais elaborada, assim como a própria plataforma.

3- Quais os desafios para a pericia digital atuar hoje em investigação em nuvem?

Eu acho que o maior desafio na área é a questão legal da nuvem. Porque ao mesmo tempo que ela é global, existe toda uma questão jurisdicional que acaba representando uma barreira significante. Os desafios são mais legais do que tecnológicos, porque sob a ótica legal é muito difícil para a polícia brasileira apreender material para uma investigação em solo norte americano, por exemplo. Nesses caso, a polícia internacional tem que ser acionada. Além disso, essa mesma questão legal torna trabalhosa a interação com os venders. 

Exemplificando, como vamos solicitar um mandato para investigar uma estrutura criada e mantida pela Amazon? Neste caso, são empresas multimilionárias e de difícil acesso. Acredito que há a necessidade da colaboração internacional para que haja uma otimização dessa questão legal e também o aprimoramento constante da área.

Atualmente, também tenho notado que há uma grande demanda pela segurança cibernética e uma procura muito grande por profissionais da área, ao mesmo tempo existem poucas pessoas capacitadas que consigam realizar o trabalho e tenham a expertise necessária para atuar nesse “ambiente”. Mas a tendência é que nos próximos anos essa área cresça ainda mais e com isso conseguiremos assegurar e otimizar a segurança mundial na nuvem.

4- Como está sendo a experiência de participar da InterFORENSICS 2017?

Estou fascinada e muito impressionada com a magnitude do evento, me senti honrada e feliz por ter sido convidada. É a minha primeira vez no Brasil e na América do Sul e tem sido uma experiência muito boa. O local do evento é muito bom também, confesso que é bem maior do que eu imaginava. O que eu mais tenho gostado é a parte acadêmica do evento, porque, como disse em minha palestra, a Microsoft quer usar DNA no armazenamento na nuvem, então o conhecimento teórico aplicado na prática é essencial para o preparo dos profissionais, de modo que os mesmos atendam as demandas deste mercado. Gostei muito também da questão das trilhas e a organização do evento. Tenho me sentido muito amparada e acolhida.

5- Em seu livro, “Cybercrime and Cloud Forensics: Applications for Investigation Processes”, você contou com a colaboração de pesquisadores brasileiros. Como foi esse contato e quais foram as contribuições?

Eu organizei o material e editei o livro enquanto fazia o meu PhD e tive 21 autores colaboradores de 14 países diferentes. Então acabei demorando dois anos e meio para completar o projeto. Trabalhei com autores gregos, brasileiros, egípcios, americanos, italianos, enfim… foram muitas culturas trabalhando em prol da área.  Os autores brasileiros que colaboraram foram os Srs. Dener Didoné e Ruy J.G.B de Queiroz, da Universidade Federal de Pernambuco. E foi uma experiência muito proveitosa justamente por ter sido um projeto global, já que a nuvem é um elemento global da tecnologia.

Sobre a Dra. Keyun Ruan

Doutora em ciência da computação pela University College Dublin e diplomada pela National College of Arts e Design, em Dublin, na Irlanda. Autora na Elsevier Editora, Young Global Shaper no Fórum Econômico Mundial, Especialista na Risk Assistance Network + Exchange e membro na Sandbox Network, programa de networking global de jovens empreendedores, e foi citada pelo portal Irish Independent, em 2014, como uma das jovens profissionais de destaque para o futuro da Irlanda no artigo “the 30 under 30 shaping Ireland’s future”.


Artigos relacionados

No futuro, você estará presente? Como você procurava uma vaga de trabalho ou anunciava uma oportunidade na sua empresa há cinco ou dez anos? É bem provável que fosse através de um anúncio nos classificados de algum jornal impresso.Como você procurava por um produto ou serviço que estava p...
IPOG na InterFORENSICS: confira as principais atrações do primeiro dia do congresso Nesta semana, de 23 a 25 de maio, a capital do Brasil recebe o maior evento integrado de Ciências Forenses da América Latina, a InterFORENSICS - Conferência Internacional de Ciências Forenses. E o IPOG está presente nesse grande congresso para acompanhar o que...
Computação Forense: mantenha a segurança do seu negócio tendo a tecnologia como aliada Um dos principais impactos do avanço da informática em nossas vidas tem sido o crescente uso dos dispositivos móveis, que estão se tornando cada vez mais onipresentes.Essas ferramentas que fazem filmagens, que tem GPS, rastreiam os seus batimentos cardíaco...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo.

Comentários