Como implantar o serviço de atenção farmacêutica em uma farmácia ou drogaria?
4 minutos de leitura
08 de novembro de 2017

Como implantar o serviço de atenção farmacêutica em uma farmácia ou drogaria?

O aumento da automedicação, do uso incorreto de medicamentos, a necessidade de contribuir para melhora da saúde da população e a orientação mais assertiva da terapia medicamentosa, são alguns dos fatores que contribuíram para o crescimento da prestação do serviço de atenção farmacêutica em farmácias e drogarias.

 Grandes redes de farmácias e drogarias de todo o Brasil já executam o serviço de atenção farmacêutica. Se você quer saber como implantar esse serviço, esse post é pra você.

O que diz a legislação?

Para oferecer o serviço de atenção farmacêutica é preciso seguir a Resolução de Diretoria Colegiada – RDC nº 44/2009 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

De acordo com o Artigo 63 da RDC nº 44/2009:

“A atenção farmacêutica deve ter como objetivos a prevenção, detecção e resolução de problemas relacionados a medicamentos, promover o uso racional dos medicamentos, a fim de melhorar a saúde e qualidade de vida dos usuários.”

Como é feita a atenção farmacêutica?

A atenção farmacêutica é um modelo de serviço em que o paciente é consultado por um farmacêutico para verificar a efetividade do tratamento medicamentoso. Durante o atendimento o profissional de saúde identifica se o usuário está tendo algum problema com o uso do fármaco e estabelece ações que precisam ser aplicadas para que o tratamento ocorra da melhor maneira possível.

Como implantar o serviço de atenção farmacêutica em uma farmácia ou drogaria?

A implantação do serviço de atenção farmacêutica em uma farmácia ou drogaria pode ser dividida em duas fases, sendo que para isso é preciso seguir as normas da RDC 44/2009 e ter autorização da ANVISA.

1ª Fase: Planejamento

Conhecimento:

Antes de implantar o serviço, o farmacêutico responsável precisa adquirir conhecimento e se especializar em atenção farmacêutica. Ele deve estar plenamente capacitado para executar o serviço e atender o paciente da melhor forma possível.

Infraestrutura:

O serviço de atenção farmacêutica requer um espaço exclusivo e diferenciado para receber o paciente. O atendimento inicial pode até ser feito no balcão, mas não pode continuar nele.

É preciso determinar e preparar uma sala para esse atendimento. O paciente precisa estar confortável no local, seguro que ninguém vai ver ou escutar o que está sendo conversado e sem interrupções. O ideal é que seja uma sala climatizada, com mesa, cadeira, computador, livros para consulta e outros itens que promovam o bem-estar, segurança e privacidade do paciente.

Procedimento Operacional Padrão (POP)

Para prestar o serviço de atenção farmacêutica você precisa planejar o que vai oferecer aos clientes e instituir normas e procedimentos de como será esse serviço. Para isso é necessário criar o Procedimento Operacional Padrão (POP). Obrigatoriamente, conforme a RDC nº 44/2009, a drogaria ou a farmácia devem instituir o POP com todos os processos e normas que devem ser seguidas para a realização do serviço.

Neste POP deve conter:

  • Metodologia e processos para a prestação de serviço;
  • Metodologia e processos para a documentação do atendimento;
  • Metodologia de avaliação dos resultados;

2ª Fase: Execução do serviço

A segunda fase é colocar em prática o que você planejou na primeira e seguir o POP. De forma geral, o atendimento se resume em:

– Atendimento ao paciente na sala reservada;

– Entrevista para coleta de informações sobre o paciente (patologias, medicamentos que utiliza, dosagem, frequência e como o paciente está se sentindo);

– Aferição de pressão, temperatura corporal e glicemia;

– Estudo do caso do paciente, avaliação do tratamento, intervenção quando necessário.

– Orientação ao paciente sobre o uso correto do medicamento;

– Registro e documentação do atendimento;

– Termo de Consentimento do atendimento assinado pelo paciente;

– Deixar claro ao paciente que o serviço não substitui a consulta médica;

Declaração de Serviço Farmacêutico

Após a prestação do serviço de atenção farmacêutica, o profissional deve entregar ao paciente a Declaração de Serviço Farmacêutico. Esse documento precisa conter as seguintes informações:

  1. Dados de identificação da instituição de saúde;
  2. Identificação pessoal do paciente ou do seu responsável legal;
  3. Medicamento prescrito e nome e inscrição no conselho profissional do médico que prescreveu o fármaco;
  4. Indicação de Medicamento Isento de Prescrição (MIP) e a posologia, quando houver;
  5. Valores dos parâmetros fisiológicos e bioquímico, quando houver, seguidos dos valores considerados normais para o paciente;
  6. Frase de alerta, quando houver medição de parâmetros fisiológicos e bioquímico: “ESTE PROCEDIMENTO NÃO TEM FINALIDADE DE DIAGNÓSTICO E NÃO SUBSTITUI A CONSULTA MÉDICA OU A REALIZAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS”;
  7. Dados do medicamento administrado (nome comercial, exceto para genéricos, denominação comum brasileira, concentração e forma farmacêutica,  via de administração,  número do lote e número de registro na Anvisa)
  8. Orientação e intervenção farmacêutica;
  9.  Data, assinatura e carimbo com inscrição no Conselho Regional de Farmácia (CRF) do farmacêutico responsável pelo serviço;

É muito importante divulgar por meio de estratégias de marketing que o estabelecimento oferece o serviço de atenção farmacêutica. Os clientes precisam saber desse diferencial.

Como ser um farmacêutico especializado em atenção farmacêutica?

Você precisa se especializar em atenção farmacêutica em uma instituição de ensino superior de qualidade. Para isso, faça o curso de pós-graduação em Atenção Farmacêutica & Farmácia Clínica do IPOG e esteja preparado para executar projetos estruturados e oferecer o serviço de atenção farmacêutica com excelência.

As informações acima foram úteis? Então compartilhe já esse post com seus colegas de profissão e ajude esclarecer as dúvidas sobre a atenção farmacêutica.

 

Professor Vandré Abreu

Sugestão de foto: https://www.shutterstock.com/pt/image-photo/medicine-pharmaceutics-health-care-people-concept-536140861?src=QNcdtJoVivwR3CvIAV5G9A-1-10 

*TEXTO EM SUBSTITUIÇÃO AO DE MEDICINA DO TRABALHO – MUDAR O NOME  DO CURSO NO BRIEFING


Artigos relacionados

Inspirando Carreiras: A especialista IPOG que transformou o clima organizacional da Mapah Trabalhar o clima organizacional de uma empresa é uma das grandes preocupações e prioridades dos departamentos de Recursos Humanos, afinal, trata-se de uma atmosfera que está diretamente ligada com a produtividade e a motivação de funcionários. Empresas dos...
Design Thinking: Conheça a teoria que tem conquistado grandes empresas estadunidenses Durante a realização da Jornada Empreendedora promovida pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação IPOG, em parceria com a  ACE/Gyntec em Goiânia, pude acompanhar o desenvolvimento de ideias de um profissional que dedica sua vida a promover a inovação no meio...
Quando e por que uma empresa precisa de Auditoria Financeira? Independentemente do tipo e tamanho, toda empresa está sujeita à irregularidades e falhas em seus processos, além de fraudes que podem alcançar grandes proporções. No entanto, é perfeitamente possível preveni-la desses perigos e é exatamente isso que será apre...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo.

Comentários