2 minutos de leitura
14 de junho de 2017

Lean Six Sigma: Uma estratégia para vencer desafios da competitividade e potencializar resultados para o negócio

six Sigma

Devido à crescente competitividade no mundo dos negócios, os projetos de melhoria tornaram-se vitais para a sobrevivência das organizações, e a metodologia Lean Six Sigma se tornou a principal referência mundial para projetos dessa natureza. Por isso, os profissionais capazes de liderar projetos têm sido tão requisitados no mercado de trabalho.

Com o Lean Manufacturing (Produção Enxuta) é possível identificar e eliminar atividades que não agregam valor para uma empresa, reduzindo desperdícios com consequente aumento de produtividade. Com o Six Sigma, é possível otimizar e reduzir custos nas atividades organizacionais, diminuir variações nos meios de produção, aumentar a capacidade dos processos atenderem às necessidades dos clientes.

O Lean Six Sigma em conjunto constitui o que se tem de mais moderno em termos de gestão empresarial, a chamada World Class Enterprise (Gestão Classe Mundial).

Como funciona a escala de qualidade?

Entender a escala é mais simples do que parece. O 1-sigma é o nível mais baixo, o que representa uma grande quantidade de defeitos e grande potencial de perda de suas vendas. Já o 6-sigma é o nível mais alto de excelência, o que representa 3,4 defeitos em um milhão de operações.

Como funciona a estratégia?

Para que ela funcione na prática é imprescindível que toda organização seja mobilizada. Uma vez identificados os gargalos e os desperdícios com ajuda do Lean, os projetos serão definidos a partir da estratégia DMAIC (sigla para Definir – Mensurar – Analisar – Melhorar – Controlar)

Definir 

É necessário definir metas claras e indicadores de performance para as atividades e melhorias que a empresa pretende alcançar. Ferramentas específicas são utilizadas para traduzir os desejos e requisitos dos clientes em especificações técnicas.

Mensurar

A capacidade de um processo atender às necessidades dos clientes é limitada pelas suas variações. Estas são as responsáveis pelo aumento de defeitos, custos e tempo de ciclo. Portanto, é necessário medir a probabilidade de ocorrência de falhas com sistemas de medição confiáveis.

Analisar

Por meio de análise estatística, a terceira etapa visa identificar caminhos para eliminar a lacuna entre os números atuais e as metas definidas anteriormente.

Melhorar

A quarta etapa tem o objetivo de otimizar os processos e encontrar novas soluções através de ferramentas como o Planejamento de Experimentos (Design of Experiments).

Controlar

Por fim, como o novo sistema desenvolvido, o último item visa garantir que a metas alcançadas serão mantidas a longo prazo com ferramentas como Controle Estatístico de Processos (CEP).

Caso que comprova o sucesso do Lean Seis Sigma

A Ford começou o seu treinamento de Black Belts em 1998 em alguns departamentos e estendeu seu programa para toda a companhia até o final de 2001: Treinamento de mais de 8.000 Black Belts em 18 meses. Mega Projeto: Reengenharia de todo processo para eliminar defeitos em estudos de forecast, planejamento de produção, atrasos de pedidos, gerenciamento de inventário, e erros de captação de pedidos –Savings totais projetados da ordem de US$1 bilhão durante a implantação. A Ford sinalizou uma nova era da “forma de pensar” – Six Sigma. Naturalmente o programa se estendeu aos fornecedores estratégicos e os competidores também não quiseram ficar para trás. O mesmo ocorreu na General Eletric, GE quando seus competidores também quiseram alcançar os mesmos ganhos!

Sobre Leandro Valim

Mestre e Doutor em Engenharia (Engenharia de Produção) e professor do curso de MBA Gestão da Qualidade & Engenharia da Produção

Comentários