Caminho para o desenvolvimento: você sabe o que fazer para alcança-lo ?
4 minutos de leitura
06 de setembro de 2017

Já parou para pensar sobre o caminho para o desenvolvimento?

O ser humano se desenvolve ao longo de toda a vida. A formação do caráter, o florescimento de suas forças e a descoberta de todo o seu potencial vão acontecendo ao longo de toda a sua existência. Mas o que será necessário para que esse processo aconteça? Você já parou para pensar sobre o caminho para o desenvolvimento?

Durante o Webinar realizado pelo IPOG com o tema “Plenitude: A jornada para o desenvolvimento integral do potencial humano”, os coordenadores da Pós-Graduação em Essential Master Coach, Dorothy Irigaray e Luciano Meira, falaram sobre o Plenitude, novo programa do IPOG presente nos cursos da instituição e que foca exatamente em expandir a consciência dos alunos sobre seus potenciais.

A concepção do Plenitude parte do ponto de que, não importa se o aluno estuda Engenharia, Arquitetura ou até mesmo Contabilidade, ele é um ser humano. Logo, para que alcance um nível de realização em sua carreira – foco principal de quem busca uma pós-graduação – assim como na vida pessoal, ele precisa antes passar por um processo de desenvolvimento.

“E o Plenitude é a introdução desse assunto, pois é um tema tão amplo que o aluno pode passar a vida toda estudando que ele não se esgota”, explica Dorothy Irigaray, professora IPOG e também Psicóloga.

Mas qual é o caminho para o desenvolvimento do potencial humano?

Na verdade, existem várias caminhos, assim como existem várias abordagens sobre como alcançar o desenvolvimento. Trata-se de um assunto complexo, múltiplo. O próprio Coaching é um desses caminhos, bastante eficaz, diga-se de passagem.

E mesmo na sala de aula, na vida profissional e pessoal, as pessoas podem e devem estar cuidando do próprio desenvolvimento.

Muitas pessoas têm a visão de que a definição de quem o ser humano será acontece apenas durante a infância. Logo, uma carga pesada é jogada sobre as costas dos pais. Alguns costumam dizer: “Não caberia aos pais ensinar sobre caráter e a escola sobre matemática e geografia, por exemplo?”

No entanto, há um grande engano aí. É claro que os pais são responsáveis pela formação do caráter dos filhos, mas achar que isso pode ser feito de forma simples, dentro de casa, apenas durante a infância é um grande engano, segundo os professores que participaram do Webinar.

Isso porque o ser humano se forma ao longo de toda a vida.

Segundo Dorothy Irigaray, a própria Neurociência comprova isso. “Já foi descoberto um atributo do cérebro, que é a neuroplasticidade (capacidade de fazer novas conexões cerebrais) e já sabemos também que existe Neurogênese. Antigamente, acreditava-se que a gente já nascia com uma quantidade determinada de neurônios. Hoje a gente já sabe que podem nascer novos neurônios”.

A professora ainda explica que isso se torna mais difícil à medida que vamos nos desenvolvendo na vida adulta porque nos habituamos tanto aos caminhos neurais mais utilizados, mais automatizados, já consolidados, e treinamos pouco o uso da neuroplasticidade, que fica mais difícil mesmo. “Na verdade, é mais desafiador, porém totalmente possível”, destaca.

Afinal, o que é se desenvolver?

A palavra “desenvolver” remete ao ato de “desenrolar, permitir a saída ou aparecimento de algo que estava tolhido”. Logo, ao falar de desenvolvimento, a palavra acaba trazendo a mesma ideia de “desembrulhar”, “tirar do envolvimento”.

Quando nos referimos ao desenvolvimento do potencial humano funciona da mesma maneira. Todas as pessoas possuem potencialidades, mas precisam ser “desembrulhadas”, precisam “tirar essas forças do envolvimento” para que sejam conhecidas e assim, o ser humano posso atuar de acordo com o melhor que pode ser.

A existência humana é uma jornada, as vezes mais curta, outras mais longa. E cada um tem o desafio de ir abrindo suas potencialidades. 

Por onde começa o desenvolvimento do potencial humano?

Quando tocamos nesse assunto, pode vir a dúvida: Será que todo mundo se torna o que pode se tornar ao longo do desenvolvimento do potencial humano?

Segundo Dorothy Irigaray, na Psicologia usa-se muito o termo “enredar”. De acordo com a professora IPOG, à medida que a pessoa vai tendo experiências, adquirindo conhecimento e habilidades ao longo da vida, algumas partes da nossa história vão se “enredando”, vão fazendo conexões.

A psicóloga explica que isso ocorre porque todos nós vivemos vários papeis diferentes simultaneamente (vida pessoal, profissional, entre outras). Logo, essas conexões vão surgindo e quando a pessoa percebe está envolvida em um nó.

E em meio a esse emaranhado, ela percebe que não consegue ter mais clareza para tomar decisões. E é exatamente neste momento em que ela se perde do seu propósito, daquilo que sonhava ser ou fazer e até mesmo de quem ela realmente é. Surgem as dúvidas e a sensação de não se conhecer mais.

“No coaching a gente consegue trabalhar essa situação para que a pessoa veja as coisas com mais clareza e consiga tomar decisões mais conscientes, mas muitas vezes só isso não é suficiente. Então a gente encaminha para a psicoterapia.”

Dorothy destaca que cada caso é um caso, mas sabe o que todos eles têm em comum? A clareza que leva ao entendimento sobre seu propósito de vida, sobre suas forças e potencialidades vem através do autoconhecimento.

“O autoconhecimento traz a possibilidade do desenredamento”. 

Por isso, o Plenitude toca exatamente neste ponto, no autoconhecimento. Pois compreende-se que jamais será possível falarmos ou buscarmos o desenvolvimento se antes não conhecermos o que está escondido e precisa florescer.

Portanto, se você sente que possui algumas características que poderiam te levar mais longe ou que algo na sua vida ficou para trás, mas não sabe como recuperar isso, nós te convidamos a descobrir mais sobre essa possibilidade de desenvolvimento.

É para todos, independente da profissão, área de atuação, etc. Baseada em estudos científicos e que foca no desenvolvimento do potencial humano justamente por acreditar que o ser humano pode ir muito além do que imagina quando ele cria consciência do tamanho potencial que existe nele.

E então, que tal conhecer mais sobre esse método e buscar o autoconhecimento? Clique aqui para saber mais.

 


Artigos relacionados

Como identificar suas Forças de Caráter e Forças de Assinatura? Você sabia que todo mundo tem 24 forças de caráter? E que dentre elas, temos 5 forças de assinatura? Se tratam de capacidades pessoais que possuímos, mas que nem sempre temos consciência disso. Têm a ver com aquilo que fazemos naturalmente bem. Quando colocamo...
Psicologia positiva no desenvolvimento humano: 5 passos para viver melhor Você já imaginou vivenciar plenamente momentos de alegria, serenidade, amor, motivação, entusiasmo e inspiração?  E sabia que é possível conquistar tudo isso através de uma ciência?Isso mesmo!Por meio da Psicologia Positiva, que em termos mais simples...
Harvard e o IPOG: A busca pelo desenvolvimento integral do potencial humano Há uma frase que ouvimos cotidianamente “O sucesso ou o dinheiro não traz felicidade”, mas será que a felicidade pode trazer o sucesso? A resposta é sim, segundo Clayton Christensen, um dos professores mais respeitados de Harvard, uma das melhores Instituições...

Sobre Dorothy Irigaray

Psicóloga organizacional, especialista em educação, pós-graduada em Dinâmica de Grupo, pós-graduanda no MBA Liderança Executiva e Desenvolvimento Organizacional pela Franklin Covey/IPOG, certificada em Introdução às Psicoterapias Cognitivas pela Universidade de Flores (Argentina) em curso credenciado pelo Instituto Albert Ellis (EUA), com Formação em Terapia Cognitiva com Ferramentas de Coaching pela Mosaico/Metacognitiva(RN) Consultora empresarial em gestão de pessoas, coordenadora e professora de pós-graduação do IPOG Coach Sênior qualificada pelo ICI (Integrated Coaching Institute), Especialista em Neurocoaching pelo Neuroleadership Group/Fellipelli, ambos cursos credenciados pela ICF (International Coaching Federation). Qualificada nos instrumentos MBTI, MBTI STEP II e Eqi 2.0 pela Fellipelli Instrumentos Diagnósticos. Qualificada em Positive Psychology pela University of North Carolina at Chapel Hill/COURSERA(EUA). Co-idealizadora e co-facilitadora do Program de Qualificação em Coaching da FATESG/SENIAGO. Co-coordenadora do Grupo de Coaches Makers. Experiência de mais de 20 anos em desenvolvimento de pessoas.

Comentários