Já é hora de rever seus comportamentos nas organizações! Entenda o porquê
3 minutos de leitura
13 de novembro de 2017

Já é hora de rever seus comportamentos nas organizações! Entenda o porquê

Existe uma frase de Peter Drucker que  a importância dos comportamentos para o sucesso das organizações. Confira:

“As pessoas são contratadas pelas suas habilidades técnicas, mas são demitidas pelos seus comportamentos”

Ao fazer essa afirmação, Drucker  mostra a importância não apenas do conhecimento técnico, mas também dos talentos dos colaboradores na busca por resultados.

Segundo Luciano Meira, Diretor de Metodologia do IPOG e Sócio-Fundador da Caminhos – Vida Integral, não basta ter todo o conhecimento técnico do mundo se o profissional não souber, por exemplo, ter bons relacionamentos, pois ele vai acabar falhando em algum momento. Os comportamentos nas organizações hoje recebem muito mais atenção, pois se tornaram imprescindíveis para a sustentabilidade das empresas.

Luciano explica que nutrir as relações e os bons relacionamentos no ambiente de trabalho é tão crítico que, se uma pessoa se deixa levar por pequenos conflitos porque não tem um bom autocontrole, por exemplo, o que era pequeno vai ganhando uma proporção cada vez maior. E assim, a pessoa acaba cercada e o mais grave, sem conseguir fazer o que deveria ser feito em sua posição na empresa. Prejudicando seus resultados. Tudo isso por causa de maus comportamentos nas organizações.

“As relações são como avenidas que se abrem e permitem que as coisas fluam, mas quando as relações não estão bem, tudo paralisa na organização”

Por mais técnico e especialista que um profissional seja, se ele não desenvolver suas habilidades comportamentais, terá problemas.

Entenda a importância dos comportamentos nas organizações

Um exemplo clássico e conhecido em todo o mundo é o de Steve Jobs, fundador da Apple. Jobs era um gênio, em todos os aspectos técnicos. No entanto, em termos de relacionamento tinha muitas dificuldades.

Durante a maior parte de sua vida foi considerado por muitos como intragável. Luciano Meira lembra que Steve Jobs tratava as pessoas mal, chegando a destruir relações em que ele poderia ser muito mais grato, inclusive com pessoas que o ajudaram a chegar onde chegou. Mas ele não soube se comunicar com elas nem como se relacionar com essas pessoas.

Chegou a ser demitido da própria empresa. Apesar de ser o dono da Apple, o Conselho decidiu por tirá-lo da organização por não suportar mais a sua personalidade, nem a forma como ele se relacionava mal com as pessoas.

Depois de um tempo, chegou a voltar porque a empresa precisava de sua genialidade, mas nessa segunda fase, já mais maduro, cultivando um pouco melhor as relações.

Conheça alguns comportamentos que fazem a diferença nas organizações

Quando falamos de comportamentos, não se trata apenas de relacionamentos. Também existem outros aspectos comportamentais.

  • Persistência
  • Perseverança
  • Saber desenvolver confiança
  • Lealdade

Combata a fofoca nas organizações

Muitas pessoas acabam falando mal umas das outras pelas costas, fazendo fofocas… E há quem pense que isso é normal, porque tem em todo lugar. Mas cuidado! Isso mina a confiança dentro da organização, o processo de busca por lealdade vai se deteriorando com este tipo de atitude.

Aprenda a ouvir os clientes

Saber como lidar com o cliente. Pode parecer algo óbvio, mas não é. Luciano Meira explica que é preciso ter a humildade de se submeter ao feedback do cliente que está insatisfeito. É preciso saber ouvir esse feedback, entendê-lo e conseguir transformá-lo em uma melhoria. Ver isso como uma oportunidade de crescimento na empresa.

Parece algo tão simples, mas de acordo com o Diretor de Metodologia do IPOG, a maioria ainda não consegue fazer isso nas organizações. “Muita gente quando é confrontado pelo cliente insatisfeito coloca-se na defensiva. Dessa maneira, perde a oportunidade de ouvir o cliente e de a partir dali, poder vivenciar uma melhoria contínua, E o pior, na maioria das vezes, perde o cliente também”, destaca.

Decida hoje por mudar seus comportamentos nas organizações!

Lembre-se! São atitudes simples, mas que dependem sempre de decisões. É preciso decidir por ouvir o cliente, por ser perseverante, por não falar mal de um colega de trabalho ou gestor.

Comportamentos estão relacionados a escolhas, decisões e cabe a cada um decidir a maneira como quer agir diante de uma circunstância. Não aceite que o seu currículo brilhante seja ofuscado por falta de inteligência emocional ou porque você não escolheu agir de outra maneira em determinada situação.

Desenvolva comportamentos nas organizações que sejam admiráveis, que melhorem o clima, valorizem as pessoas e naturalmente, como consequência, os resultados virão!

 


Artigos relacionados

Conheça uma nova forma de liderar Liderar, parece um verbo simples, mas que nas organizações fazem muita diferença. Recentemente, tratamos aqui no Blog IPOG sobre como os comportamentos nas organizações estão sendo cada vez mais observados e utilizados, inclusive, para avaliar colaboradores em...
Talentos: um caminho para a produtividade As organizações passam por sucessivos desafios de mudanças para atenderem e se adaptarem às novas exigências mercadológicas. Não basta dispor dos melhores recursos, estrutura ou da mais avançada tecnologia, se as mesmas não forem sustentadas por uma gestão de ...
Conheça os benefícios da meditação e comece a praticar hoje mesmo Cientificamente já está mais que comprovado os diversos benefícios da meditação para o ser humano. E você sabe quais são eles? O especialista e professor do curso de MBA Executivo em Desenvolvimento Humano e Psicologia Positiva do IPOG Hélder Kamei listou algu...

Sobre Luciano Alves Meira

Formado em Letras e Especialista em Liderança e Gestão Organizacional; já treinou líderes de diversas grandes empresas, a exemplo de: Volkswagen, Embraer, Kimberly Clark e Faber Castell; coordenador do curso de MBA Executivo em Liderança & Gestão Organizacional (FranklinCovey) e do Curso de Curta Duração de Liderança Integral do IPOG, onde também atua como Diretor de Metodologia; Sócio Fundador da Caminhos Vida Integral.

Comentários