Quais as expectativas do mercado de trabalho para profissionais de Design de Interiores em 2017?
2 minutos de leitura
08 de março de 2017

Quais as expectativas do mercado de trabalho para profissionais de Design de Interiores em 2017?

IPOG, Mercado de Trabalho, Design de Interiores

O mercado de trabalho para o profissional que idealiza, planeja e organiza de maneira adequada e responsável os ambientes interiores de residência, comércio e espaços cenográficos, está em grande expansão, é o que garante grandes profissionais da área.

Sabendo que todo momento de crise traz consigo momentos de mudanças e adaptações, os Designs de Interiores têm desenvolvido novas formas de atuação. Dentre elas, estão as consultorias e os projetos indicativos, onde tem-se um atendimento mais dinâmico e personalizado.

Desta forma, trabalha-se com indicativos de possibilidades, onde o cliente busca os fornecedores que trabalharão em cima das informações concedidas.

Lorí Crízel, coordenador do curso de Design de Interiores do IPOG, ao fazer um balanço de como foi último ano para os profissionais dessa área, destaca que foi um período muito dinâmico e inovador para o segmento, tendo como evidência o aumento de assessorias em vez de projetos maiores.

Ele afirma que alguns aplicativos foram lançados no setor, fazendo com que os clientes busquem profissionais próximos para acompanhar em determinadas compras específicas e/ou prestar serviços bem pontuais e de pequeno porte. “Muitos escritórios uniram-se para captação de clientes e, consequentemente, trabalhos em conjunto”, complementa o especialista.

Para Lorí, independente da área que o profissional atua, o mercado está cada vez mais exigente e, por consequência, mais seletivo. “Esse é um parâmetro que induz o profissional a especializar-se cada vez mais, pois o conhecimento passa a ser o seu maior diferencial”, considera.

Esse conhecimento, aliado a novos modelos de prestação de serviço, fez com que muitos profissionais buscassem caminhos novos, inusitados e até mais lucrativos.

Quais são as expectativas para este ano?

O mercado ainda é uma incógnita, mas estima-se que a dinâmica seja similar a 2016, com um pouco mais de movimentação em alguns setores, como o corporativo e o comercial. Períodos de retomadas de crise normalmente são impulsionados por esses dois setores, ressalta Lorí.

Como se diferenciar no mercado?

Profissionais desse setor precisam compreender qual de fato é o seu nicho de atuação. Mercados “nichados” sempre demoram um pouco mais para perceberem as crises acontecendo, justamente por estarem blocados. A exemplo da medicina e do direito, assim como outras.

Quer se tornar um especialista nesta área? Aproveite para aprofundar os seus conhecimentos na área.


Artigos relacionados

Gestão do Tempo para Engenheiros: por que se preocupar? O dia-a-dia de engenheiros civis é puxado. São muitos detalhes que exigem a atenção do profissional. Além de garantir que a obra seja executada da maneira correta, ele precisa gerenciar a equipe, observar se tudo está sendo feito dentro do prazo e do custo... ...
Dia da Engenharia: Dicas de leitura para os profissionais da área Os profissionais de engenharia são geradores de ideias, sempre aplicando métodos e técnicas economicamente viáveis, com auxílio da matemática e das ciências. Buscam aliar as melhores condições de segurança ao menor custo, sendo requisitados em todas as áreas, ...
Arquitetura: dicas para conquistar clientes Relacionar-se com o cliente é um desafio para o profissional de qualquer área do mercado. Fidelizá-lo em um mundo com cada vez mais opções tornou-se estratégia de sobrevivência. Portanto, é importante estar antenado que, de fato, a conquista começa desde o pri...

Sobre Lorí Crízel

Arquiteto e Urbanista; Membro do Comitê Especial Europeu de Pós-Graduação tendo atuado em: Inglaterra, Escócia, País de Gales e França, entre outros; Coordenador de Cursos e do Programa de Viagens de Estudos Internacionais do IPOG; e Coordenador dos cursos de pós-graduação em Master em Arquitetura & Lighting e Design de Interiores - Ambientação e Produção do Espaço do IPOG.

Comentários