10 áreas de conhecimento em Gerenciamento de Projetos
5 minutos de leitura
30 de novembro de 2018

10 áreas de conhecimento em Gerenciamento de Projetos

Gestão de Projetos, IPOG,

Gerenciamento de projetos é a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto, a fim de atender aos seus requisitos gerais da sua execução.

Quem trabalha nessa área deve desenvolver habilidades para enfrentar os momentos mais críticos do projeto, buscando soluções de forma ágil, resolvendo os conflitos de interesses e motivando a equipe, mesmo nos momentos de maior pressão.

Segundo o Instituto de Gerenciamento de Projetos (PMI), 20% de toda riqueza produzida no mundo é revertida para a execução de projetos de diferentes naturezas, o que em valores reais representam US$12 trilhões de dólares gastos para construir, melhorar ou executar algum serviço ou obra.

O Instituto mapeou que atualmente 400 mil profissionais são certificados em gerenciamento de projetos em todo o mundo. O que representa um nicho ainda a ser melhor explorado pelos profissionais diversos.

A área de gerenciamento de projetos é vasta, requer profissionais especializados e que tenham como características principais:

  • organização,
  • empenho em reciclar conhecimentos,
  • disciplina,
  • foco no cumprimento de etapas pré-estabelecidas,
  • capacidade de avaliação e recondução de ações não produtivas.

Importância do Gerenciamento de Projetos

Muito mais do que coordenar pessoas e cobrar por resultados, o gerenciamento de projetos requer uma série de conhecimento, habilidades e ferramentas que auxiliam a equipe a atingir o objetivo almejado. Trata-se mais de execução de tarefas do que de uma questão de liderança e chefia.

O gerenciamento de projetos só se justifica quando atende o estabelecido no planejamento inicial, e persegue etapa por etapa os objetivos definidos no seu escopo. A sua eficácia é comprovada quando há a entrega do resultado final, dentro dos prazos estabelecidos, das normas e da qualidade estipulada.

Ser um profissional apto a aplicar as técnicas de gerenciamento de projetos vai torná-lo ainda mais completo e distante dos resultados intuitivos, ou a famosa “tentativa e erro”. Por isso que entender sobre a área tem sido uma necessidade nas empresas que primam pela eficiência.

Se você conseguiu contemplar a importância de se embrenhar por essa área tão promissora, que tal ficar atento às dez áreas de gestão de projetos que elencamos para lhe apresentar.

Quais são as dez áreas de conhecimento do Gerenciamento de Projetos?

A gestão de projetos oferece ferramentas e soluções de mercado para melhor orientar a atuação do profissional, garante o coordenador do curso de MBA em Gestão de Projetos do IPOG, Luís Volpato, que também cita as dez áreas de conhecimento em Gerenciamento de Projetos.

Integração

Os processos dessa área são:

  • desenvolver o termo de abertura e o plano de gerenciamentos de projeto;
  • orientar e gerenciar sua execução;
  • monitorar e controlar todo o trabalho;
  • realizar o controle integrado de mudanças;
  • fazer o encerramento do mesmo.

Tais atividades realizadas coordenadas garantem o andamento e o controle de cada uma das etapas delineadas no planejamento do projeto. Sua realização confere o acompanhamento integral e o prazo para fazer as correções necessárias diante de cada ponto identificado por melhorias.

Essa área envolve etapas crucias para o bom andamento de projetos. Dominá-las é essencial e requer técnicas eficazes para melhor conduzir a equipe no passo a passo das atividades pré-estabelecidas.

Escopo

Os processos de controle e monitoramento permitem verificar se o escopo está sendo cumprido conforme foi definido nos processos de planejamento. É uma atividade que leva o gestor a reavaliar os resultados almejados passo a passo para que não se fuja do escopo, do objetivo principal.

Esse procedimento envolve:

  • coleta de requisitos;
  • definição do escopo;
  • criação da EAP (Estrutura Analítica do Projeto);
  • verificação e controle do escopo.

Ações que garantem o norteamento do projeto e permitem que ele não fuja aos seus propósitos e objetivos. Muito importante para se recordar de pontos principais durante a execução do projeto.

Tempo

Os processos de planejamento definem as atividades que vão para o cronograma, a ordem de precedência das atividades, o tipo e a quantidade de recursos necessários, o tempo para concluir as atividades, além de incluir a verificação do andamento do trabalho.

Esse elemento do “tempo” é fundamental pois delimita prazos e expectativas para que as ações sejam realizadas. Ajuda na delimitação de cronogramas e nas ações de conferência dos atos, condizentes com os prazos estabelecidos.

Custo

Esta área descreve os processos envolvidos em planejamento, estimativa, orçamentação e controle de custos, de modo que o projeto termine dentro do orçamento aprovado.

Deve-se dar uma atenção especial para este processo de precificação e levantamento de custos, a fim de ser o mais fiel possível nos orçamentos levantados. Cada detalhe deve estar presente, entre custos operacionais e de gastos físicos com materiais em geral.

Qualidade

Os processos aqui determinam padrões ou normas de qualidade que devem ser seguidos durante o projeto, envolvendo a auditoria da qualidade, ou seja, se o trabalho está sendo seguido conforme foi planejado e se será entregue de acordo com os padrões e normas pré-definidos.

Delimitar os padrões e normas de qualidade que o projeto vai seguir é fundamental para se ter como balizador nas ações de conferência do andamento do projeto. Adotar normas já consagradas para a área que se trabalha contribui para já incluir o projeto dentro de padrões socialmente aceitos e respeitados.

Recursos Humanos

Esta área descreve os processos que organizam e gerenciam a equipe do projeto. São determinados os tipos e o perfil dos profissionais, além da hierarquia da equipe e quem será responsável pelo o que quando ele estiver em execução. Fundamental para se esclarecer atribuições e responsabilidades para os membros que integram o projeto.

Comunicações

Os processos desta área de conhecimento determinam quem está envolvido no projeto, definem como as comunicações vão ocorrer quando o projeto iniciar e determina os tipos de informações geradas, quem é o responsável, qual o meio, quem vai recebê-las e qual a periodicidade.

Riscos

Os processos desta área de conhecimento têm como objetivo determinar como os riscos serão identificados, analisados e como as respostas serão planejadas e como os riscos serão planejados. Um trabalho de prevenção e antecipação de problemas, muito salutar para estar preparado para os inconvenientes que são previsíveis durante a execução do projeto.

Aquisições

Os processos desta área de conhecimento têm como objetivo determinar o que se quer adquirir, de quem se quer adquirir, receber as respostas dos fornecedores e selecionar o fornecedor, como se dará o gerenciamento dos contratos, pagamentos, se as entregas estão de acordo com o que foi estabelecido, pagar o fornecedor, e, por último, formalizar a finalização do contrato.

Partes Interessadas

Os processos dessa área são: identificar as partes interessadas e seus interesses, envolvimento e impacto no sucesso do projeto; planejar o gerenciamento das partes interessadas, desenvolver estratégias para quebrar as resistências das partes interessadas e garantir seu engajamento no projeto.

Você conhece as vantagens da metodologia BIM?

 


Artigos relacionados

7 ferramentas que vão mudar a vida dos Engenheiros Pensando em contribuir com dia a dia puxado dos engenheiros, separamos algumas ferramentas simples que podem facilitar essa rotina corrida e apertada. Em outro artigo, falamos sobre a importância da Gestão do Tempo para o Engenheiros e sobre como ela é importa...
Professora do IPOG participa da criação da Primeira Norma Brasileira de Elaboração de Orçamentos de ... A Professora do MBA Planejamento, Execução de Controle de Obras Públicas e do MBA Gerenciamento de Obras, Qualidade & Desempenho da Construção do IPOG, Inaiara Ferreira Marini, participou da comissão para a criação da Primeira Norma Brasileira de Elaboraçã...
Confira 10 boas práticas ambientais para aplicar em sua empresa Com o aumento do debate em torno de questões ambientais nos últimos anos, o grande desafio é conciliar o crescimento econômico com a preservação do meio ambiente. Sendo assim, é fundamental incluir nas principais decisões empresariais uma gestão ambiental efic...

Sobre Luiz Antonio Volpato

Doutor em Novas Tecnologias em Educação e Mestre em Administração Financeira, Graduado em Administração e Ciências Contábeis. Professor Doutor, na PUC-SP e Professor Titular na ESPM-SP, ministra disciplinas de Administração Financeira, Contabilidade e Gestão de Projetos em Cursos de Graduação e Pós-Graduação. Atualmente é consultor Financeiro de empresas, Professor convidado do MBA Executivo da Universidade Católica do Porto-Portugal e, Coordenador do MBA de Gestão de Projetos do IPOG-Goiânia.

Comentários