Qual o impacto de uma boa apresentação na arquitetura?
3 minutos de leitura
06 de fevereiro de 2018

Qual o impacto de uma boa apresentação na arquitetura?

Estruturar uma apresentação que conquiste o cliente não é uma tarefa fácil! Muitos profissionais da área de projetos (Arquitetos, Designers, Engenheiros, etc), encontram dificuldade pra vender uma ideia. Por isso, é importante considerar alguns aspectos na hora de elaborar uma apresentação na arquitetura.

A apresentação do projeto é a síntese de tudo que você teve de ideias para resolver um problema que te foi proposto a solucionar. O intuito principal é convencer o cliente e ter a tão esperada aprovação do projeto.

Uma apresentação demanda planejamento e boa preparação desde o início do projeto até o resultado final. Uma boa ideia pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso. Saber escolher as imagens, utilizar os termos de forma correta, ser didático, ajuda a pontecializar a sua exposição.

O que considerar antes de uma apresentação na arquitetura?

1) Contextualize o cliente

O cliente é o seu público alvo e por isso é preciso, que antes de mais nada, você o contextualize de tudo que será apresentado. Isso fará com que ele absorva a apresentação com um nível de consciência maior, o que facilita a sua abordagem.
Não abuse de termos técnicos que ele não sabe sequer o que significa, e se por acaso fizer uso, explique o conceito do termo.

2) Sequência Lógica

Assim como um bom roteiro de filme, em que no início se apresenta o local e personagens no meio onde a trama se desenrola e as peças vão se encaixando, e por último, o grande final encerrando a história, assim também deve ser encarada a apresentação do projeto, como coisa de cinema!

É preciso contar uma história, construir a trama na cabeça do cliente.

Por isso, a organização da sequência da apresentação é fundamental para que ela tenha êxito.

3) Introdução

Faça uma breve apresentação sua e/ou do escritório, os profissionais envolvidos no projeto, explique a função e o motivo do projeto,  e o programa de necessidades que você previamente já levantou com o cliente, isso irá “refrescar” a cabeça dele e vai evitar que coisas do tipo: “não pedi isso” aconteçam.

4) Conceito

A fase da criação de um conceito muitas vezes vem acompanhada de incertezas diante de muitas oportunidades. Não apresente qualquer conceito, apresente o melhor e o mais adequado para a realidade do projeto e que atenda os requisitos técnicos. Estruture um painel semântico com a referências que te fez extrair a sua ideia conceitual.

5) Explore o uso de imagens e tecnologia

A escolha correta das imagens é crucial para o entendimento do cliente. Apresentar uma planta baixa não faz sentido ser não for acompanhada de outras imagens que demonstrem como ficará o resultado. Fazer o uso de softwares como o sketchup, Auto Cad, Revit, Bim são cruciais para produzir imagens de alta qualidade.

Outro softwares que agregam muito para otimizar as imagens é o Photoshop e Illustrator. Com o Photoshop é possível fazer alguns tipos de intervenções mais pontuais em uma imagem, como ajustar brilho, fazer um recorte, incluir um elemento. Com o Illustrator podem serem feitas pequenas diagramações, inclusão de elementos gráficos e composições.

O Uso de óculos de realidade aumentada também é um outro recurso que ajuda muito a encantar o cliente. A realidade aumentada, ou VR, permite que o usuário seja capaz de andar pelos ambientes do projeto, tendo a sensação de que ele já está finalizado.

6) Rapport e Oratória

O rapport é uma técnica que visa criar uma aproximação com quem você está falando. Então é importante a escolha da roupa e o modo de abordagem de acordo com o cliente que será atendido. Por exemplo: se o cliente tiver uma vertente mais clássica, trabalhe sua apresentação nesse sentido. Se ele for mais descolado, siga também por esse caminho.

Além disso, desenvolva a sua oratória para que a sua fala seja compreendida com o mínimo de ruídos possíveis. É importante falar de forma pausada, ter um tom de voz agradável, usar a voz e os gestos para dar ênfase em algo específico e ter cuidado com a postura. Evite utilizar palavras como “eu acho”, elas podem dar um outro sentido e impressão para ouvinte.

7) Pontualidade

Pode não estar necessariamente na apresentação do projeto, mas ser pontual impacta nas impressões do cliente da mesma maneira. Chegue no horário da reunião marcada, esclareça as dúvidas do cliente, envolva-o na apresentação, conclua demonstrando o resultado e qual o impacto que o projeto causará para o cliente.

Saber selecionar as imagens e como apresentá-las é uma grande arma para convencer e encantar os clientes com a suas propostas.

Artigos relacionados

Por que o projeto luminotécnico é tão importante? Em um passado não muito distante, acreditava-se que o projeto luminotécnico era o último a ser contemplado nas etapas de idealização de um projeto arquitetônico. Primeiro se concebia o layout da obra por completo, para só depois se pensar na aplicação da luz. ...
Como se preparar para abrir seu escritório de Arquitetura? Em uma época em que o empreendedorismo está em alta, na arquitetura a realidade não tem sido diferente. Vários profissionais têm o desejo de construir uma carreira e serem reconhecidos pelo trabalho desenvolvido no seu próprio escritório de Arquitetura. Uma...
Professora do IPOG participa da criação da Primeira Norma Brasileira de Elaboração de Orçamentos de ... A Professora do MBA Planejamento, Execução de Controle de Obras Públicas e do MBA Gerenciamento de Obras, Qualidade & Desempenho da Construção do IPOG, Inaiara Ferreira Marini, participou da comissão para a criação da Primeira Norma Brasileira de Elaboraçã...

Sobre Cleber Muniz

Especialista em Design e professor de cursos de pós-graduação e curta duração do Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG).

Comentários