4 minutos de leitura
11 de julho de 2017

Estande de negócios: que imagem a empresa transmite em um evento?

IPOG, Estande de negócios, feiras de negócios

Antes de falarmos sobre ‘Estande de Negócios’, você sabia que a etimologia da palavra ‘feira’ vem do latim feria, que significa “dia santo”.  Este dia, era destinado, pelos nossos antepassados, à organização de festas para promover a interação social, necessária para o homem viver em comunidade.

As feiras de negócio devem usufruir dessa necessidade de promover no business meeting o mesmo caráter festivo dos dias santos, no qual as prerrogativas de marketing para um evento devam ser as mais descontraídas e diretas possíveis.

Com isso, propicia-se ao visitante um dia de acolhimento e hospitalidade e de entretenimento e descompressão em prol da interação social e comercial, condição sine qua non no mundo dos negócios. Para estabelecer tal interação, é preciso lançar mão da comunicação. E nessa área, a imagem é indubitavelmente a mais eficaz ferramenta a ser trabalhada.

Importância da concepção do estande de negócios

No estande promocional, a imagem corporativa deve ser tridimensionalizada, de modo a se tornar “a embalagem da embalagem do produto”. Isso é fundamental, pois, na feira, o estande é o primeiro contato da empresa com seus clientes, fornecedores, concorrentes e prospects. Embora a imagem seja silenciosa, é altamente persuasiva na decisão de escolha do cliente por uma empresa, um produto ou serviço.

Portanto, quanto mais enfática ela for, maior será o poder de visibilidade e de aumentar significativamente a taxa de conversão do público para o estande. Ou seja, o número de pessoas que passam a consumir determinado produto em detrimento do outro.

Visibilidade de uma empresa é o quanto ela é percebida pelo público, o quanto consegue atingi-lo por meio da comunicação. E a comunicação se estabelece através dos sentidos, responsáveis pela fixação das informações que armazenamos no cérebro.

Confira o quanto cada um dos sentidos é responsável pela fixação da imagem da empresa em um evento:

  • Paladar: 1%
  • Tato: 1,5%
  • Olfato: 3,5%
  • Audição: 11%
  • Visão: 83%

Isso mesmo! Portanto, externamente, o estande deve dar visibilidade à organização, tornando-se o elemento de atração do público, e, internamente, propiciar hospitalidade, fazendo com que o visitante permaneça tempo suficiente para conhecer a empresa, os seus produtos e serviços.

Atrair e reter o visitante no estande é uma tarefa árdua, uma vez que os diversos expositores propiciam inúmeros estímulos sensoriais que acabam por dispersar o público do evento. Assim, para atingir o seu target, o seu propósito, as ações de marketing devem ser precisas, cirúrgicas.

Foco na imagem do estande

Quanto mais incisiva for a experiência vivenciada pelo visitante, maior será a possibilidade de se consolidar o AIF – Audience Interest Factor (Fator de Interesse do Público) da empresa por meio do estande de negócios. A imagem que a empresa deseja passar para o seu público (consumidores, fornecedores, prospects, etc.), embora efêmera, é parte integrante de sua imagem institucional e deve dar unidade visual ao planejamento estratégico de marketing em todo o seu campo de ação.

Por ser uma ferramenta de comunicação efêmera, o estande exige assimilação imediata e deve possuir elementos que façam com que o grande público identifique rapidamente a empresa.

Elementos que podem ser trabalhados no estande:

  •  O logotipo da empresa
  • A cor institucional
  • O uniforme das recepcionistas
  • Forma como a empresa expõe os produtos

O importante é destacar a imagem da empresa em meio ao caos visual que se estabelece nas feiras. Devemos projetar a imagem do estande de negócios o mais criteriosamente possível, pois, além de dar visibilidade à empresa e consolidar sua imagem, ainda pode transmitir mensagens subliminares. Linhas, forma, cor, luz e textura são ferramentas responsáveis pela construção do stimmung do espaço, ou seja, pela atmosfera e pela mensagem que a empresa quer comunicar aos visitantes. Veja exemplos abaixo:

Linhas

Predomínio de linhas verticais: Passa um certo ar de prepotência e arrogância, conferindo ao expositor uma imagem de liderança de mercado. Isso pode ser muito interessante em um evento no qual se pretende transmitir essa mensagem, mas não combina com ações de marketing de cunho social que a empresa possa ter interesse de comunicar.

Predomínio de linhas horizontais: Comunicam mais proximidade e solidariedade. Além disso, tornam o espaço mais aconchegante e intimista, fazendo com que as pessoas fiquem mais tempo no estande.

Linhas oblíquas: Transmitem dinamismo e movimento, algo interessante para estandes que tenham como alvo o público jovem.

Uma grande área ou um estande inusitado podem aumentar o AIF do grande público, devendo-se tomar cuidado para que a imagem criada esteja sincronizada com o plano estratégico de marketing da empresa, de forma que transmita as mensagens adequadas.

Um belo estande cenográfico, que reproduz, por exemplo, um castelo ou um navio petroleiro, pode atrair um grande número de pessoas, mas a quantidade pode não sinalizar a eficácia da ação de não atingir o público-alvo.

Não existem formas melhores ou pioneiras. Existem formas mais ou menos adequadas à mensagem a ser transmitida. As formas retangulares, por exemplo, são monótonas, talvez inadequadas para um estande de motocicletas que suscita uma imagem mais dinâmica, mas podem ser bem utilizadas por empresas que pretendem comercializar veículos de uso familiar por transmitirem segurança e estabilidade.

Tudo é uma questão de linguagem.

Cor

Na feira, o uso da cor institucional é imprescindível como elemento de demarcação territorial, sendo um ponto de referencial de visibilidade para a empresa. Ao se tentar localizar, por exemplo, a Petrobras em uma feira, é natural procurar por um estande com predominância das cores verde e amarelo.

As cores transmitem, ainda, mensagem subliminares que, se bem utilizadas, auxiliam – e muito – na construção da imagem da empresa com seu visitante.

  • Azul: seriedade
  • Verde: harmonia
  • Vermelho: Vitalidade
  • Violeta: Nobreza

O importante é ter domínio dessa linguagem e fazer com que ela contribua com a mensagem corporativa.

Iluminação

A iluminação também faz diferença. Estandes com muita luz dão a sensação de produtos mais populares. Já os com menor incidência luminosa conferem ao produto com aura de sofisticação.

A luz branca das lâmpadas fluorescentes é mais adequada para estandes dos setores de alta tecnologia e de saúde, enquanto as lâmpadas incandescentes podem valorizar produtos em que se deva realçar a manufatura artesanal. A mensagem subliminar desses elementos será decodificada de qualquer forma, então, melhor que seja da forma correta.

Texturas

Quanto às texturas, as lisas e brilhantes comunicam sofisticação e refinamento. Já as rugosas e foscas devem ser utilizadas como suporte para produtos alimentícios ou para produtos para os quais se deseja transmitir sustentabilidade ecológica.

Assim como o promocional designer, os profissionais de marketing da empresa devem estar aptos a utilizar todas essas ferramentas como elemento de comunicação não-verbal para transformar, de fato, o estande na “embalagem da embalagem do produto”.

 

Sobre Glaucus Cianciardi

Mestre em Arquitetura e Urbanismo, pós-graduado em História da Arte e em Educação, professor do curso de Master em Arquitetura & Lighting do IPOG.

Comentários