O gerenciamento de projeto é o segredo de um bom designer
< 1 minuto de leitura
14 de dezembro de 2016

O gerenciamento de projeto é o segredo de um bom designer

IPOG, Gerenciamento de Projetos

A gestão de projeto é determinante para uma execução projetual bem feita e principalmente para obter uma diferenciação de mercado. O ato de gerenciar um projeto se trata de aplicar conhecimentos, habilidades e técnicas que visam garantir o sucesso do mesmo, envolvendo todas as fases de planejamento, execução e fase final.

O designer de interiores que utiliza o gerenciamento de projeto faz com que seu escritório tenha um grande diferencial em termos de otimização de tempo e minimização dos riscos. Isso acontece devido a etapa de qualificação de cada processo que envolve o projeto. Seguindo a gestão de cada processo projetual é possível oferecer um trabalho de maior qualidade baseado em uma gestão mais centralizada e organizada.

E em cada um desses processos é preciso ter um acompanhamento de forma criteriosa por meio de um checklist. “A montagem do checklist é muito importante para que cada fase projetual, desde o atendimento ao cliente, o detalhamento, o acompanhamento do projeto até a fase final, seja executada de forma impecável” afirma o arquiteto e coordenador do MBA em Design de Interiores e do Master em Arquitetura e Lighting do IPOG, Lorí Crízel.

Este checklist é uma ferramenta crucial capaz de dar direção ao designer dentro do projeto. “Ou seja, por meio dele é possível quantificar o tempo de execução da obra, visualizando se os valores praticados estão corretos, se estão dentro do padrão, alcançando as diferenciações de mercado”, ressalta o especialista.

O trabalho do Designer de Interiores vem ganhando espaço nas mais diversas áreas do segmento, desde a tradicional atuação em projetos residenciais, passando pelos setores comerciais e chegando até as composições corporativas. Por isso, é de extrema importância desenvolver uma boa gestão de projeto em cada fase projetual, proporcionando um serviço de qualidade, baseado em uma gestão sistemática.

Artigos relacionados

Por que o projeto luminotécnico é tão importante? Em um passado não muito distante, acreditava-se que o projeto luminotécnico era o último a ser contemplado nas etapas de idealização de um projeto arquitetônico. Primeiro se concebia o layout da obra por completo, para só depois se pensar na aplicação da luz. ...
Arquitetura: dicas para conquistar clientes Relacionar-se com o cliente é um desafio para o profissional de qualquer área do mercado. Fidelizá-lo em um mundo com cada vez mais opções tornou-se estratégia de sobrevivência. Portanto, é importante estar antenado que, de fato, a conquista começa desde o pri...
Descubra as vantagens da Sustentabilidade na Arquitetura A cada dia mais se fala sobre a sustentabilidade na arquitetura. Sabe-se que ainda é impossível realizar uma edificação sem impactos na natureza, mas é possível reduzir os danos. No entanto, segundo a professora do IPOG na Pós-graduação Master em Iluminação...

Sobre Lorí Crízel

Arquiteto e Urbanista graduado pela Universidade Católica/RS; Mestre em Conforto Ambiental pela UFRJ; Membro do Comitê Especial Europeu de Pós-Graduação tendo atuado em: Inglaterra, Escócia, País de Gales e França; HA e Concept Designer – País de Gales, Inglaterra e França; Professor, Coordenador de Cursos e do Programa de Viagens de Estudos Internacionais do IPOG; Sócio-Proprietário do Escritório Crízel & Uren Arquitetos Associados detentor do Selo CREA/PR de Excelência em Projeto Arquitetônico; Atividades de imersão nos escritórios de Norman Foster (Londres), Zaha Hadid (Londres), Christian de Portzamparc (Paris), BIG (Copenhague), Hassell Studio (Cingapura), AEDAS Architecture (Cingapura), Architects 61 (Cingapura), Design Link Architects (Cingapura), Tandem Architects (Bangkok), DBALP Jam Factory (Bangkok) e X Architects (Dubai); Atividades Institucionais junto ao POLI.Design do Instituto Politécnico de Milão (Itália), McGill University (Canadá) e Universidade do Porto (Portugal).

Comentários