Como despertar o empreendedorismo nas crianças?
4 minutos de leitura
06 de Abril de 2018

Saiba como despertar o empreendedorismo nas crianças

O empreendedorismo não é uma característica exclusiva de algumas pessoas. Não se nasce empreendedor, mas torna-se um. É perfeitamente possível aprender técnicas que permitam a qualquer ser humano trilhar o caminho do empreendedorismo. E quanto mais cedo tais lições forem repassadas, mais naturalmente serão incorporadas ao repertório das pessoas. No post de hoje você vai aprender como estimular o empreendedorismo nas crianças

Como despertar características empreendedoras em crianças?

Pesquisas nas mais diversas universidades pelo mundo apontam que é extremamente salutar estimular o empreendedorismo nas primeiras fases da vida, desde que isso seja feito da seguinte forma:

  • respeitando o desenvolvimento cognitivo de cada idade;
  • feito dentro do contexto que a criança está inserida;
  • repassado de forma lúdica e sem cobranças por resultados.

Crianças que são estimuladas a pensar de forma empreendedora apresentam nas fases seguintes (adolescência e fase adulta) um melhor desempenho rumo à carreira escolhida, pendendo para assumirem posições de liderança. Como se já estivessem habituadas a pensar estrategicamente e a tomarem decisões de maneira mais natural do que as demais.

Devemos creditar às escolas essa inserção ao pensamento empreendedor?

Esse estímulo ao empreendedorismo vai muito além da grade curricular das escolas. Até porque a educação formal de nossas crianças não deve ser promovida exclusivamente pelas escolas, mesmo que hoje em dia se tenha esse entendimento.

Atualmente, há um pensamento dominante na sociedade que confere às escolas a responsabilidade total pela educação das crianças. Quando na realidade, a família é que deveria ser a responsável por essa missão, e incluir a escola como partícipe do processo.

Quando falamos do estímulo ao empreendedorismo, também se faz fundamental que família e escola atuem de forma cooperativa nesta missão, até porque nem todas as escolas estão preparadas para trazer a tona esse tema e desenvolvê-lo com eficiência, dentre as suas atividades educacionais.

Como saber se a escola dissemina conceitos empreendedores?

Os pais devem procurar junto à coordenação pedagógica levantar essa informação e levantar quais as bases desenvolvidas no programa educacional de cada escola. Paralelo a isso, é possível procurar diretamente os professores para saber de que forma podem colaborar para construírem juntos essa abordagem.

Pontos positivos de se estimular o empreendedorismo nas crianças

Estudo da Universidade de Harvard, pela escola superior de Educação mostrou as vantagens de estimular o empreendedorismo nas crianças desde cedo:

  • comportamento pendendo para a busca de resultados;
  • melhor foco nas aulas;
  • melhor desempenho profissional quando jovens e adultos;
  • buscam assumir posições de liderança nos grupos que estão inseridos.

Como trabalhar o empreendedorismo nas crianças?

É possível desenvolver ideias sobre o empreendedorismo nas crianças, no dia a dia do contexto familiar, aproveitando que as crianças naturalmente são muito mais criativas que os adultos, por não terem as amarras e noção de dificuldade desenvolvida pelos mais velhos.

Uma forma lúdica e interessante de inserir ideias empreendedoras no convívio familiar é perguntar às crianças o que elas gostariam de fazer se fossem criar seu próprio negócio.

1. Brainstorm divertido

Como um verdadeiro brainstorm, perguntar a uma criança suas ideias sempre vai levar à apuração de uma série de ideias e sugestões das mais variadas e exóticas possível. Essa magia das crianças de achar que tudo é possível nos dá verdadeiras lições de como enxergar saída para tudo. Muitas vezes, é na mente da criança, que não tem barreiras, que conseguimos perceber uma solução viável para algo que como adultos não conseguimos imaginar.

Comece com as seguintes perguntas:

  1. Qual negócio você gostaria de criar se já pudesse trabalhar?
  2. Para quem você venderia essa ideia?
  3. Quem você acha que seriam seus clientes?
  4. Por que as pessoas precisariam disso?

São perguntas que vão ajudá-los a entender a importância daquilo que se imagina criar. E, consequentemente, está mostrando a elas de que forma devem pensar e o que levar em consideração quando forem defender uma ideia de negócio, no futuro.

2. Materialização do imaginável

Cabe ao adulto conduzir o processo de tornar a ideia da criança em algo que possa se tornar real. A criança tem a capacidade para imaginar muitas coisas, mas não sabe ainda quais passos devem ser dados para que suas ideias saiam da sua cabeça. Os pais entram neste processo como orientadores.

Diante do resultado do brainstorm está na hora de colocar no papel quais objetivos devem ser alcançados. Um exemplo clássico que podemos oferecer é o da criança que pretende vender sucos na porta de casa. Cabe ao adulto lhe conduzir às seguintes questões para estimulá-lo a pensar estrategicamente:

  • Quantos copos de suco você pretende vender?
  • Quanto custaria cada copo?
  • O que devemos comprar para fazer todos esses copos? Quanto vai nos custar?
  • Quanto tempo você vai se dedicar à venda do suco?

São nestes exercícios simples, feitos em família, com auxílio da escola, que vemos o despertar de jovens mais conscientes da sua capacidade empreendedora, de tomar decisões tendo uma visão global dos negócios, e de assumirem a liderança no futuro, em suas profissões.

Confira na íntegra a entrevista concedida por Joe Weider à rádio CBN Goiânia.

Conheça as dez características comuns a todos os empreendedores.

 


Sobre Joe Weider

Mestre em Administração; Coordenador do MBA Empreendedorismo e Inovação do IPOG; e Professor de Cenários, Estratégia Competitiva e Inteligência, do Instituto de Pós-Graduação e Graduação do IPOG.

Comentários