Farmacêutico: conheça as regras para vacinação em farmácias
3 minutos de leitura
09 de Abril de 2018

Farmacêutico: conheça as regras para vacinação em farmácias e drogarias

Em dezembro do ano passado a Anvisa aprovou a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) nº 197/2017 que autoriza o serviço de  vacinação em farmácias em todo o Brasil. Dessa forma, são mais de 82 mil farmácias e drogarias privadas que poderão oferecer esse serviço.

E você, farmacêutico empreendedor, conhece quais regras são necessárias para realizar o serviço de vacinação em sua farmácia ou drogaria? Então, confira nesse artigo os requisitos mínimos exigidos pela Anvisa.

Vacinação em farmácias

“RDC Nº 197, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2017: dispõe sobre os requisitos mínimos para o funcionamento dos serviços de vacinação humana.”

Essa medida para ampliar os postos de vacinação tem o objetivo de facilitar o acesso da população a esse serviço e oferecer segurança com a aplicação realizada por um profissional da saúde apto e capacitado para essa função.

Regras para vacinação em farmácias e drogarias

Conheça as regras que as farmácias e drogarias devem seguir para prestar o serviço de vacinação e garantir a saúde e segurança do paciente:

  • Adquirir alvará de licenciamento com a permissão da vigilância sanitária para a prestação do serviço;
  • Cadastrar e manter dados atualizados no CNES – Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde;
  • Afixar o Calendário Nacional de Vacinação do SUS e indicar quais vacinas serão disponibilizadas de acordo com o calendário;
  • Possuir um Responsável Técnico e um substituto;
  • Ter profissional legalmente habilitado para a vacinação;
  • Capacitar continuamente os profissionais envolvidos na prestação do serviço de vacinação, desde a pessoa responsável por transportar o medicamento até o responsável por realizar o descarte correto;
  • Utilizar vacinas autorizadas pela Anvisa;
  • Espaço exclusivo com instalações e estrutura física e equipamentos adequados para o serviço de vacinação;
  • Identificar que o estabelecimento oferece o serviço de vacinação;
  • Armazenar adequadamente as vacinas para garantir a conservação, segurança e eficácia do medicamento imunobiológico em câmaras de refrigeração próprias para vacinas, com temperatura entre 2°C a 8°C;
  • Registrar, monitorar e controlar diariamente as temperaturas do equipamento destinado à conservação da vacina;
  • Transportar as vacinas em caixas térmicas com a temperatura adequada conforme a indicação do fabricante;
  • Dispensar as vacinas mediante a prescrição médica, exceto as que estão programadas no Calendário Nacional de Vacinação do SUS;
  • Registrar as vacinas no cartão de vacinação do paciente. Caso o usuário não tenha cartão de vacinação, o estabelecimento deve providenciar um novo documento e registrar a aplicação;
  • Ter prontuário dos pacientes com registro das vacinas aplicadas;

Estrutura física adequada para realizar a vacinação em farmácias e drogarias

Para oferecer o serviço de vacinação, os estabelecimentos devem conter os seguintes itens obrigatórios:

– Área de recepção separada da sala de vacinação;

– Sala de vacinação com pia de lavagem, bancada, mesa, cadeira, caixa térmica de fácil higienização, equipamento para refrigeração para guardar e conservar os medicamentos regularizado pela Anvisa, local para guardar os materiais de aplicação das vacinas, recipientes para o descarte de materiais utilizados na vacinação, maca e termômetro de momento com cabos extensores para as caixas térmicas.

– Sanitário;

Essas são as principais regras exigidas pela Anvisa que farmácias e drogarias devem se adequar para oferecer o serviço de vacinação. Esse é um grande momento e um avanço para nossa área se posicionar e ganhar ainda mais autoridade como profissionais e estabelecimentos de saúde. Além disso, esse serviço agrega também como mais uma fonte de receita (R$) para estabelecimento.

O meu conselho é: aproveite essa rica oportunidade para se adequar a essas normas para prestar um serviço de vacinação de excelência. Saúde, segurança e comodidade para o seu paciente/cliente!

Professor Vandré Abreu


Artigos relacionados

Perícias médicas judiciais: quais normas o perito médico deve cumprir? O último Relatório Justiça em Números, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), divulgou que em 2015 tramitaram mais de 854.000 demandas judiciais da saúde no Brasil. O fenômeno da judicialização da saúde nos mostra um mercado bastante promissor para quem quer s...
Políticas de saúde: você conhece os princípios do SUS? Você conhece os princípios que regem o Sistema Único de Saúde (SUS)? Sabe a importância deles para o funcionamento do sistema? Nesse artigo você conhecerá os princípios que norteiam todas as ações, questões políticas, administrativas e técnicas da implantação ...
5 dicas para ser um bom gestor de saúde Além de exercer o papel de líder, o gestor de saúde deve saber escutar os que estão a sua volta para otimizar a execução do trabalho. O acesso à saúde privada, apesar da crise financeira do país, acabou aumentando nos últimos anos e a demanda por um atendiment...

Sobre Vandré Mateus

Farmacêutico há 19 anos pela Universidade Camilo Castelo Branco - SP; Mestre em Ciências da Saúde com ênfase em Atenção Farmacêutica; Especialista em Farmácia Hospitalar e Farmácia Clínica pela Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar; Capitão Farmacêutico do Hospital da Polícia Militar do Estado de São Paulo; Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar; Consultor de empresas no Ramo Farmacêutico. Professor e coordenador dos cursos de pós-graduação em Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica e Farmácia Hospitalar & Serviços de Saúde do IPOG.

Comentários