Você sabe o que é a Neuropsicologia?
4 minutos de leitura
31 de agosto de 2018

Você sabe o que é a Neuropsicologia?

A Neuropsicologia é uma área de interface entre a Neurologia e a Psicologia. De um lado há o estudo detalhado do sistema nervoso e do outro há a análise do comportamento humano e dos processos psicológicos.

Quer saber mais sobre essa área? Neste artigo você encontrará informações importantes sobre o que é a Neuropsicologia, como se tornar um profissional desse segmento e as principais oportunidades identificadas no mercado de trabalho.

O que é a Neuropsicologia?

A Neuropsicologia é uma especialidade da psicologia que estuda e compreende como o cérebro influencia em nossas funções cognitivas, como:

  • Atenção;
  • Memória;
  • Raciocínio;
  • Capacidade de julgamento;
  • Comportamento;
  • Emoções.

O Conselho Federal de Psicologia, na Resolução 002/ 2004, que institui a Neuropsicologia como especialidade, define a área como aquela que:

Atua no diagnóstico, no acompanhamento, no tratamento e na pesquisa da cognição, das emoções, da personalidade e do comportamento sob o enfoque da relação entre estes aspectos e o funcionamento cerebral. Utiliza-se para isso de conhecimentos teóricos angariados pelas neurociências e pela prática clínica, com metodologia estabelecida experimental ou clinicamente.”

O foco e escopo de estudo da Neuropsicologia tem por objetivo entender qual o papel dos sistemas cerebrais individuais em formas complexas de atividades mentais. Um dos mais renomados autores da área, o psicólogo Alexander Lúria, diz que o propósito da Neuropsicologia é:

Generalizar ideias modernas concernentes à base cerebral do funcionamento complexo da mente humana e discutir os sistemas do cérebro que participam na construção de percepção e ação, de fala e inteligência, de movimento e atividade consciente dirigida a metas.” ( Luria,1981, p. 4).

Para entender melhor, podemos ver o início desta área científica, que surge no final do século XIX (início do século XX), atendendo a uma demanda emergente que era a de avaliar as lesões cerebrais e alterações comportamentais, de raciocínio, memória e linguagem, dos soldados que foram feridos durante a guerra.

Nasce fortemente com essa percepção a ideia de que o cérebro influencia diretamente nestas funções. Compreendê-las também significaria pensar em melhores intervenções para este público.

Desde então, tem sido fortemente crescente as pesquisas, contribuições e avanços nesse segmento da psicologia. Profissionais de áreas multidisciplinar, percebem a relevância do que é a neuropsicologia e ainda como a especialidade contribui para o melhor diagnóstico e prognósticos de pacientes, que por algum sintoma necessitam ser avaliados.

Por exemplo, se um idoso ou familiar perceber que ele está tendo falhas de memória, tremor nos membros, redução da capacidade de realizar tarefas, é muito importante procurar a ajuda de um neuropsicólogo para investigar e avaliar se há alguma alteração fora do esperado para a idade do idoso.

Outro exemplo bem comum é de pais que procuram tratamento para uma criança que apresenta dificuldades de aprendizado na escola e relacionamento com os colegas.

O que um Neuropsicólogo faz?

Agora que você já sabe o que é a neuropsicologia, é hora de entender sobre as atuações do profissional da área.

O Neuropsicólogo tem a função de avaliar, investigar e criar hipóteses para desenvolver um plano de tratamento para o paciente juntamente com uma equipe multidisciplinar de profissionais da saúde.

Há profissionais de neuropsicologia que trabalham como pesquisadores para o estudo do cérebro associado ao desempenho cognitivo e comportamentais e também especialistas que atuam no contexto clínico.

Lesões cerebrais, demência, transtornos de aprendizagem, doença de Parkinson e Alzheimer e qualquer deficiência cognitiva que interfira negativamente nos relacionamentos interpessoais, na escola, trabalho e na rotina diária, são geralmente os casos que precisam do acompanhamento de um Neuropsicólogo.

O relatório do perfil neuropsicológico do paciente é feito por meio de:

  • Entrevistas com pacientes e familiares;
  • Testes;
  • Avaliações;
  • Observação clínica e outros processos.

Com os resultados das avaliações, o médico ou outro profissional da saúde especializado que solicitou a consulta com o neuropsicólogo, recomenda o tratamento adequado, seja com medicação, terapia, reabilitação, etc.

É importante lembrar que o trabalho do neuropsicólogo é sempre multidisciplinar e não cabe ao psicólogo prescrever medicamentos.

Quais as habilidades necessárias que um Neuropsicólogo precisa ter?

Para desenvolver a sua carreira como especialista em Neuropsicologia é imprescindível ter as seguintes habilidades:

  • Ser ético;
  •  Ter interesse por pessoas;
  • Escuta atenta;
  • Capacidade de se conectar com os pacientes;
  • Capacidade de analisar dados;
  • Muita atenção;
  • Grande capacidade de observação;
  • Pensamento crítico;
  • Estudar e pesquisar continuamente;

Mercado de trabalho da Neuropsicologia

O mercado de trabalho para profissionais especializados em Neuropsicologia é amplo e vem crescendo bastante mundialmente. O atendimento pode abranger pessoas com ou sem comprometimento, pois o intuito é a avaliação.

Geralmente as grandes demandas são de pessoas com traumas cerebrais, assim como pacientes com distúrbio de aprendizagem, dificuldades na execução de rotinas diárias, perda de memória, atenção ou outra função cognitiva.

O psicólogo com especialização em Neuropsicologia poderá atuar em instituições de ensino, contribuindo com pesquisas relacionadas a grande área da Neuropsicologia, assim como a área da Reabilitação Neuropsicológica.

Uma das maiores demandas do profissional está em Clínicas, Consultórios e Hospitais, com foco tanto em Avaliação quanto em Reabilitação.

São casos encaminhados por outros profissionais da área da saúde (médicos psiquiatras, neurologistas, pediatras, dentre outros), assim como encaminhados por professores e outros profissionais da educação, ou mesmo uma busca realizada por iniciativa dos familiares ou do próprio paciente. Há ainda a possibilidade de atuação em instituições psiquiátricas e na realização de Perícia Forense.

Por envolver aspectos tão primordiais do funcionamento do ser humano, esta é uma área indicada pelo Conselho Federal de Psicologia, como sendo uma das 11 possibilidades que um psicólogo pode optar para adquirir o título de especialista.

Ainda sobre a área de atuação, o Conselho Federal de Psicologia, na resolução 002/2004, diz que:

Na interface entre o trabalho teórico e prático, seja no diagnóstico ou na reabilitação, também desenvolve e cria materiais e instrumentos, tais como testes, jogos, livros e programas de computador que auxiliam na avaliação e reabilitação dos pacientes.”

Para você que se interessou por essa área, conheça a pós-graduação em Neuropsicologia do IPOG, exclusivo para profissionais de psicologia, e se especialize.


Artigos relacionados

Desafios da liderança para o crescimento da indústria farmacêutica A demanda por medicamentos cresce devido a essencialidade do produto e pela preocupação das pessoas com a saúde, bem-estar, qualidade de vida e estética, influenciando no crescimento da indústria farmacêutica. O aumento da expectativa de vida no Brasil, o maio...
Você sabe o que é Erro Médico? Conheça os seus direitos O erro médico é um problema com altos índices de denúncia na justiça e em conselhos de medicina. Em 2014, mais de 643 profissionais receberam punições do Conselho Federal de Medicina (CFM). O dado foi divulgado em uma matéria publicada pelo jornal O Estadão.  ...
7 recomendações para implementar um programa de Compliance na indústria farmacêutica O setor farmacêutico é regulado e regido por leis rigorosas para, principalmente, proteger a saúde do usuário do medicamento. E para que essas leis sejam cumpridas, a área de Compliance tem o papel fundamental de conduzir as relações comerciais de um negócio d...

Sobre Poliana Landin

Mestre em Psicologia com ênfase em Avaliação Psicológica, sócia-fundadora do Instituto Goiano de Psicologia Positiva (IGPP) e coordenadora dos cursos de Desenvolvimento Humano e Psicologia Positiva; Avaliação Psicológica; e Neuropsicologia do IPOG.

Comentários