Mentoria: saiba porque você precisa imediatamente desta ajuda
6 minutos de leitura
20 de março de 2018

Mentoria: saiba porque você precisa imediatamente desta ajuda

Diversas vezes no mercado de trabalho esbarramos em questões que são difíceis de resolver, pois nos falta algo simples, mas que é conquistado com o tempo: experiência. Nessas horas, bate aquela dúvida de qual decisão tomar ou qual caminho seguir.

Antes de achar esta resposta, imagine se diante dessas problemáticas pudéssemos contar com alguém que já trilhou esse percurso, conhece essas pedras no caminho e, o melhor, já solucionou a sua dúvida e muitas outras que surgirão depois.  Parece algo impossível, mas essas são algumas das atribuições de um mentor.

Este profissional tem se tornado cada vez mais uma peça chave nas organizações, pois possui o intuito de ajudar os gestores a tomarem decisões. No post de hoje, vamos conhecer sobre funções e demandas de um mentor. Além disso, vamos esclarecer o que você precisa ter em mente antes de contar com este profissional.

Mentor e Telêmaco

O termo “mentor” veio do grego, e se referia a um personagem da Odisseia, de Homero. No poema, ele era um sábio e amigo de Ulisses, rei de Ítaca. Mentor foi incumbido de cuidar do príncipe Telêmaco enquanto o pai estivesse na guerra de Tróia. Após muitos anos sem o rei retornar, o filho parte em busca de Ullisses. A jornada é feita na companhia de Mentor quem dá suporte, orientação e inspira o jovem Telêmaco em sua busca pelo pai.

Desde então, a palavra mentor passou a ser usada para se referir  a alguém que compartilha sua sabedoria, experiência e conhecimento com colegas menos experientes. O termo entrou para os dicionários de francês e inglês, em 1750, como sinônimo de conselheiro e sábio.

Mentoria na prática

O mentor é aquele profissional que mais conhece um determinado mercado de trabalho, uma profissão ou uma atividade em que se encontra e se disponibiliza a oferecer suporte e encorajamento para que outra pessoa gerencie e aprimore a sua performance e carreira.

Para isso, é importante que este “especialista” tenha experiência a fundo no assunto para que ele saiba nortear o cliente sobre estratégias e ações corretas dentro do negócio ou área de atuação.

“O foco do mentor é o progresso e o crescimento do mentorado”

Mentorar não é dar aulas particulares, mas sim guiar o caminho do cliente sobre a área, aconselhar sobre a carreira e ajudar na tomada de decisões. Lembrando que este profissional auxilia nestas questões com base nas suas experiências, conhecimento e vivências.

Vantagens de ter um mentor

Para entender quais são as vantagens de se ter um mentor é importante ver este profissional como um aliado na trajetória para o seu objetivo. Imagine que você possua uma empresa que vende pães e quer que a sua organização cresça e se torne uma grande franquia. (A ideia vale também para outros empreendimentos e metas, tudo bem?). Para isso você poderá contar com o apoio de alguém que já trilhou este caminho, atuou no mesmo setor e atingiu a estabilidade e patamar desejado por você.

Ou então, você está iniciando em uma profissão e está se sentindo ainda inseguro sobre os aspectos práticos e os problemas não apenas relacionados ao conhecimento técnico, mas às experiências e vivência nesta profissão. Você poderia procurar um profissional experiente, de sucesso, que já tenha passado por esta fase em que você está, que poderia ser o seu mentor.

O mentor auxiliará no seu percurso compartilhando os erros e acertos que ele cometeu para construir a carreira.

Ao contrário dos outros métodos de ensino, você não terá que errar para compreender o que é melhor para a sua organização. O mentor tem como função acelerar o processo, fazendo com que o aprendiz atinja mais rápido o seu objetivo.

Para simplificar:

“A mentoria visa ajudar o mentorado a alcançar a sua meta, mas fazendo com que ele encontre um caminho que seja mais promissor tanto para si próprio quando para o seu negócio”

Quem pode ter um mentor?

A boa notícia é que qualquer profissional de qualquer área pode ter um mentor. Aqui não importa se você é recém-formado ou está há muito tempo no mercado de trabalho, o importante para contatar esse profissional é querer ajuda para crescer.

Lembre-se: a mentoria não é apenas um processo rumo ao sucesso profissional e sim um aliado para a sua vida.

É importante também lembrar que o Mentoring é, em sua essência, um processo de desenvolvimento humano e Mentor e Mentorado evoluem juntos. Ao realizar o processo de mentoria, o Mentor acaba por revisar seus próprios conhecimentos e realiza uma troca de ideias e experiências com o mentorado que proporciona o desenvolvimento de ambos.

Como funciona a mentoria?

Outra grande vantagem do processo é que ele pode ser bem flexível. Os encontros podem ser tanto presenciais quanto feitos de forma online.

É comum que no início os encontros possam ser mais frequentes e com o tempo eles passem a ser mais espaçados. A mentoria pode ser dividida em oito ou 10 sessões, semanais, quinzenais ou mensais, que podem ser presenciais e ou a distância (com uso de ferramentas de teleconferência).

O serviço pode ser prestado de forma gratuita, quando ocorre dentro da empresa que ambos (mentor e mentorado) trabalham, mas é comum que o mentor elabore um pacote que preveja uma remuneração pelo trabalho, de acordo com a meta e necessidade do mentorado.

Quanto tempo pode durar uma mentoria?

Ao contrário das aulas particulares, do coaching e de outros processos de aprendizagem, a mentoria não possui uma limitação de tempo e de sessões.

No geral, o processo pode durar conforme a necessidade e disponibilidade do cliente e ou também pelo tempo que o mentor achar necessário.

Aspectos a serem observados na hora de contratar um profissional

Antes de contratar os serviços de um mentor é necessário estar atento a alguns requisitos:

  • Experiência: essa palavra é primordial na hora de se contratar o serviço de um profissional, mas lembre-se uma peça não faz um quebra-cabeça, por isso é necessário estar atento também a outras questões;
  • Empatia: atenção para esta palavrinha, pois ela é um fator importante na construção da relação e do processo de aconselhamento e troca de experiência do mentor para o mentorado;
  • Saber ouvir: este aspecto é bem relevante já que o profissional precisa entender as necessidades e dúvidas de seu cliente.

Pressupostos do Mentoring

  1. Mentoring é um processo de aprendizagem: Mentor e mentee constroem juntos um aprendizado calcado na experiência e no intercâmbio de conhecimentos;
  2. Mentoring acontece com engajamento: O mentoring tem mais sucesso quando é realizado de forma colaborativa. Comprometimento e engajamento dos parceiros de mentoring (mentor e mentee) são elementos chave para se estabelecer, manter e experienciar uma relação de mentoring de sucesso;
  3. Mentoring exige foco nos aprendizes (mentor e mentee aprendem), no processo de aprendizagem (como estão aprendendo) e no aprendizado (resultado final do processo).
  4. O mentee é parceiro ativo no processo de Mentoring.

Princípios de aprendizagem de adultos aplicados ao Mentoring

  • Adultos aprendem melhor quando estão envolvidos em diagnosticar, planejar, implementar e avaliar o próprio aprendizado;
  • O papel do facilitador (mentor) é criar e manter um ambiente de suporte, que promova as condições necessárias para o aprendizado acontecer;
  • Adultos, para aprenderem melhor, têm necessidade de terem autonomia;
  • A prontidão para aprender aumenta quando há uma necessidade específica de conhecimento;
  • As experiências de vida do mentor e do mentee são recursos primários de aprendizado. As experiências de vida de outras pessoas enriquecem o processo;
  • Adultos têm uma necessidade de aplicação imediata do aprendizado.

Mentoria nas organizações

Atualmente, quando uma empresa precisa de um aconselhamento é comum que ela acione colaboradores antigos e que possuem muito tempo de experiência naquela determinada função. O mentor inclusive pode ser chamado para treinar novos funcionários que assumiram há pouco tempo aquele cargo.

A mentoria nos Estados Unidos já é uma realidade presente no cotidiano das organizações. Uma pesquisa realizada pela Harvard Business Review, uma das mais respeitadas revistas de administração do mundo, aponta que dois terços dos executivos estadunidenses já tiveram um mentor.

Foram ouvidas 1.250 pessoas no estudo.  Além disso, os executivos que tiveram mentoria são mais bem recompensados e mais satisfeitos com o trabalho que os colegas que não contaram com a mesma orientação de carreira.

Um exemplo que se tornou conhecido mundialmente sobre a aplicação do serviço aconteceu na presidência da GE. O ex-presidente Jack Welch passou um bom tempo como mentor de seu sucessor, Jeff Immelt.

No caso de buscar um profissional no mercado para ser seu mentor, você deve focar nas competências, conhecimento, experiência profissional e vivências que o mentor deve ter para atender a sua necessidade.

E você, já pensou nessa possibilidade para sua carreira?

 


Artigos relacionados

5 práticas para se tornar um gestor financeiro de sucesso O gestor financeiro é aquele profissional multitarefas, encarregado de conduzir o bom andamento financeiro de uma organização. Sua tarefa inclui muitas atividades desafiadoras que envolvem a análise, organização, controle e planejamento de novos objetivos de n...
Tatuagem x Mercado de Trabalho Apesar de muitos conceitos estarem mudando, ainda no século 21 o assunto que envolve tatuagem e mercado de trabalho ainda gera polêmica. Do ponto de vista de algumas empresas a imagem de seus colaboradores ainda significa muito e uma tatuagem interfere bastant...
Como montar um supertime para empreender Ideias brilhantes sempre foram fruto de pessoas brilhantes que conseguiram executar um insight inicial, e através do percurso empreendedor foram encontrando o caminho até esse grande negócio. O fato é que apenas equipes de elite são capazes de fazer isso. Gera...

Sobre Joe Weider

Mestre em Administração; Coordenador do MBA Empreendedorismo e Inovação do IPOG; e Professor de Cenários, Estratégia Competitiva e Inteligência, do Instituto de Pós-Graduação e Graduação do IPOG.

Comentários