Assuntos Regulatórios: quem são os profissionais que podem atuar nesta área?
2 minutos de leitura
28 de maio de 2018

Assuntos Regulatórios: quem são os profissionais que podem atuar nesta área?

Assuntos Regulatórios

Você sabe o que faz um especialista em assuntos regulatórios? Sabe também sobre os postos de trabalho que ele pode ocupar e quais são as suas principais funções? Esse profissional é essencial nas empresas sanitariamente reguladas, como as de indústria farmacêutica, alimentícia, cosmética e de produtos médicos.  E se você quer conhecer melhor sobre ele, está no lugar certo!

A importância de um profissional em assuntos regulatórios

Para comercializar produtos sanitariamente regulados, todas as empresas precisam primeiramente estar devidamente legalizadas. Após a devida regularização, essas empresas devem ainda ser registradas, cadastradas e/ou notificadas perante a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e ou Ministério da Agricultura (MAPA).

Apenas depois de publicado o deferimento do processo de registro/cadastro no Diário Oficial da União, a empresa detentora do registro ou cadastro ou notificação estará autorizada a fabricar, importar e comercializar estes produtos em todo o território nacional.

Contudo, o caminho até o êxito não é simples e muito menos possível quando se tem profissionais despreparados e sem conhecimento técnico específico para atuar nessas empresas.

Nesse sentido, a pessoa que deseja trabalhar na área de assuntos regulatórios deve se preparar muito bem para conseguir oferecer total suporte, técnico e legal, para a obtenção e alteração do registro, cadastramento e notificação de produtos nas mais diversas áreas reguladas, tais como medicamentos, produtos médicos, cosméticos, medicamentos veterinários, alimentos, saneantes e domissanitários, dentre outros.

Por que ele é tão respeitado pelas organizações?

Estes profissionais são muito estimados pelas equipes multidisciplinares em suas empresas, pois seu conhecimento aprofundado para o compliance da organização é de imprescindível contribuição para as equipes bem-sucedidas.

Para ter oportunidades neste mercado de trabalho altamente complexo e regulado, estes profissionais, responsáveis pelo cumprimento da regulamentação em suas organizações, devem se especializar em conhecer de forma aprofundada as leis, resoluções e decretos.

Além disso, devem ainda preparar, analisar e renovar a documentação legal da empresa para a manutenção das autorizações de funcionamento e registro/cadastro de produtos junto a ANVISA e outros órgãos reguladores.

Eles também atuam elaborando dossiês referentes ao registro e alterações pós-registro, visando o cumprimento das exigências que sejam exaradas pelos agentes reguladores.

A média salarial de um Analista Júnior no Brasil é de R$ 4.300,00; um gerente de assuntos regulatórios em uma empresa de grande porte, por sua vez,  pode ganhar na faixa de R$ 17 a 20 mil reais por mês.

Qual a formação dos profissionais que podem ser atuantes na área de assuntos regulatórios?

Engana-se quem pensa que somente profissionais farmacêuticos atuam neste setor dentro das mais diversas empresas. A regulação de empresas e de produtos pode e deve ter profissionais das mais diversas áreas do conhecimento, como enfermeiros, engenheiros, biólogos, médicos, advogados, administradores, químicos, veterinários, economistas e etc.

Se você deseja ser um profissional requisitado, ter um bom salário e ser respeitado pelo importante papel que irá desempenhar dentro das organizações sanitariamente reguladas, venha para o curso de Assuntos Regulatórios: O Pós-Registro de Medicamentos e a RDC N.73/16 do IPOG e prepare-se para ser um grande especialista!


Artigos relacionados

O que é o TDAH e qual o impacto do transtorno na vida dos pacientes? Segundo a quinta edição do Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais (DSM-5), o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é um transtorno do neurodesenvolvimento. Portanto, os primeiros sintomas do transtorno aparecem durante a in...
7 recomendações para implementar um programa de Compliance na indústria farmacêutica O setor farmacêutico é regulado e regido por leis rigorosas para, principalmente, proteger a saúde do usuário do medicamento. E para que essas leis sejam cumpridas, a área de Compliance tem o papel fundamental de conduzir as relações comerciais de um negócio d...
#OutubroRosa: sintomas, fatores de risco, prevenção e direitos das mulheres com câncer de mama Estamos em outubro e o assunto destaque nesse mês é o câncer de mama. O movimento Outubro Rosa promove ações para divulgar informações sobre o câncer de mama e  conscientizar sobre a importância do diagnóstico precoce da doença. É preciso falar abertamente ...

Sobre Roberta Simões

Farmacêutica, Mestre e Doutora em Farmacologia, Anestesiologia e Terapêutica pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP e coordenadora do curso de pós-graduação em Gestão Industrial Farmacêutica.

Comentários