Acompanhamento farmacoterapêutico contribui para melhorar a saúde do paciente
4 minutos de leitura
20 de fevereiro de 2018

Como o acompanhamento farmacoterapêutico contribui para melhorar a saúde do paciente usuário de medicamentos?

Mesmo após as orientações realizadas por médicos durante uma consulta e pelo farmacêutico no momento da dispensação do fármaco, ainda não são suficientes para garantir que o paciente faça o uso correto dos medicamentos em casa. Para evitar qualquer problema de saúde decorrente ao uso indevido de medicamentos, o acompanhamento farmacoterapêutico é um serviço que tem o objetivo de evitar o uso inadequado do fármaco e melhorar a saúde do paciente.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o uso incorreto de medicamentos é um problema de saúde que atinge 50% dos usuários de medicamentos em todo o mundo.  Dados da Associação Brasileira das Indústrias Farmacêuticas (Abifarma) apontam que cerca de 20 mil pessoas morrem no País devido à prática da automedicação.

Se você tem o interesse de conhecer o que é esse serviço e como ele deve ser feito, nesse post vamos esclarecer tudo o que você farmacêutico precisa saber para realizar o acompanhamento farmacoterapêutico. Boa leitura!

O que é o acompanhamento farmacoterapêutico?

A Resolução nº 585/13 do Conselho Federal de Farmácia regulamenta as atribuições clínicas do farmacêutico com o objetivo de promover, proteger e recuperar a saúde do paciente. O acompanhamento farmacoterapêutico se enquadra como um serviço clínico executado por um farmacêutico e visa ajudar o paciente a fazer o uso correto de medicamentos para garantir a sua saúde, bem-estar e qualidade de vida.

O acompanhamento farmacoterapêutico integra o conjunto de práticas da atenção farmacêutica e busca os melhores resultados da farmacoterapia a partir de uma assistência próxima sobre uso correto do uso dos medicamentos, monitoramento frequente do tratamento e foco nas necessidades clínicas individuais do paciente.

Os principais problemas que comprometem o sucesso do tratamento farmacológico são:

  • Falta de adesão ao tratamento correto;
  • Associação de medicamentos com a automedicação;
  • Administração de doses por conta própria;

E essas práticas podem causar:

  • Falta de reposta ao tratamento;
  • Reações adversas;
  • Efeitos inesperados;
  • Interações e intoxicações medicamentosas;
  • Problemas de saúde;

A prática da automedicação que traz muitos prejuízos à saúde. E isso se agrava muito mais quando um paciente idoso ou com alguma doença crônica faz o uso incorreto de medicamentos.

Como é realizado o acompanhamento farmacoterapêutico?

No acompanhamento farmacoterapêutico, o farmacêutico realiza consultas periódicas com o paciente, monitora resultados e identifica problemas relacionados ao uso de medicamentos.

O atendimento farmacoterapêutico exige uma estrutura adequada e organizada em uma sala específica ou um consultório farmacêutico. O serviço deve ser oferecido com privacidade para garantir o conforto do paciente.

Acompanhamento farmacoterapêutico em 4 etapas:

1ª etapa:

A primeira consulta tem o objetivo de coletar dados do paciente sobre o seu histórico de saúde e de uso de medicamento e conhecer a sua rotina e necessidades clínicas. É importante verificar se o paciente fez consulta ao médico anteriormente e avaliar minunciosamente os medicamentos prescritos.

2ª etapa:

A partir da avaliação dos dados coletados na consulta, o farmacêutico identifica problemas relacionados ao uso dos medicamentos para traçar um plano de cuidados. Todas as informações coletadas e geradas para o paciente precisam ser documentadas.

3ª etapa:

O farmacêutico estabelece um plano de cuidado para apresentar ao paciente. Esse plano deve ser executado com o monitoramento do profissional de saúde. Oriente o paciente sobre o uso correto o medicamento e todas possíveis reações adversas, interações medicamentosas que podem ocorrer a partir do uso incorreto do fármaco.

É fundamental que o farmacêutico coloque no papel todas as orientações feitas oralmente, é um recurso imprescindível para que o paciente não esqueça ou confunda as instruções.

Também é muito importante trabalhar de forma integrada com o médico do paciente e reportar a ele o plano de cuidado e as intervenções sugeridas.

4º etapa:

Programar consultas periódicas para acompanhamento e avaliação de resultados.

O grande desafio é fazer com que o paciente faça uma adesão plena do plano de cuidado. O paciente precisa incorporar na vida dele a importância de fazer o uso correto do medicamento em casa, dando continuidade no tratamento de acordo com a recomendação do farmacêutico.

Competências e habilidades para realizar o acompanhamento farmacoterapêutico

O acompanhamento farmacoterapêutico é um serviço complexo que exige que farmacêutico seja especialista em Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica e tenha conhecimentos em fisiopatologia, farmacoterapia, farmacologia, interações medicamentosas e metodologias para acompanhamento dos pacientes.

Além disso, o profissional da saúde precisa ter excelente comunicação, empatia para se colocar no lugar do paciente e compreendê-lo melhor, atenção e estabelecer uma relação de cuidado.

O farmacêutico deve se concentrar no propósito do acompanhamento farmacoterapêutico: garantir excelentes resultados da farmacoterapia e contribuir com a saúde, bem-estar e qualidade de vida das pessoas a partir de uma terapia medicamentosa eficiente. É importante ressaltar que esse é um dos caminhos para a valorização do farmacêutico como profissional de saúde. Avante!

Se você gostou desse artigo, cadastre seu e-mail para receber conteúdos exclusivos sobre Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica.

 

 


Artigos relacionados

Como o farmacêutico pode atuar no mercado de suplementos alimentares? Os suplementos alimentares está cada vez mais ajudando atletas, praticantes de atividades físicas, idosos, gestantes e pessoas com alguma carência nutricional a ter uma vida mais saudável e com mais qualidade de vida. O mercado de suplementação alimentar ve...
Conheça as principais tecnologias que auxiliam o setor de saúde Se antigamente os diagnósticos médicos, exames e avaliações aconteciam muito mais por experiência do médico, hoje, a medicina avançou e cada dia surgem novos aparelhos e métodos para trazer uma maior estabilidade à saúde das pessoas. No decorrer dos séculos, a...
Cirurgia plástica estética: conheça as principais orientações preventivas A busca pela transformação da aparência física por meio da cirurgia plástica estética aumenta mediante as novas técnicas cirúrgicas, aos resultados surpreendentes, ao maior acesso à classe média e pelo desejo das pessoas em alcançar o ideal da beleza e não fic...

Sobre Vandré Mateus

Farmacêutico há 19 anos pela Universidade Camilo Castelo Branco - SP; Mestre em Ciências da Saúde com ênfase em Atenção Farmacêutica; Especialista em Farmácia Hospitalar e Farmácia Clínica pela Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar; Capitão Farmacêutico do Hospital da Polícia Militar do Estado de São Paulo; Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar; Consultor de empresas no Ramo Farmacêutico. Professor e coordenador dos cursos de pós-graduação em Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica e Farmácia Hospitalar & Serviços de Saúde do IPOG.

Comentários