Como se tornar um fisioterapeuta esportivo?
3 minutos de leitura
08 de junho de 2018

Como se tornar um fisioterapeuta esportivo?

Fisioterapeuta Esportivo

Seja pela busca de uma melhor qualidade de vida, saúde, por questões estéticas, hobby, lazer ou pela profissão, a prática de esportes e atividades físicas conquista cada vez mais adeptos, o que demonstra que o mercado está favorável para o fisioterapeuta esportivo.

De acordo com o Diagnóstico Nacional do Esporte realizado pelo Ministério do Esporte em 2013, 54% da população brasileira pratica regularmente algum tipo de atividade física e esportes.

Em geral, tais práticas exigem um intenso desempenho mental e físico que pode proporcionar lesões. Esse é um cenário que gera grandes oportunidades profissionais para o fisioterapeuta esportivo. Quer saber mais sobre essa profissão? Então leia esse artigo e saiba o que é Fisioterapia Esportiva e como se tornar um profissional requisitado.

O que é Fisioterapia Esportiva?

A Fisioterapia Esportiva é uma especialidade da Fisioterapia que trabalha em prol da prevenção e tratamento das possíveis lesões associadas à prática de esportes e atividades físicas.

O Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO) reconheceu a especialidade em 2007 por meio da Resolução nº 337, e define que:

Art. 2 – § 1º. A Atuação do Fisioterapeuta na Especialidade em Fisioterapia Esportiva se caracteriza pelo exercício profissional desde a promoção de atenção básica direta à saúde do paciente por meio do diagnóstico cinético-funcional bem como a eleição e execução de métodos fisioterapêuticos pertinentes a este”.

Outra resolução importante para essa profissão é a nº 395/2011, que disciplina a atividade do fisioterapeuta no exercício da especialidade profissional em Fisioterapia Esportiva.

O que faz um Fisioterapeuta Esportivo?

 

A prática de esportes e atividades físicas exige habilidades mentais e físicas tais como: concentração, empenho, repetição de gestos, posturas estáticas e forças intensas que podem favorecer diversos tipos de lesões, como contusões, fraturas, luxações, tendinopatias, dentre outras.  O joelho, por exemplo, é uma das articulações que mais requer atenção.

Em primeiro lugar, o Fisioterapeuta Esportivo precisa ser um profissional plenamente capacitado para promover as prevenção de lesões e a recuperação funcional no menor espeço de tempo possível respeitando os limites fisiológicos individuais de forma que o atleta possa voltar aos treinos e atividades.

Para atuar nessa área, o profissional deve ter profundo conhecimento de inúmeras ciências, incluindo Anatomia Humana, Biomecânica, Fisiologia Humana, Ortopedia, Traumatologia, além dos gestuais esportivos e procedimentos fisioterapêuticos.

A Fisioterapia Esportiva é muito competitiva e tem um amplo campo de atuação, exigindo grande dedicação e habilidades do fisioterapeuta de forma a se destacar no mercado.

Como se tornar um Fisioterapeuta Esportivo?

 

Para se tornar um Fisioterapeuta Esportivo é necessário:

  • Ser graduado em Fisioterapia;
  • Ser inscrito no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO);
  • Ser especialista em Fisioterapia Esportiva por meio de um curso de pós-graduação.

Principais habilidades de um Fisioterapeuta Esportivo

 

São muitas as competências necessárias, tanto na parte técnica como na humana, tais como:

  • Perseverar para não desistir frente ao fracasso;
  • Ter hábitos saudáveis de estudo e saúde geral;
  • Assumir riscos pois sem eles não há grandes conquistas;
  •  Inteligência emocional para compreender e gerenciar os próprios sentimentos,;
  • Organização para determinar metas;
  • Abnegação para alcançar os objetivos;
  • Empenho para estudar em alto nível.

Outra dica fundamental para quem quer seguir essa área é cursar uma pós-graduação na área. Se você deseja se tornar um fisioterapeuta especialista em Traumato-Ortopedia e Esportiva, conheça o curso de Especialização Master em Fisioterapia Traumato-Ortopédica e Desportiva do IPOG.

Alguns de seus diferenciais incluem:

  • A fortíssima base teórico-científica, com ênfase na prática;
  • O contato direto com os principais métodos de tratamento fisioterapêutico atuais;
  • A carga horária de 480 horas (uma das maiores do país na área) rigorosamente respeitada;
  • O material de base referente ao módulo disponibilizado antecipadamente através do site do IPOG;
  • Os módulos efetivamente avançados (e não repetições da graduação);
  • E o principal: o melhor corpo docente do Brasil na área, formado por pesquisadores e clínicos com larga experiência nacional e internacional. Venha para o IPOG!

E aí, ficou interessado em se tornar um fisioterapeuta esportivo? Então dê esse  importante passo na sua carreira com a especialização Master em Fisioterapia Traumato-Ortopédica e Desportiva do IPOG.


Sobre Dângelo Andrade

Doutorando em Ciências Médicas (UFRJ); Mestre em Ciências Morfológicas (UFRJ); Mestre em Política e Gestão de Ciência, Tecnologia & Inovação em Saúde (ENSP/Fiocruz); Especialista em Gestão por Resultados, Produtividade e Inovação (UFSC); Fisioterapeuta ativo permanente do Serviço de Fisioterapia do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO/Ministério da Saúde); Revisor de periódicos científicos em Fisioterapia; Formação complementar em diversas técnicas de Terapia Manual e Postural. Coordenador do curso Master em Fisioterapia Traumato-Ortopédica e Desportiva do IPOG.

Comentários