IAFS 2017: veja as contribuições para a área das ciências forenses
3 minutos de leitura
04 de setembro de 2017

IAFS 2017: principais contribuições do evento para a área de Ciências Forenses

O 21º Encontro Trienal da Associação Internacional de Ciências Forenses (IAFS) aconteceu de 21 a 25 de agosto, em Toronto, Canadá. Quer saber como foi o evento e as e as principais contribuições para a área das ciências forenses? Então você precisa ler esse artigo.

A IAFS é a única associação mundial de acadêmicos e profissionais da área de ciências forenses e promoveu o encontro de aproximadamente 1.500 profissionais de mais de 80 países para refletir sobre os aspectos humanitários das ciências forenses.

O tema principal do encontro, ‘Colaboração interprofissional em Ciência Forense’, trouxe uma reflexão para os profissionais da área sobre o interesse da equipe de planejamento em promover as melhores práticas forenses em todo o mundo através de uma abordagem multidisciplinar para apoiar os direitos humanos e a justiça.

A IAFS tem o objetivo de colaborar com o desenvolvimento contínuo das ciências forenses e ser um meio de encontro e compartilhamento de informações técnicas e cientificas entre a comunidade forense. A programação científica do evento contou com mais de 80 temas abordados em palestras, workshops, apresentações orais e treinamentos.

“A IAFS é uma grande oportunidade para refletir sobre melhores práticas forenses para obter uma justiça humanizada e de relacionar com profissionais de ciências forenses do mundo todo”, destaca o professor Jesus Antônio Velho.

O Brasil foi muito bem representado nesse evento com a apresentação de quatro trabalhos desenvolvidos com a colaboração de peritos, juízes, advogados, professores, alunos de graduação e pós-graduação e do Perito Criminal Federal e professor do curso de pós-graduação em Ciências Forenses e Perícia Criminal do IPOG, Jesus Antônio Velho.

Os trabalhos apresentados foram desenvolvidos no Laboratório de Estudos Interdisciplinares Direito- Química (LEI-DQ), coordenado pela Profa. Dra. Aline Thaís Bruni, na USP de Ribeirão Preto.  Confira os temas:

IAFS: Estudos forenses in silico sobre métodos multivariados aplicados à análise de imagem em comparação balística

Descrição: Neste trabalho foi desenvolvida uma metodologia que se apresentou com grande potencialidade de classificar projéteis de acordo com a arma de disparo pelo uso de imagens de máquina fotográfica.

(Colaboração: Prof. Dr. Jesus Antônio Velho, Prof. Doutro Luiz Gustavo Dias, Profa. Dra. Márcia Miguel Castro Ferreira, Prof. Dr. Vitor Barbanti Pereira Leite, Discente: Raquel Maria de Mendonça, Doutorando: Pedro Oliveira Mariz de Carvalho, Perito Criminal Gustavo P. Plácido)

Ciências Criminais: estudo dos aspectos técnicos e jurisprudenciais sobre a lei de drogas no Brasil

Descrição: O trabalho consistiu em 3 partes: avaliação dos aspectos técnicos, jurídicos e interdisciplinares em relação à Lei de Drogas, com conclusões específicas para cada uma das partes.

(Coordenação adjunta: Profa. Dra. Maria Paula Costa Bertran, Colaboração: Prof. Dr. Jesus Antônio Velho, Prof. Dr. Cláudio do Prado Amaral, Perito Criminal MSc. Ricardo Luiz Yoshida, Discentes: Taissa Beatriz Poiani, Vitor Eduardo Narciso dos Reis, Marcella Galatti Pavan, Luiza Neves Silveira)

Estudos Forenses in silico de NPS: anfetaminas e Catinonas

Descrição: Neste trabalho foram apresentados resultados sobre a parte técnica do Projeto Santander Grandes Temas: ciências forenses. Métodos quimiométricos foram aplicados a valores de toxicidade in silico para avaliar o potencial de prejuízo de novas substâncias psicoativas derivadas de anfetaminas e catinonas.

(Colaboração: Prof. Dr. Jesus Antônio Velho, Profa. Dra. Maria Paula Costa Bertran, Discente: Deborah Yonamine, Mestrandos: Caio Henrique Pinke Rodrigues, Gabriel Munhoz Pereira. Doutorando: Pedro Oliveira Mariz de Carvalho)

Estudos Forenses in silico de NPS: Análise de Componentes Principais de Canabinóides (Apresentação em pôster)

Descrição: Neste trabalho foram apresentados resultados sobre a parte técnica do Projeto Santander Grandes Temas: ciências forenses. Foram estudados três grupos de canabinóides sintéticos cujas propriedades foram adequadamente separadas por análise de componentes principais de acordo com a toxicidade calculada por métodos in silico.

(Colaboração: Prof. Dr. Jesus Antônio Velho, Profa. Dra. Maria Paula Costa Bertran, Discente: Ana Carla Santos, Mestrando: Caio Henrique Pinke Rodrigues)

“Todos os autores se empenharam muito na produção das pesquisas. Foi muito gratificante ter os nossos trabalhos nesse importante evento da área de Ciências Forenses. A IAFS é realizada a cada três anos. O próximo encontro, em 2020, será na Austrália”, comenta o professor Jesus Antônio Velho.

O que você achou desse evento? Já pensou em como os temas apresentados podem contribuir com a sua carreira? Comente aqui em nosso blog!

 

 


Artigos relacionados

Computação Forense: como investigar em nuvem? A nuvem é um modelo computacional que armazena dados sem a necessidade de um espaço em hardware, mas sim de forma virtual, na internet. Além disso, permite o acesso de qualquer lugar do mundo por meio de um dispositivo eletrônico com conexão à internet. Estud...
Internet Segura: 10 dicas para se prevenir! Para que possamos ter mais cuidado ao navegar na internet é preciso, primeiramente, bom senso em todos os cliques. Por onde passamos, fica registrado o endereço de IP (Internet Protocol) do computador que estamos utilizando.Também é importante ressaltar qu...
Cibercrime: como enfrentar e prevenir ataques virtuais? A rede de criminalidade virtual, ou cibercrime, rompeu limites territoriais e está presente em todo o mundo. As invasões são constantes e a um nível elevado. É um perigo ubíquo, que está espalhado em qualquer lugar e pode invadir diversas mídias, como celulare...

Sobre Jesus Antônio Velho

Perito Criminal Federal, atuando nas áreas de Análises de Locais de Crime, Química Forense, Balística Forense, entre outras. Em relação às atividades de ensino, é Professor Doutor de Criminalística da Universidade de São Paulo (USP), e professor convidado da área de Locais de Crime na Academia Nacional de Polícia. É Presidente da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses, 2015/2017. É autor organizador da série de livros “Criminalística Premium” da editora Millennium. É professor do IPOG nos cursos de pós-graduação em Ciências Forenses e Perícia Criminal e também Computação Forense e Perícia Digital.

Comentários