IAFS 2017: veja as contribuições para a área das ciências forenses
3 minutos de leitura
04 de setembro de 2017

IAFS 2017: principais contribuições do evento para a área de Ciências Forenses

O 21º Encontro Trienal da Associação Internacional de Ciências Forenses (IAFS) aconteceu de 21 a 25 de agosto, em Toronto, Canadá. Quer saber como foi o evento e as e as principais contribuições para a área das ciências forenses? Então você precisa ler esse artigo.

A IAFS é a única associação mundial de acadêmicos e profissionais da área de ciências forenses e promoveu o encontro de aproximadamente 1.500 profissionais de mais de 80 países para refletir sobre os aspectos humanitários das ciências forenses.

O tema principal do encontro, ‘Colaboração interprofissional em Ciência Forense’, trouxe uma reflexão para os profissionais da área sobre o interesse da equipe de planejamento em promover as melhores práticas forenses em todo o mundo através de uma abordagem multidisciplinar para apoiar os direitos humanos e a justiça.

A IAFS tem o objetivo de colaborar com o desenvolvimento contínuo das ciências forenses e ser um meio de encontro e compartilhamento de informações técnicas e cientificas entre a comunidade forense. A programação científica do evento contou com mais de 80 temas abordados em palestras, workshops, apresentações orais e treinamentos.

“A IAFS é uma grande oportunidade para refletir sobre melhores práticas forenses para obter uma justiça humanizada e de relacionar com profissionais de ciências forenses do mundo todo”, destaca o professor Jesus Antônio Velho.

O Brasil foi muito bem representado nesse evento com a apresentação de quatro trabalhos desenvolvidos com a colaboração de peritos, juízes, advogados, professores, alunos de graduação e pós-graduação e do Perito Criminal Federal e professor do curso de pós-graduação em Ciências Forenses e Perícia Criminal do IPOG, Jesus Antônio Velho.

Os trabalhos apresentados foram desenvolvidos no Laboratório de Estudos Interdisciplinares Direito- Química (LEI-DQ), coordenado pela Profa. Dra. Aline Thaís Bruni, na USP de Ribeirão Preto.  Confira os temas:

IAFS: Estudos forenses in silico sobre métodos multivariados aplicados à análise de imagem em comparação balística

Descrição: Neste trabalho foi desenvolvida uma metodologia que se apresentou com grande potencialidade de classificar projéteis de acordo com a arma de disparo pelo uso de imagens de máquina fotográfica.

(Colaboração: Prof. Dr. Jesus Antônio Velho, Prof. Doutro Luiz Gustavo Dias, Profa. Dra. Márcia Miguel Castro Ferreira, Prof. Dr. Vitor Barbanti Pereira Leite, Discente: Raquel Maria de Mendonça, Doutorando: Pedro Oliveira Mariz de Carvalho, Perito Criminal Gustavo P. Plácido)

Ciências Criminais: estudo dos aspectos técnicos e jurisprudenciais sobre a lei de drogas no Brasil

Descrição: O trabalho consistiu em 3 partes: avaliação dos aspectos técnicos, jurídicos e interdisciplinares em relação à Lei de Drogas, com conclusões específicas para cada uma das partes.

(Coordenação adjunta: Profa. Dra. Maria Paula Costa Bertran, Colaboração: Prof. Dr. Jesus Antônio Velho, Prof. Dr. Cláudio do Prado Amaral, Perito Criminal MSc. Ricardo Luiz Yoshida, Discentes: Taissa Beatriz Poiani, Vitor Eduardo Narciso dos Reis, Marcella Galatti Pavan, Luiza Neves Silveira)

Estudos Forenses in silico de NPS: anfetaminas e Catinonas

Descrição: Neste trabalho foram apresentados resultados sobre a parte técnica do Projeto Santander Grandes Temas: ciências forenses. Métodos quimiométricos foram aplicados a valores de toxicidade in silico para avaliar o potencial de prejuízo de novas substâncias psicoativas derivadas de anfetaminas e catinonas.

(Colaboração: Prof. Dr. Jesus Antônio Velho, Profa. Dra. Maria Paula Costa Bertran, Discente: Deborah Yonamine, Mestrandos: Caio Henrique Pinke Rodrigues, Gabriel Munhoz Pereira. Doutorando: Pedro Oliveira Mariz de Carvalho)

Estudos Forenses in silico de NPS: Análise de Componentes Principais de Canabinóides (Apresentação em pôster)

Descrição: Neste trabalho foram apresentados resultados sobre a parte técnica do Projeto Santander Grandes Temas: ciências forenses. Foram estudados três grupos de canabinóides sintéticos cujas propriedades foram adequadamente separadas por análise de componentes principais de acordo com a toxicidade calculada por métodos in silico.

(Colaboração: Prof. Dr. Jesus Antônio Velho, Profa. Dra. Maria Paula Costa Bertran, Discente: Ana Carla Santos, Mestrando: Caio Henrique Pinke Rodrigues)

“Todos os autores se empenharam muito na produção das pesquisas. Foi muito gratificante ter os nossos trabalhos nesse importante evento da área de Ciências Forenses. A IAFS é realizada a cada três anos. O próximo encontro, em 2020, será na Austrália”, comenta o professor Jesus Antônio Velho.

O que você achou desse evento? Já pensou em como os temas apresentados podem contribuir com a sua carreira? Comente aqui em nosso blog!

 

 


Artigos relacionados

5 passos essenciais para realizar a perícia forense em celulares Até maio deste ano, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) registrou que no Brasil existem 242,3 milhões de celulares. Esse grande número de aparelhos disponíveis e o desenvolvimento de novos recursos tecnológicos em dispositivos móveis trouxeram desa...
Como o Diagnóstico Organizacional pode salvar sua empresa? Assim como as pessoas, as empresas também adoecem, mas, de uma forma diferente. Nesse período de crise vivido no país, o cenário econômico acabou sofrendo uma retração no consumo e trazendo às empresas problemas mercadológicos, financeiros, estruturais etc. E,...
Saiba como se prevenir dos Crimes Cibernéticos Como sabemos, o mundo está cada vez mais conectado e a consciência digital, independentemente da idade, é o caminho mais seguro para o bom uso da internet, que, inclusive, está sujeita às mesmas regras de ética, educação e respeito ao próximo.Com o crescen...

Sobre Jesus Antônio Velho

Perito Criminal Federal, atuando nas áreas de Análises de Locais de Crime, Química Forense, Balística Forense, entre outras. Em relação às atividades de ensino, é Professor Doutor de Criminalística da Universidade de São Paulo (USP), e professor convidado da área de Locais de Crime na Academia Nacional de Polícia. É Presidente da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses, 2015/2017. É autor organizador da série de livros “Criminalística Premium” da editora Millennium. É professor do IPOG nos cursos de pós-graduação em Ciências Forenses e Perícia Criminal e também Computação Forense e Perícia Digital.

Comentários