Balística Forense: perícia em armas de fogo e munições
3 minutos de leitura
14 de dezembro de 2017

Balística Forense: perícia em armas de fogo e munições

A arma de fogo é um dos principais instrumentos utilizados para perpetrar homicídios. De acordo com o Atlas da Violência 2017, estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em 2015, 71% dos casos de homicídios no Brasil foram cometidos com uso de armas de fogo, o que corresponde a 41.817 mortes. Entretanto, você sabe como é feito a  perícia em armas de fogo?

A Balística Forense é área da criminalística responsável para examinar crimes que envolvem armas de fogo. É uma área muito extensa que estuda a arma, sua munição e os efeitos decorrentes de tiros, para esclarecer e provar a autoria e materialidade de um crime. Nesse artigo você conhecerá um pouco do trabalho da perícia em armas de fogo e suas munições.

Perícia em armas de fogo

A perícia em armas de fogo inicia-se após o Instituto de Criminalística receber uma requisição de perícia de um delegado de polícia, de promotores, de Juízes, dentre outros. Por questões de segurança, para o perito iniciar a perícia, a arma precisa estar descarregada e desmuniciada. Por meio da análise, o perito precisa responder aos seguintes quesitos básicos:

  • Qual a natureza e características da arma submetida a exame?
  • Qual o calibre da arma?
  • A arma é eficiente para efetuar disparos?
  • Qual tipo de munição acompanhava a arma? Original ou recarregada?
  • Essa arma foi disparada recentemente?
  • A arma é de uso restrito ou permitido?

Análise das armas de fogo:

Para responder as perguntas acima, veja o que os peritos geralmente examinam em armas de fogo:

Características gerais: identificação do tipo de arma (revólver, pistola, etc.), marca, número de série, registro,  capacidade de carga, alma do cano, calibre, entre outras características.

Verificação de sistemas e eficácia no funcionamento: avaliar a capacidade de operação e se a arma está realizando disparos. Se a arma veio de um homicídio, é necessário testar a arma para verificar se ela está em funcionamento ou não.

Recentidade de disparo: é um exame feito para  verificar se o disparo foi realizado em um período recente à ocorrência da ação criminosa;

Regeneração metalográfica: exame realizado através de reagentes químicos para recuperar os elementos identificadores de uma arma de fogo caso tenham sido danificados (lixados, p. ex.), como exemplo o número de série.

Micro comparação balística: análise com o objetivo de esclarecer se um projétil ou estojo questionado foi disparado a partir da arma de fogo apresentada à perícia.

Exame de segurança: verificação da eficiência dos mecanismos da arma para averiguar a possiblidade de disparo acidental ou involuntário sem o acionamento do gatilho.

Balística Forense

A Balística Forense é uma área de extrema importância para auxiliar a justiça na elucidação e autoria de crimes praticados com armas de fogo.  Se você tem interesse em atuar nessa área, além de se aprofundar nas análises mencionadas acima, é muito importante estudar os tipos de armas de fogo, conhecer o seu funcionamento e sistemas de segurança, entender o que acontece quando um disparo é efetuado, e seu caminho até o alvo, além de analisar os efeitos do projétil quando atinge um corpo ou outro anteparo qualquer.

Para saber como se especializar nessa área, conheça o curso de Balística Forense do IPOG. Você conhecerá os conceitos fundamentais e sua aplicação prática na solução de questões envolvendo armas de fogo e disparos no âmbito tanto das investigações quanto da fase jurídica dos processos.

Quer saber mais sobre a área da perícia criminal? Clique aqui e confira os artigos que já publicamos sobre essa área que está em constante crescimento no Brasil e no mundo.


Artigos relacionados

A evolução da Bitcoin: a moeda virtual de maior popularidade dos últimos anos Em 1990, a internet viu emergir um movimento que ficou conhecido por cyberpunks, composto por hábeis programadores entusiasmados com o potencial de independência conferido pela internet, em uma época em que ela estava distante da regulamentação governamental. ...
Criminalidade em alta: Segurança Pública em Números 2017 Dados do 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública revelam que em 2016 sete pessoas foram assassinadas por hora no Brasil. Esses dados indicam que o país precisa rever sua política de segurança pública e que, a cada dia mais, o trabalho da Perícia Criminal é...
No futuro, você estará presente? Como você procurava uma vaga de trabalho ou anunciava uma oportunidade na sua empresa há cinco ou dez anos? É bem provável que fosse através de um anúncio nos classificados de algum jornal impresso. Como você procurava por um produto ou serviço que estava p...

Sobre Walber Pinheiro

Doutorando em Ciências da Informação pela Universidade Fernando Pessoa em Porto (Portugal) e coordenador do curso de Computação Forense e Perícia Digital do IPOG.

Comentários