Native ads: descubra a prática que vai mudar a sua forma de ver a publicidade
2 minutos de leitura

Native ads: descubra a prática que vai mudar a sua forma de ver a publicidade

IPOG, Native ads, Publicidade

“Compre batom, compre batom!” Sim, esse foi um ótimo slogan e rendeu bons resultados para a marca. Mas isso nos anos 80! Nos tempos em que a tecnologia faz cada vez mais parte da vida das pessoas, o velho uso de imperativo nas propagandas não convence mais, não é mesmo? E uma excelente alternativa para conquistar um público cada vez mais exigente é o native ads.

Mas calma!

Native ads não é nenhum bicho de sete cabeças. Vamos explicar essa forma de publicidade que pode ajudar muitas empresas. Na tradução livre o termo significa anúncio nativo. Ou seja,é produzir um conteúdo sobre determinada marca, empresa ou produto que gere interesse no consumidor. Um conteúdo que não tenha aquela cara comercial de “queremos vender, queremos vender”.

Por exemplo, uma empresa que vende exaustores para ventilar ambientes decide trabalhar usando native ads em um blog. Em vez de produzir um texto falando como seus exautores são bons, a empresa divulga um conteúdo sobre a importância da renovação de ar para a saúde daqueles que ficam muito tempo em locais fechados.

Então é o mesmo que publieditorial?

Não, não é. Como explica a diretora editorial do semanário “Meio & Mensagem” Regina Augusto, a publicidade native pode ser considerada uma evolução do publieditorial. Este é bem “autopromocional”, enquanto a publicidade nativa é menos intrusiva. O objetivo não é falar do produto, mas levar um conteúdo interessante para que o consumidor não tenha a sensação de estar sendo persuadido a comprar. Ele deve sentir que está ali para receber algo que realmente agregue na sua vida. Lembrando que o papel do native ads não é enganar seu público. A transparência é sempre bem vista. Todo o conteúdo deve ser sinalizado como publicidade.

Sério que essa prática pode trazer resultados?

Sim, não tenha dúvidas! Como foi dito anteriormente, o consumidor dos dias atuais está se tornando cada vez mais propício a ignorar a publicidade padrão. Um estudo realizado pelo IPG Media Lab constatou que as pessoas olham 52% mais os anúncios nativos do que os banners publicitários convencionais.

Além disso, sabemos que o consumidor moderno passa por um processo de aprendizado antes de tomar a decisão de comprar. É nesse momento em que o native ads irá agir. Afinal, com tanta informação e spam em nossas vidas quem não gosta de ter acesso a um bom conteúdo? Pode acreditar essa prática ainda vai virar febre nas empresas.

Artigos relacionados

Geomarketing: Inteligência negocial geo-referenciada Um método eficiente de se projetar a evolução das empresas - o geomarketing - está diretamente ligado ao desenvolvimento de áreas distintas como Ciências Econômicas, Geografia e Sistema de Informações, trabalhando todos a favor dos princípios do marketing em u...
Afinal, o que são micro-momentos? Você sabe o que micro-momentos tem haver com a era digital? O surgimento da internet, por volta dos anos 90, impactou consideravelmente a vida das pessoas. No Brasil, sua ascensão teve um papel fundamental, inclusive influenciando na formação do caráter dos...
Quais as vantagens do trabalho remoto? O trabalho remoto, ou home office, é tendência sim. Os motivos que levam a esse novo conceito de contratação de profissionais são muitos e vão desde as razões econômicas, até o desenvolvimento de novas tecnologias. No segmento de comunicação, por exemplo, nem ...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo IPOG. Responsável : Bruno Azambuja - Gerente de Marketing - bruno.azambuja@ipog.edu.br