Como conquistar clientes?
2 minutos de leitura
13 de setembro de 2016

Como conquistar clientes?

Como conquistar clientes

Você sabe como conquistar clientes? Nessa busca, tem quem acredite ainda que a bajulação e a boa comunicação são suficientes – e eficientes – para garantir a compra. No entanto, com cada vez mais informação a seu dispor, os clientes estão mais exigentes com o melhor tratamento e em busca pela economia.

Para o professor do MBA Gestão de Pessoas por Competência e Coaching do IPOG e especialista em relacionamento com o cliente, Gabriel Rodrigues, o mais importante é dar atenção ao cliente e ao que ele deseja.

É muito comum, hoje em dia, que o cliente tenha dúvidas em relação ao produto que ele busca e o vendedor acaba por manipular a venda, ou seja, vende o que a pessoa não quer. Por mais que a venda seja concretizada, o cliente vai chegar em casa e se arrepender da compra daquele produto. E, nesse arrependimento, perde-se a oportunidade de mantê-lo para futuras compras”, pontua.

O especialista explica ainda que não existe uma fórmula mágica para conquistar clientes, mas existem técnicas e habilidades que podem contribuir – e muito! – para a relação “ganha-ganha”, onde ganha-se o cliente e também o vendedor/consultor. Confira as dicas de ouro!

Empatia

A melhor forma de ter empatia com quem não se conhece é através de um sorriso franco e sincero. “É como se fosse um interruptor mágico que acende instantaneamente um sentimento amistoso na outra pessoa. Mas é preciso sinceridade, porque se houver qualquer falsidade nesse sorriso, gera-se a antipatia. Ter um sorriso na voz, na fala e, principalmente, ter a vontade de atender esse cliente e não se sentir na obrigação de atender. Não é pensar em concluir a venda, mas pensar em atender à necessidade desse cliente, faz-se necessário colocar-se no lugar dele”, explica Gabriel.

Rapport

É o espelhamento do cliente, enquanto a empatia consiste em você se colocar no lugar do cliente, o rapport é você ser o próprio cliente. ‘Depois de ter uma comunicação inicial com o cliente e já ter conhecido ele um pouco mais, bem como suas necessidades, é a hora de se atentar os detalhes, porque isso atinge as questões inconscientes dele. Ele vai pensar: poxa, esse vendedor me lembra alguém, mas não sei quem. Mas é uma pessoa que eu gosto e tenho afinidade’, orienta.

Transparência

Ser transparente vai garantir a reciprocidade. Após ter afinidade, o cliente vai querer concluir a compra. Esse é o momento em que você precisa deixá-lo pensar se a compra vai ser importante ou não, se ele pode se arrepender ou não. Você não pode manipular a compra, porque se o cliente se arrepender, ele não volta mais. Deixe ele pensar, refletir. E não seja tagarela! Não fique falando e pressionando seu cliente.

O mais importante é  manter um relacionamento bom com o cliente. Muitas pessoas só pensam no fechamento da compra e esquecem do pós-venda. Faça contato com esse cliente constantemente, no aniversário, em datas comemorativas e etc. Isso vai gerar um sentimento de importância e, consequentemente, a reciprocidade pode acontecer com mais êxito.

Personalize seu atendimento

Isso não é perda de tempo, é ter um retorno a longo prazo. E pronto, é só seguir essas dicas maravilhosas que com certeza você vai conquistar muitos clientes.

 

Artigos relacionados

Reestruturação financeira: o case que contou com os trabalhos de um professor e de um aluno IPOG No post de hoje vamos falar de um assunto que ainda é muito temido por diversos profissionais: a reestruturação financeira. Administrar uma empresa requer um esforço gigantesco, afinal muitas são as funções e obrigações a serem cumpridas para que ela se manten...
Por que você vai se dar mal se fizer tudo sozinho? Claro que todos temos nossos períodos de baixa, que estamos de mal conosco e frustrados com o que estamos fazendo ou, principalmente, com os resultados que estamos gerando. Diante disso, a gente até pensa em ficar sozinho. Porém, até nesses momentos, a maioria...
Recuperação judicial: tudo o que você precisa saber para se manter o mais longe dela Como consultor econômico estive a frente de processos de recuperação judicial extremamente bem sucedidos, como o caso da varejista de medicamentos, Santa Marta, que em menos de dois anos executou um plano tão bem elaborado que hoje concorre em pé de igualdade ...

Sobre Gabriel Rodrigues de Morais

Professor do IPOG e especialista em relacionamento com o cliente

Comentários