Preciso contratar, e agora?
2 minutos de leitura
30 de janeiro de 2017

Preciso contratar, e agora?

IPOG, Contratação

Um dos problemas que mais tiram o sono de um líder é a contratação errada. Quando um recrutamento é mal feito, além dos custos financeiros desembolsados pela empresa, também podem ser gerados desgastes emocionais para o funcionário e alguma outra parte envolvida. De toda forma, sabemos que prevenir é sempre o melhor remédio, por isso listamos algumas dicas importantes para que esses erros sejam evitados na hora do processo seletivo:

Preciso contratar, mas o que devo fazer?

– Envolva mais pessoas na contratação:

Trabalhar em equipe é sempre muito importante. Na hora de escolher o novo contratado é indicado que, pelo menos, duas pessoas participem da seleção: quem vai contratar e alguém do RH, para auxiliar na escolha.

– Faça mais de uma entrevista:

Muito cuidado com a impulsividade. Não contrate ninguém de primeira. Faça mais de uma entrevista com a pessoa para que possa conhecê-la melhor. Se o candidato não estiver preparado, será mais fácil você perceber isso.

– Busque referências:

Converse com os chefes anteriores e busque as informações sobre o seu candidato. Com certeza essa pessoa vai ter informações que lhe permitam fazer uma contratação mais objetiva. Se houver informações desencontradas, dê uma oportunidade ao candidato de esclarecer.

– Tenha certeza do perfil que você busca:

Quem vai contratar precisa saber quais são as reais expectativas em relação ao novo colaborador. Isso é o ponto inicial para não cometer o erro de recrutar alguém que não corresponda às necessidades da empresa.

– Converse com a sua equipe:

Vocês são um time. Escolha alguém para conversar com o candidato, conhecê-lo e te passar um feedback, afinal, eles vão trabalhar juntos. Isso também acaba gerando pontos positivos, como a integração e a divisão da responsabilidade na hora da escolha.

– Fique atento ao período de experiência:

Muitas pessoas, com medo de assumir o erro após a contratação, deixam passar o período de experiência. Não faça isso. Essa atitude acaba desgastando ainda mais os envolvidos e gerando mais custos à empresa.

 


Artigos relacionados

Design Thinking: Conheça a teoria que tem conquistado grandes empresas estadunidenses Durante a realização da Jornada Empreendedora promovida pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação IPOG, em parceria com a  ACE/Gyntec em Goiânia, pude acompanhar o desenvolvimento de ideias de um profissional que dedica sua vida a promover a inovação no meio...
Quando e por que uma empresa precisa de Auditoria Financeira? A Auditoria Financeira é uma das profissões que mais crescem no Brasil devido sua importância para o restabelecimento de normas e adequação dos serviços para a sociedade. Quer entender mais sobre esse setor e as demandas desse profissional? Seja você em...
Ouvidoria Positiva e sua contribuição no ambiente organizacional Como Ouvidor, não pretendo falar de Ouvidoria abordando as suas teorias existentes. Na verdade, quero mencionar as contribuições da Psicologia Positiva a essa função, levando em consideração as empresas privadas. De acordo com a Associação Brasileira dos Ouvid...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo.

Comentários