#NovembroAzul: fique por dentro dos sintomas, fatores de riscos, diagnóstico e previna-se!
5 minutos de leitura
01 de novembro de 2017

#NovembroAzul: fique por dentro dos sintomas, fatores de riscos, diagnóstico e previna-se!

Novembro Azul

O mês de novembro chegou e com ele mais uma campanha de grande importância social. Por várias questões socioculturais, as mulheres, especialistas no cuidado no âmbito familiar, quando comparadas aos homens, ainda se cuidam muito mais de sua saúde que eles. Em alguns aspectos específicos, devido à imagem masculina internalizada, o descuido do hoimem é ainda maio

r. Diferente do Outubro Rosa, o Novembro Azul busca a prevenção e o combate ao câncer de próstata, o sexto tipo mais comum no mundo e o de maior incidência nos homens. Segundo informações divulgadas pelo Ministério da Saúde, a incidência desta doença é cerca de seis vezes maior nos países desenvolvidos.

Escolhido internacionalmente como o mês de concentração das ações de combate e prevenção ao câncer de próstata e à saúde do homem, novembro abrange uma data que confere mais importância e peso à campanha: o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, dia 17 desse mês. Surgida no ano de 1999, o Novembro Azul chegou ao Brasil um pouco depois, pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia.

De lá pra cá, milhares de ações oficiais passaram a ser executadas em todo o país, colocando o Novembro Azul no calendário nacional de prevenções. O trabalho desenvolvido tem por objetivo conscientizar a população, sobre a importância da promoção e prevenção na saúde do homem, incluindo exames regulares para o diagnóstico precoce do câncer de próstata, o que confere ao paciente tratamento mais eficiente.

Por mais que a informação sobre o assunto seja mais compartilhada hoje em dia, ainda existem muitas dúvidas a respeito do câncer de próstata, que acomete em sua maioria homens com mais de 65 anos. E são as dúvidas mais comuns que tentaremos responder neste texto, que tem o intuito de informar e contribuir às ações que se iniciam nesse começo do mês.

O que é o câncer de próstata?

Localizada na parte baixa do abdômen, abaixo da bexiga e à frente do reto, a próstata é uma glândula masculina, responsável pela produção de cerca de 70% do sêmem, o que representa peça importante na fertilidade do homem. O câncer ocorre quando há uma multiplicação desordenada das células da próstata, o que leva ao seu aumento e endurecimento.

A doença, em sua fase inicial, é silenciosa, o que também pode explicar a porcentagem alta de casos descobertos já em estágio avançado: 95%. É por isso que a prevenção, incluindo a realização de exames frequentes é fundamental para que a descoberta seja precoce. Nesse sentido, homens a partir dos 50 anos (ou 45, se houver casos de câncer de próstata na família) são orientados a procurar um urologista anualmente.

Quais exames fazer?

O toque retal é um dos procedimentos preventivos a serem realizados por homens já inclusos nessa faixa etária. É um procedimento rápido e simples, capaz de identificar possível alteração na glândula. De acordo com o resultado deste toque, o médico poderá solicitar outros tipos de exames para confirmar ou não o diagnóstico, tais como o PSA (Antígeno Prostático Específico), a biópsia da glândula e o ultrassom transretal.

O Diagnóstico

Os exames citados acima são essenciais para se descobrir além da possível presença, o estágio do câncer e, assim, definir o tipo de tratamento mais adequado. Quanto mais rápido for a descoberta, melhor para a vida do paciente, já que o risco de metástase (quando a doença se espalha para outros órgãos) também diminui.

No Brasil, a doença representa a quarta causa de morte por câncer, 6% do total de óbitos por este grupo, segundo a vigilância nacional. É fato que de maneira geral não existe um caso igual ao outro, são muitos fatores que influenciam a gravidade e o prognóstico.

Se a doença for diagnosticada, o paciente pode receber os seguintes tratamentos: radioterapia, cirurgia ou até terapia hormonal.

E quais são os fatores de risco? 

Com relação aos fatores de risco que podem influenciar a ocorrência do câncer de próstata, é importante dar atenção a alguns pontos, tais como:

A hereditariedade ou familiaridade

Esse ponto não se restringe apenas ao câncer em questão. Se houver dois ou mais parentes biológicos ou adotivos de primeiro grau portadores da doença, cuja descoberta foi antes dos 60 anos de idade, atente-se sempre e realize exames anualmente! Quando esse fator é identificado, o risco de desenvolver a doença pode ser de 50%.

Idade

A idade também representa um grande fator de risco, tanto é que a prevenção é enfatizada aos homens a partir dos 50 anos, quando a incidência da doença e a mortalidade aumentam exponencialmente.

Alimentação

Ter uma boa alimentação é muito importante. Uma dieta rica em verduras, frutas, legumes, grãos e cereais integrais, pobres em gordura, contribui na diminuição do risco de câncer, bem como de outras doenças.

Hábitos

Alguns estudos indicam o consumo excessivo de álcool e o tabagismo como fatores que aumentam a incidência do câncer de próstata. Além disso, homens com sobrepeso ou obesos apresentam maiores chances de desenvolver a doença.

Os sintomas

Como já foi dito, na fase inicial desse câncer a doença é silenciosa. No entanto, existem alguns sintomas que precisam de atenção médica imediata assim que forem percebidos. São eles:

  • Sensação de bexiga cheia, mesmo tendo urinado;
  • Dificuldade de iniciar a passagem da urina e de interromper o ato de urinar;
  • Urinar em gotas ou jatos sucessivos;
  • Dificuldade em conseguir ou manter a ereção;
  • Dor quando ejacula;
  • Dor nos testículos;
  • Dor lombar, na pelve ou nos joelhos;
  • Sangramento pela uretra.

Quando o câncer já se encontra em estágio avançado, ele pode estar associado a dor óssea e, em casos mais graves, infecção generalizada ou insuficiência renal.

E como se prevenir?

Apesar de algumas controvérsias sobre a prevenção ao câncer de próstata é possível praticar ações que contribuem para o diagnóstico precoce e a diminuição da sua ocorrência. Nesse sentido, realizar exames periódicos, se alimentar bem e praticar exercícios físicos, principalmente prazerosos, são atitudes importantes. Outro aspecto negligenciado na cultura machista é a saúde mental, incluindo seus aspectos emocional e sexual na população masculina.

Hoje muito já se conhece, através de estudos populacionais, da importância destes aspectos na promoção e proteção da saúde integral e prevenção do sofrimento e adoecimento, não só mental, mas também físico ou psicossomático e relacional. O prazer, a felicidade, o descanso e a paz são direitos de nascimento de toda pessoa no caminho de viver uma vida de verdade. Neste sentido, a psicoterapia e a meditação são recursos seculares ou milenares à disposição de todos.

Mais um lembrete: todo paciente com câncer tem direitos a serem cumpridos integralmente, além de receberem todo o tratamento adequado. Se você ainda não conhece esses direitos clique  aqui e fique por dentro! O blog também tem um conteúdo bem informativo sobre o câncer de mama. O Outubro Rosa passou, mas a prevenção deve continuar!


Artigos relacionados

Você conhece o Termo de Consentimento Informado? Entenda a importância do documento para pacientes e... Omitir informações para o paciente relacionadas à alguma intervenção médica, além da possibilidade de prejudicar a integridade física e moral de uma pessoa, o médico pode responder judicialmente por responsabilidade civil, ou seja, ter a obrigação de reparar p...
Conheça os principais direitos do consumidor nos planos de saúde Esse é um assunto muito sensível e complexo para os brasileiros, visto que são muitos os casos de consumidores que estão insatisfeitos com o atendimento, valor das mensalidades, exclusão de coberturas e a negação de tratamentos mais complexos e caros dos plano...
A judicialização pelo direito à saúde: por que os processos podem demorar tanto? Para garantir o direito à saúde, a solução para milhares de pessoas é recorrer à justiça. A chamada judicialização da saúde ganhou destaque a partir de 2003 nos debates relacionados à negação de tratamentos e medicamentos no Brasil. É uma questão que envolve o...

Sobre Mauro Elias Mendonça

Médico, Especialista em Medicina Preventiva e Social, Psiquiatra, Psicoterapia e Meditação e Professor do IPOG.

Comentários