Agronegócio Brasileiro da ficção à realidade: um exercício de respeito à terra
3 minutos de leitura
02 de maio de 2018

Agronegócio Brasileiro da ficção à realidade: um exercício de respeito à terra

A palavra humilde tem sua origem no grego antigo, e não representa somente os conceitos atuais de modéstia e simplicidade. Sua origem vem de húmus, que significa “terra”, que consequentemente deu origem à palavra homem e humanidade.

Humilis, na Grécia antiga, era a palavra utilizada para definir humilde, a qual na tradução literal significava: aquele que fica no chão. O binômio “húmus humilis” era a definição usada na antiguidade para terra fértil ou criatura nascida da terra.

Como o cinema retrata a relação do homem com a terra

Na nossa relação com a terra, o cinema também traz seus conceitos e leituras. O filme The Martian (Perdido em Marte, no Brasil e Portugal), dirigido por Andy Weir, retrata a tribulação da missão espacial Ares 3, que parte em missão para recolher material em Acidalia Planitia, no planeta Marte, para estudo da subsistência de vida neste planeta, quando é surpreendida por uma forte tempestade, sendo seus tripulantes obrigados a abortar a missão.

Na evacuação, um deles, Mark Watney (Matt Damon), é atingido por destroços. Os outros tripulantes acreditam que ele morreu e partem rumo à Terra. Mas, Mark Watney sobreviveu, e perdido em Marte utiliza seus conhecimentos como botânico para improvisar uma estufa no interior do alojamento. Com isso, dá início em solo marciano a uma jornada para produzir batatas, água através de hidrazina e energia de biocombustíveis. Sua sobrevivência enquanto aguarda pelo resgate foi totalmente dependente do seu conhecimento sobre o uso do solo.

A terra vista por um viés apocalíptico

Já no filme O livro de Eli (em inglês, The book of Eli) do gênero ação e ficção científica, dirigido pelos irmãos Albert e Allen Hughes e estrelado por Denzel Washington, a história se passa na Terra, em um futuro não muito distante, onde é retratada a Terra após sofrer um evento solar cataclísmico que resultou na morte da maioria das pessoas, queimou plantações e reduziu em quase sua totalidade os recursos naturais.

A célebre frase proferida por Eli ao longo do filme é: Do pó vieste e ao pó retornarás, também encontrada em Gêneses 3, 19. Nestas sábias palavras, temos atestada a nossa origem, futuro e a relação de respeito que devemos ter com a terra.

A ciência e suas conclusões sobre a importância da terra

Estudos científicos demonstram que a Terra não é um objeto inanimado, sendo formada por milhões de organismos que interagem entre si, bem como pelas ações do homem que podem degradá-la ou promover sua renovação. A subsistência humana dependerá da humildade com que o homem trata a Terra.

O agronegócio brasileiro busca resgatar a origem do respeito do homem com a terra e a sua sustentabilidade, capaz de suprir as demandas atuais por alimentos, energias renováveis e o uso racional da água, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações.

Cenário mundial

Em 2015 a ONU lançou a Agenda 2030 com 17 objetivos para o desenvolvimento sustentável. Segundo estudos da ONU, as maiores demandas da humanidade serão:

  • alimentos;
  • água;
  • fontes renováveis de energia.

Neste ano, paralelamente, a COP 21, o Brasil apresentou o Plano ABC (Agricultura de Baixo Carbono), que trata-se de um projeto inovador e tido como referência para o agronegócio sustentável de vários países. Os 17 objetivos visam atender uma população mundial que chegará em 2050 a 9,6 bilhões de pessoas.

Para atender a esta demanda, segundo a FAO precisamos:

  • aumentar até 2050 a produção mundial de alimentos em 69%;
  • promover o desenvolvimento de profissionais da cadeia do agronegócio em 28%;
  • reduzir em 24% os impactos ambientais.

Desempenho do agronegócio brasileiro neste cenário

As exportações brasileiras do agronegócio somaram US$96,01 bi em 2017, registrando aumento de 13% em relação ao ano anterior. Com o crescimento do valor exportado sobre as importações, o saldo da balança comercial do setor foi de superávit de US$81,86 bi, ante os US$ 71,31 bi registrados em 2016 – segundo maior saldo do agronegócio na balança comercial.

Os desafios ainda são grandes e envolvem:

  1. infraestrutura logística;
  2. investimentos em agroindústria;
  3. custeio da produção;
  4. desenvolvimento profissional.

Segundo a Consultoria Michael Page, houve um aumento de 25% na busca por profissionais que atuam em gestão estratégica, e que possuam um MBA e tenham domínio da língua inglesa.

O Brasil ainda deverá aumentar a sua produção em até 40%. As projeções apontam que o país em poucos anos se tornará o maior produtor de alimentos do mundo.

O jeito brasileiro de alavancar o agronegócio

O Brasil continuará sendo um país de destaque no quesito agroexportador. É na humildade que estreita as relações do pequeno produtor brasileiro com a terra, na humildade das pequenas cooperativas, no respeito que tem a agricultura familiar com a terra é que o agronegócio brasileiro se faz grande, gerando alimentos, recuperando pastagens degradadas, protegendo nascentes, gerando biomassa para energia renovável e promovendo a manutenção saudável do homem no seu ecossistema.

Clique aqui e veja nossa homenagem ao Dia Mundial da Água.

Veja uma leitura sobre o panorama do Agronegócio brasileiro.

 


Artigos relacionados

#MulheresNoComando: as arquitetas que encontraram no empreendedorismo uma forma de emocionar as pess... Em 2015, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), divulgou um estudo o qual constatava a presença de 7,3 milhões de mulheres empreendedoras no Brasil. Isto representa uma crescente autonomia da mulher brasileira, a qual tem conquist...
Mulheres empreendedoras: conheça a história de uma parceria de sucesso A educação formal e profissionalizante tem o poder de libertar as pessoas para darem vazão às suas aspirações e estruturar seus próprios negócios. Por meio da capacitação profissional as pessoas têm conseguido assumir o protagonismo de suas próprias carreiras ...
#MulheresNoComando: ensino por amor, empreendo pela transformação Atualmente, mais do que nunca, é possível observar amplos movimentos de mulheres que batem o pé, resistem e ocupam espaços antes considerados apenas masculinos. E o empreendedorismo é um desses espaços. Em muitos países, o número de empresárias é extremamen...

Sobre Kelson Ribeiro

Consultor Associado da Skill Consult, atuando em Planejamento Estratégico e Diretor de Capacitação Profissional da Câmara de Comércio Exterior da ACIEG. Mestre em Desenvolvimento Regional com Ênfase em Gestão Estratégica de Empreendimentos UNIALFA, formação em Administração Financeira UNIVERSO, Ciências Contábeis PUC, MBA em Logística de Produção e Distribuição IPOG, Tecnólogo em Segurança e Saúde Ocupacional SENA AIRES e Intercambio Cultural na Kaplan Business School Berkeley Califórnia EUA.

Comentários