Confira as melhores aplicações para investir em 2017
2 minutos de leitura
17 de janeiro de 2017

Confira as melhores aplicações para investir em 2017

melhores aplicações para investir

Você sabe quais são as melhores aplicações para investir ? Com a chegada de um novo ano surge o desejo de mudanças, de começar novos projetos, seja na vida pessoal ou profissional. E já que o cenário não foi tão favorável para os negócios em 2016, devido à crise financeira que o país atravessa, o brasileiro teve que se reinventar para continuar no mercado, lutando com altos juros e inflação.

Mas mesmo diante de tantos desafios, a notícia é boa para 2017, pelos menos é o que dizem os especialistas. A tendência é que a inflação diminua neste novo ano e, por isso, listamos algumas aplicações que podem ser vantajosas (ou não) para o seu investimento:

Ações:

Os investimentos na Bolsa de Valores não estavam sendo tão bons assim. Porém, o Ibovespa subiu 50% de janeiro a outubro e o valor de mercado das principais empresas brasileiras mais que dobrou. Com isso, alguns especialistas acreditam que este ano será muito bom para investir, apesar que outros dizem que o ciclo positivo da Bolsa pode não durar tanto tempo.

Tesouro Direto:

Esta já vinha sendo uma ótima aplicação no ano anterior e parece que vai continuar em 2017. Mas diante da possível queda de juros, é bom dar preferência aos títulos prefixados, o que possibilita que o investidor saiba qual será o seu retorno na data do vencimento. Já os pós-fixados podem ser prejudicados pela queda dos juros.

Fundos Multimercados:

Esse é o tipo de investimento que pode ser aplicado em diversos tipos de produtos, como renda fixa, ações, câmbio, entre outros. Com a queda dos juros, esse setor, que vinha sendo ruim para aplicações, provavelmente vai atingir um nível bom para os seus futuros investidores.

Poupança:

Para quem busca ter um dinheirinho extra com fundos guardados na poupança, a notícia não é muito boa já tem algum tempo. Esse investimento depende de dois fatores relacionados à Selic. Com ela acima de 8,5% e juros de 14% ao ano, o rendimento mensal acaba sendo de apenas 0,5% mais TR, o que acaba não compensando as perdas da inflação. Se ela estiver abaixo de 8,5%, o rendimento é calculado sobre 70% do seu valor mais TR, o que continua não sendo vantajoso.

Debêntures:

Desde que o investidor conheça o momento da companhia que ele está investindo, as debêntures podem ser consideradas aplicações válidas, devido ao alto rendimento que oferecem. Esse tipo de investimento é isento do imposto de renda e tem uma renda média maior que a dos CDBs e LCIs.

Artigos relacionados

5 motivos para investir em uma loja colaborativa. Vem ver! Está em desenvolvimento no Brasil um tipo de gestão que já se encontra bastante aprimorada em outros continentes: a gestão colaborativa. Durante o período em que vivi na África do Sul, entre 2013 e 2015, me deparei com inúmeros tipos de comércio que se estrutu...
Planejamento financeiro para driblar os efeitos da crise Dizem que o ano só começa depois do Carnaval, então não há mais desculpas: 2017 chegou. É hora de trabalhar firme e fechar muitos negócios. Os três últimos anos de recessão causaram bastante desconforto no cenário nacional, e muitas empresas acabaram pegas de ...
Como montar uma empresa de R$1 bilhão Aquele ideal de abrir uma empresa que começa do zero, vai progredindo ano a ano, até se tornar uma corporação a ser passada de pai para seus descendentes está cada dia mais distante da realidade do século XXI. Empresas familiares que viraram grandes negócios f...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo.

Comentários