Mobilizar para transformar: melhore a captação de recursos do seu Projeto Social
3 minutos de leitura
08 de junho de 2017

Mobilizar para transformar: melhore a captação de recursos do seu Projeto Social

Se alguém pergunta hoje para as pessoas que atuam no Terceiro Setor qual a principal dificuldade de uma organização, com certeza a maioria responde que é a captação de recursos. Mas, porque essa ainda é uma grande dificuldade? Entre as respostas para essa pergunta estão a crise econômica do país, a falta de interesse das empresas no setor social, a ausência de uma cultura de doação do brasileiro e mais uma série de coisas, quase sempre externas à instituição.

Portanto, alguns especialistas mostram que muitas vezes essa dificuldade vem de causas internas, como a falta de planejamento. A boa notícia é que dá para consertar isso, como afirma Helca Nascimento, diretora de ações sociais da Organização das voluntárias de Goiás (OVG).

Falta de conhecimento

Segundo Helca, a primeira dificuldade é a falta de conhecimento por parte das entidades que compõem o Terceiro Setor da Lei 13.019/2014, conhecida como Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC, que trata de parcerias entre o Estado e as Organizações da Sociedade Civil (OSCs). São termos de colaboração e termos de fomento, dependendo se é projeto do ente estatal, em cooperação com a entidade social ou vice e versa. Essa é uma das ferramentas essenciais para o aumento da captação de recursos para uma organização.

Planejamento

Outras formas de melhorar a captação de recursos de uma organização é estruturar um plano de aplicação deste recurso de forma clara para conferir transparência acerca da captação de recurso. “Os indicadores de atendimento social devem estar claros. Empresários lidam com produtividade. Isto pode ajudar a motivar o investimento. O sistema Ganha/Ganha também é outro meio, pois convence o investidor da responsabilidade social e mostra que existem alternativas de ganho comum, isto é, que atendam aos interesses das partes”, diz Helca.

Para que a captação de recursos seja mais eficaz, é preciso planejá-la. Antes de sair por aí pedindo doações ou concorrendo em editais com um projeto, coloque no papel qual a meta de arrecadação da sua entidade e trace estratégias para alcançá-la. É importante entender a diferença entre fontes de recursos e estratégias de captação para escolher as opções mais apropriadas para a realidade da sua instituição.

As quatro principais fontes de recursos são: fontes institucionais, fundações, iniciativa privada e organizações religiosas. Os caminhos que as instituições precisam adotar para chegar até as fontes de recursos são a elaboração de projetos, para participar de editais, por exemplo, a busca por apoiadores para a organização como um todo, pequenos, médios e grandes doadores, e a geração de renda própria, como venda de produtos ou serviços e realização de eventos, por exemplo. O ideal é atuar sempre com mais de uma estratégia.

Campanhas

Pedir doações não é uma tarefa simples, mas é fundamental se você quer que a sua organização se torne sustentável financeiramente. A crise econômica afeta muito as organizações que dependem de poucos doadores, muito dependentes do Governo ou de empresas, mas ao mesmo tempo abriu oportunidade para que as organizações possam apostar na captação com indivíduos.

Para que a campanha seja bem-sucedida é preciso que ela seja divulgada o máximo possível e transmita a mensagem de uma forma clara e interessante, de preferência contando as histórias reais de pessoas que estão sendo impactadas. Além disso, é preciso planejar como você construirá um relacionamento com as pessoas que participarem da sua ação.

Impacto

Outra dica para atrair apoiadores é mostrar por que o trabalho da organização é relevante. E isso se faz com dados. As instituições precisam conhecer bem suas causas, o que inclui o contexto político, social e cultural da região atendida, e criar indicadores para avaliar se o trabalho realizado está ou não gerando mudanças.

Trabalho em rede

A sua organização conversa com outras que atuam pela mesma causa? Se a resposta for não, saiba que isso é fundamental. Instituições com a mesma causa precisam estar conectadas, trocar informações, desenvolver projetos juntas. Isso fortalece a causa e só traz benefícios a todos os envolvidos.

Sobre a OVG

A missão da Organização das Voluntárias de Goiás, instituição que se tornou referência no cuidado às famílias goianas é promover com excelência a assistência social para reduzir a desigualdade e a vulnerabilidade socioeconômica e disseminar a cultura do voluntariado, incentivando a participação do cidadão.

A OVG proporciona dignidade e respeito ao investir na cidadania por meio de programas sociais, em parceria com o governo do Estado. Valores como qualidade, transparência e ética reforçam sua atuação e o ideal humanístico, com o qual desenvolve suas ações.

A continuidade dos programas e as melhorias desenvolvidas na instituição possibilitam à OVG realizar mais de 3 milhões de atendimentos por ano. O trabalho prestado em parceria com o governo estadual, prefeituras municipais e instituições da sociedade civil beneficia diversos segmentos da população, como crianças, adolescentes, estudantes, idosos e pessoas com deficiência.


Artigos relacionados

Conheça os principais desafios para mobilização de recursos no terceiro setor Captação de recursos é um desafio para quase todos os projetos sociais, que envolve o terceiro setor – inclusive para nós, do Instituto Phi. Se, por um lado, há muitos recursos excedentes para serem mobilizados para o projeto, por outro não é fácil saber como ...
O conhecimento e a interação contribuem para que Projetos Sociais sejam mais assertivos? Empreendedores Sociais costumam ser apaixonados por aquilo que eles apoiam, pela execução dos seus projetos – o que é ótimo. Isso passa, porém, a ser um problema quando o gestor fica tão imerso nas questões operacionais que esquece de olhar o mundo em volta. E...

Sobre Helca Nascimento

Diretora de ações sociais da Organização das voluntárias de Goiás (OVG)

Comentários