Como está o mercado para os profissionais em Licitações e Contratos?
5 minutos de leitura
09 de agosto de 2018

Como está o mercado para os profissionais em Licitações e Contratos?

licitações e contratos

Desde o ano de 2014 os brasileiros têm acompanhado notícias referentes à Operação Lava Jato, um dos maiores escândalos de corrupção do país que trouxe à tona sérios problemas relacionados à falta de ética, desvio de dinheiro e fraudes em processos de licitações e contratos.

Quando se considera os processos abertos na Lava Jato, é possível apontar que todos, ou quase todos, dizem respeito a licitações e contratações públicas realizadas a fim de burlar a legislação para o acometimento de crimes e improbidades administrativas.

São crimes e impropriedades cometidas intencionalmente e que revelam a pior face da corrupção, visto que se trata diretamente de serviços e produtos destinados à sociedade. No entanto, pessoas que trabalham com licitações e contratos também podem cometer crimes simplesmente por falta de conhecimento.

No Brasil existem muitos agentes públicos sendo processados não porque desviou intencionalmente, mas porque não cumpriu exigências legais do processo licitatório. E essa ausência de conhecimento só pode ser suprida pela capacitação profissional.

Por meio dela, os agentes ou operadores dos processos licitatórios estarão preparados para trabalhar com a gestão pública, tornando os processos de aquisição de bens e serviços pela administração pública mais eficientes e benéficos para a sociedade como um todo.

Desta forma, um operador bem formado poderá compreender melhor as possibilidades orçamentárias e a aplicação efetiva dos recursos públicos, além de maximizar os resultados na prestação de serviços voltados para a população geral.

Mas onde estão os profissionais em Licitações e Contratos?

A pergunta é pertinente. O mercado realmente necessita de pessoas qualificadas, especializadas, que saibam exatamente o que são processos licitatórios, que compreenda os trâmites e execute um trabalho bem feito, sem erros que possam gerar estresses e problemas.

E é por esse motivo que hoje coordeno o MBA Licitações e Contratos no Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG), cujo maior objetivo é tornar profissionais aptos  a atuarem com processos licitatórios e contratos administrativos.

O MBA foi pensado para atender esse mercado carente de profissionais qualificados, especializando pessoas que, mesmo com experiência na área, precisam reciclar e aprender novas ferramentas e conhecimentos a fim de evitar erros nos processos.

Para se ter uma ideia, o curso possui um módulo voltado somente para tratar da criminalização e das improbidades administrativas que podem ser cometidas no exercício das atividades licitatórias.

Diferenciais do MBA

Ao contrário de algumas instituições concorrentes, que oferecem cursos sobre licitações apenas relacionados à área jurídica, o IPOG vai além da discussão legal e jurídica sobre o processo licitatório e oferece aos profissionais módulos práticos que visam ensinar:

  • Como montar um edital de licitação;
  • Como receber os produtos e serviços do processo;
  • O acompanhamento do contrato administrativo e da prestação de serviços;
  • Como efetuar os pagamentos;
  • De que forma o orçamento público pode ser utilizado para a aquisição de compras e serviços, dentre outros.

Portanto, a necessidade de criar esse MBA surge, principalmente, desses dois pontos: a falta de profissionais qualificados e a falta de cursos que preparam as pessoas de verdade para o mercado, para lidar com as aquisições de produtos e serviços pela administração pública.

Só para se ter uma ideia, pessoas que já trabalham com licitações e que analisaram a grade curricular, atestaram que os módulos trazem um entendimento prático e preciso do que é trabalhar com licitações e contratos.

Corpo docente: profissionais que carregam não apenas títulos, mas também experiências

Há uma carência na oferta de cursos nesta área por “n” motivos, mas principalmente devido a dificuldade de selecionar professores competentes, experientes e qualificados.

Os professores que integram o MBA Licitações e Contratos são mestres, doutores, especialistas e trazem para a sala de aula todas as suas largas experiências e vivências da área pública e privada, naquilo que toca a aquisição de bens e serviços pelos órgãos da União.

Tratam-se de fiscais federais, auditores federais, juízes, procuradores, auditores de controle interno, pessoas que efetivamente militam dentro do processo licitatório.

Remuneração: quanto ganha um profissional da área?

Este é um fator que varia bastante, mas sempre se mantém relativamente alto. Quando se fala em remuneração, é preciso dividir os profissionais em dois grupos:

1 – Funcionários públicos:

Profissionais que já têm o seu trabalho na esfera pública e que atuam com licitações. O salário é estipulado de acordo com o cargo ocupado dentro da administração pública, podendo ser secretário de finanças até um prefeito de uma prefeitura menor de algum interior, por exemplo.

2 – Profissionais do setor privado:

Neste grupo o destaque é para consultores em licitações. Mas por que são chamados de consultores? Bom, muitas empresas têm o objetivo de vender bens e serviços para o governo, no entanto, elas não dispõem de pessoal capacitado para montar os processos licitatórios de participação nas vendas.

E é aí que entra a figura do consultor. Profissionais que se encaixam nesse grupo são contratados para prestarem consultoria às empresas e elaborarem contratos e licitações. Trata-se de um profissional em falta no mercado!

Com relação ao salário, os valores variam de 5 mil a 20, 30, 80 mil reais. Isso vai depender do volume de compras e da negociação que for feita pelo governo. Tem vendas, por exemplo, que o governo firma contratos milionários! Nesses casos, o consultor pode até receber um percentual do valor do processo da licitação.

Áreas de atuação para especialistas em Licitações e Contratos

Este profissional é bastante requisitado em prefeituras de cidades pequenas, que possuem o interesse de fazer uma licitação de compras de uniformes, merenda escolar, ambulâncias, por exemplo, mas não possuem pessoas preparadas para montar um edital e receber esses bens.

No setor privado, muitas empresas também passam pela mesma situação. Elas enxergam a possibilidade de participar de um certame licitatório para vender bens e produtos ao governo, mas não sabem elaborar um processo, nem quais documentos são necessários, como montar uma proposta de contrato…

São duas grandes áreas que necessitam urgentemente de profissionais qualificados, com conhecimento jurídico e, principalmente, técnico.

E dentre as principais atribuições deste profissional, podemos destacar:

  • Elaboração de planilhas de custos e propostas técnicas;
  • Realização de cadastros de órgãos públicos;
  • Provimento de documentos para participação em licitações;
  • Análises de editais;
  • Levantamento de dados para formulação de propostas e cotação de preços;
  • Arquivamento e acompanhamento de atas e registros de preços.

E quem pode atuar como especialista em processos licitatórios?

Partindo do MBA ofertado pelo IPOG, é importante dizer que não há um tipo de formação exigida para atuar no contexto das licitações e contratos.  É um curso que apresenta formações de turmas heterogêneas, então qualquer profissional, independentemente de sua formação superior, pode ingressar nessa pós-graduação.

Se você tem interesse em atuar neste campo, por que não considerar este investimento em sua carreira? Acesse o link e confira a nossa oferta!


Sobre Fernando Valle

É sócio fundador da  valle corporate, respondendo pela Diretoria Técnica deste instituto. Bacharel em Ciências Contábeis, especialista em Auditoria e Contabilidade Financeira e Mestre em Economia Empresarial pela Universidade Cândido Mendes - RJ, professor de pós-graduação nos cursos de Direito, Administração de Empresas, Engenharia de Produção, coordenador do MBA Licitações e Contratos no Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG).

Comentários