2 minutos de leitura
13 de fevereiro de 2017

O que é Eficiência Energética? E o que engloba?

IPOG, Eficiência Energética

Eficiência energética é a relação entre o resultado da utilização de um determinado equipamento comparado ao seu consumo de energia. Por exemplo, vamos considerar uma lâmpada: a sua eficiência energética é a relação entre a quantidade de luz emitida e o consumo de energia necessária para produzi-la. É importante observar que um determinado modelo de lâmpada será mais eficiente se ele emitir mais luz para um mesmo consumo de energia, ou, ainda, se emitir a mesma quantidade de luz e consumir menos energia.

Mas, afinal, quais são os produtos que tem indicação de eficiência?

Há uma série de produtos que possuem uma Etiqueta Nacional de Conservação de Energia, que informa o nível de eficiência do produto. Pode variar da letra “A”, de mais eficientes, e ir até a letra “E”, ou outras letras, que são menos eficientes.

Há ainda a etiqueta do selo Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica), informa o coordenador do curso de MBA Projeto, Execução e Controle de Energia Elétrica do IPOG, Allan Nascimento.

De acordo com o especialista, os produtos e empresas que se adequam ao programa devem ser valorizados. “Para os produtos que não possuem as etiquetas citadas, deve-se analisar a eficiência energética. Caso contrário, é preciso acreditar na reputação do fornecedor quanto as indicações de eficiência do produto,” afirma.

Quais vantagens em adquirir esses produtos?

Existem inúmeras vantagens em utilizar produtos mais eficientes, afinal, ninguém quer consumir mais energia e pagar por isso sem necessidade. Havendo uma solução mais eficiente, considerando que parâmetros como vida útil e demais características se mantenham constantes, devemos escolher estes produtos.

É preciso desenvolver o uso consciente e racional de energia, pensando numa aplicação coletiva, voltada ao bem comum. Evitar o desperdício, ou seja, utilizar os equipamentos somente em situações onde eles são efetivamente necessários, é uma das dicas do Coordenador e especialista Allan.

Voltando ao exemplo do uso de lâmpadas, pense: para quê deixar uma lâmpada acesa em um ambiente onde ninguém está utilizando? Simples: é melhor apagar. Isso sim é consciência pensando no bem comum!

Gerar energia é caro e difícil, e aumentar a oferta mais difícil ainda, destaca Allan. Se consumirmos menos, haverá menos necessidade de aumento de geração, o que, na maioria dos casos, minimiza a degradação ambiental e social, da natureza e da sociedade, para esta e para as próximas gerações.

Sobre Allan Nascimento

Mestre em energia pela UFABC (2012), Engenheiro eletricista pela EE Mauá (1992). Possui pós-graduação em administração de marketing pelo IMES. Professor no IPOG desde 2010 em diversos cursos e disciplinas, sempre voltadas às áreas de arquitetura e engenharia elétrica. Sólida formação técnica com treinamentos na Bélgica e Portugal. Atua há mais de vinte anos no mercado de iluminação, tendo desenvolvido diversas atividades nas áreas comercial, projetos, assistência técnica, produção e desenvolvimento de equipamentos.

Comentários