Quando e por que uma empresa precisa de Auditoria Financeira?
4 minutos de leitura
02 de maio de 2018

Quando e por que uma empresa precisa de Auditoria Financeira?

Independentemente do tipo e tamanho, toda empresa está sujeita à irregularidades e falhas em seus processos, além de fraudes que podem alcançar grandes proporções. No entanto, é perfeitamente possível preveni-la desses perigos e é exatamente isso que será apresentado ao longo deste texto: um caminho seguro para evitar problemas às organizações.

E qual é este caminho? O consultor e professor de pós-graduação nas áreas de Gestão e Negócios do IPOG, Marcelo Camorim, é quem dá essa resposta. Segundo ele, a Auditoria Financeira é um recurso muito importante que serve para certificar se os controles e processos internos estão eficientes para dar segurança no fornecimento de informações a sócios e investidores de mercado, bem como aos colaboradores da organização.

“Ela simplesmente cumpre os procedimentos, certifica se estes estão adequados de acordo com a política da companhia. A auditoria te dá um conforto”, afirma o professor. A partir dela é possível elaborar um relatório final com a descrição da metodologia aplicada para avaliar os processos, com todos os dados observados no decorrer da análise e com a conclusão do auditor que executou o trabalho.

Dar um parecer sobre a real situação da empresa é uma das partes mais fundamentais, porque a auditoria financeira tem por objetivo apontar irregularidades e problemas e, a partir dessa conclusão, gerar soluções que venham de fato sanar os pontos negativos e provocar melhorias no desempenho e atuação dos colaboradores.

E qual é o melhor momento para recorrer a uma Auditoria Financeira?

Antes de entrar nesse ponto é importante dizer que dentro do segmento de auditoria existem vários produtos, como a auditoria contábil, operacional, da qualidade e a que tem sido foco deste artigo. Nesse sentido, uma empresa deve recorrer a auditoria financeira quando esta estiver inserida em um modelo maduro de gestão.

O professor explica que muitas pessoas acreditam que esse tipo de auditoria é indicado apenas quando a organização já se encontra em um grave problema, como uma fraude. No entanto, ela deve ser adotada muito antes de chegar neste ponto. “Auditoria age preventivamente para certificar que os procedimentos estão sendo cumpridos”, diz.

Portanto, a empresa deve recorrer a esta ferramenta de forma preventiva, para evitar problemas graves, identificar irregularidades que podem ser resolvidas e garantir uma saúde financeira e estrutural da organização, o que é fundamental para que ela se mantenha.

Um ponto importante: é preciso abraçar a auditoria financeira! Isto é, o proprietário e gestores precisam querer a realização desse projeto. “Se a empresa resiste, a auditoria não anda. O dono tem que abraçar a causa para que os demais colaboradores também façam o mesmo”, afirma Camorim. Isso é essencial, pois a auditoria financeira depende dos colaboradores para levantar dados e informações, além de analisar suas atuações e desempenhos.

E o que essa auditoria pode atestar?

De acordo com Camorim, ela pode atuar na identificação dos principais pontos:

  • Rotinas não cumpridas;
  • Profissionais não adequados aos cargos;
  • Problemas de controles internos que não haviam sido detectados;
  • Indícios de desvios financeiros.

Uma vez identificados, será possível estabelecer planos e soluções para evitar problemas bem maiores, que podem colocar o negócio até mesmo em falência (confira o nosso webinar sobre Reestruturação Financeira e a necessidade de reinventar caminhos). Normalmente, os profissionais capacitados a realizarem uma auditoria financeira são aqueles das áreas de contabilidade e administração, principalmente.

E ela pode ser tanto interna quanto externa. O professor explica:

Auditoria Interna: é executada pelos próprios funcionários da empresa, tendo por objetivo o cumprimento das normas e exigências legais. Um de seus pontos negativos é que, por ser realizada por colaboradores internos, corre-se o risco de informações e dados serem omitidos e a conclusão ser feita de forma parcial.

Auditoria Externa: também conhecida por “independente”, esta é realizada por consultorias e equipes especializadas no assunto, sem qualquer ligação com a empresa. Nesse sentido, os pareceres tendem a ser feitos de forma mais transparente e imparcial.

Qual a diferença entre a auditoria financeira e a contábil?

É muito comum que façam confusão entre esses dois tipos de auditoria. Por mais que os nomes sejam semelhantes e remetam a ideias parecidas, a auditoria contábil diz respeito a outro processo.

“A auditoria contábil serve para dar um parecer das demonstrações financeiras da empresa ao mercado, tais como o balanço patrimonial e demonstração de resultados. Já a financeira certifica se os procedimentos estão sendo cumpridos, e ela não possui a obrigação de prestar informações ao mercado, mas sim para quem a contratou, ou seja, o proprietário/sócio do negócio”, diferencia Camorim.

10 benefícios da Auditoria Financeira

As empresas que se encontram em um modelo de gestão amadurecido recorrem a auditoria de forma absoluta, como explica o professor. Seja para se manter bem no mercado ou para prestar informações aos sócios ou ainda para conquistar a confiança e expressar credibilidade aos investidores.

Portanto, se você ainda alimenta dúvidas sobre aderir ou não à auditoria financeira, listamos abaixo 10 benefícios que podem contribuir à manutenção e segurança do seu negócio. Confira:

  1. Segurança na informação
  2. Fiscalização da eficiência do controle
  3. Garante a manutenção da empresa
  4. Melhora margens de lucro
  5. Segurança para os colaboradores
  6. Dificulta desvios e pagamentos indevidos
  7. Cumprimento de rotinas dentro das políticas
  8. Transparência na governança
  9. Melhoria de compliance
  10. Treinamento de pessoas

Quer ficar por dentro de mais conteúdos na área de gestão e negócios? Então continue navegando pelo nosso blog! Este artigo, por exemplo, pode te ajudar a iniciar uma trajetória no mundo empresarial, afinal, pode ser que você ainda esteja um pouco longe de se preocupar com a auditoria financeira, certo? Boa leitura!


Artigos relacionados

O que as ferrovias têm a ver com a economia de um país? Nos últimos 50 anos, as ferrovias brasileiras vem sofrendo com a falta de investimento na construção de novas linhas férreas, em detrimento do desenvolvimento do modal rodoviário, haja vista que poucas obras foram iniciadas pelo governo federal e, dessas pouca...
20 erros que devem ser evitados na condução de uma empresa No desempenhar da minha profissão, tenho tido oportunidade de aprender com grandes mestres da gestão empresarial, que em proveitosos bate-papos, me transmitem a imensa sabedoria adquirida por anos de prática, somados a estudos sobre a excelência administrativa...
2018: o ano de superação da crise Quanto mais perto nos aproximamos do final de 2017 sentimos a necessidade de deixar para trás todas as dificuldades que este ano propiciou ao setor produtivo. Pois venho trazer boas notícias: quem sobreviveu a 2017 está preparado para iniciar um ciclo de prosp...

Sobre Marcelo Camorim

Tem 30 anos de experiência em empresas multinacionais, tendo ocupado cargo de CEO de grandes empresas como Ricardo Eletro, Drogaria Santa Marta, entre outras. É contador e bacharel em Direito, com MBA em Gestão de empresas e MBA em Relação com Investidores. Atualmente é Presidente do Conselho de Administração da Hospfar; conselheiro há 7 anos da GSA Alimentos e conselheiro convidado da FECOMÉRCIO do Estado do Ceará. Atua como professor do Instituto de Pós-Graduação e Graduação IPOG em MBAs nas áreas de Gestão e Negócios.

Comentários