5 práticas para se tornar um gestor financeiro de sucesso
3 minutos de leitura
06 de julho de 2017

5 práticas para se tornar um gestor financeiro de sucesso

Gestor Financeiro

O gestor financeiro é aquele profissional multitarefas, encarregado de conduzir o bom andamento financeiro de uma organização. Sua tarefa inclui muitas atividades desafiadoras que envolvem a análise, organização, controle e planejamento de novos objetivos de negócios.

Você pode estar pensando: nossa até o planejamento de novos objetivos cabe a ele? Sim, pois é do departamento financeiro que surgem as diretrizes de quando a empresa deve promover cortes de gastos, por exemplo. Portanto, ele sempre precisa ter uma carta na manga que indica como não perder a produtividade diante de um cenário em recessão, nestes casos.

Diante do desafio de se colocar essa atividade em prática, desenvolvemos um passo a passo de ações que vão contribuir para as boas práticas do gestor financeiro. Nossa intenção é que o profissional alcance eficiência ao adotar soluções simples no seu dia a dia de trabalho.

1. Planejamento orçamentário: a carta na manga do bom Gestor Financeiro

Toda empresa bem estruturada precisa de um orçamento organizado e detalhado. Essa informação é crucial para embasar as tomadas de decisões e traçar os próximos investimentos. Portanto, cabe ao gestor financeiro manter um documento nítido e objetivo, permitindo fazer análises em tempo real e captar informações imediatas.

Para isso, o gestor deve alinhar os objetivos do planejamento estratégico ao orçamentário, garantindo que eles estejam compatíveis. Uma forma de facilitar essa atividade é buscar um sistema de automatização, por meio de softwares específicos, que contribuem para a organização dos dados orçamentários e sua visualização de maneira fácil e compreensível.

2. Planejamento estratégico:

Se dedicar ao planejamento estratégico é fundamental em cenários estáveis, imagine em momentos de crise econômica! Cenários de incerteza demandam tomada de decisões mais rápidas afim de impedirem o avanço da crise.

Cabe aos gestores financeiros contribuírem para o redirecionamento da empresa rumo ao crescimento, ou ao menos, longe da recuperação judicial.

Portanto, o planejamento estratégico inclui ações que antecipem esses desafios. É preciso reunir e preparar profissionais capacitados e recursos necessários para lidar neste cenário. Um bom gestor financeiro se antecipa aos cenários porque sabe ler o caminho que os negócios estão tomando e prever as consequências de tais posicionamentos.

3. Previsão de caixa:

Uma ação complementar aos dois planejamentos (estratégico e orçamentário), a previsão de caixa é uma das grandes prioridades do gestor financeiro, bem como um de seus maiores desafios. Por meio dela é possível adaptar melhor a empresa ao mercado em alta volatilidade.

Uma previsão bem feita e fundamentada permite a tomada de decisões com maior segurança e com a antecedência necessária para evitar desgastes. Essa tarefa exige extrema habilidade do profissional, pois qualquer erro coloca a organização passível de comprometer seu planejamento financeiro.

Uma forma de contribuir com essa desafiadora atividade é obter o auxílio de um sistema automatizado e que contribua com a integração de tarefas, permitindo maior visualização do cenário e as probabilidades futuras com projeções e simulações.

4. Controle de leis e normas:

O departamento financeiro é um dos mais susceptíveis a mudanças legais. Portanto, os gestores financeiros precisam dedicar parte de seu tempo nesta atualização sob risco da empresa não atender alguma norma modificada com frequência.

O número crescente de regulamentos e mudanças na cobrança de impostos, ou mesmo nas alíquotas faz com que o gestor desta área se torne um exímio pesquisador do assunto. Para acompanhar essa evolução com qualidade é preciso investir em capacitação da equipe que cuida diretamente deste assunto.

5. Análise dos resultados almejados:

Implementar mudanças são muito importantes quando elas passam por uma análise para se medir o seu efetivo resultado. O departamento financeiro que adota um novo sistema de automação, por exemplo, precisa ter um estudo que mostre a sua real validade, comparando os resultados alcançados antes e após a sua operação.

Outra forma de se analisar resultados é verificar se as previsões financeiras feitas se concretizaram no futuro próximo que elas foram idealizadas.

Ter um mapa de análise das atitudes tomadas pelo departamento é importante para se comprovar se os resultados almejados estão sendo atingidos, ou onde é preciso manter o foco para alcançá-lo.

A dica dos especialistas da área para conseguirem ter maior eficiência na área gerencial é terceirizar os serviços contábeis, deixando-os livres para se concentrarem no planejamento estratégico e nas análises de resultado. Outra contribuição salutar é proveniente das consultorias e auditorias realizadas por equipe de especialistas que, ao desenvolverem um olhar de fora, sem apegos, conseguem notar falhas com  maior facilidade, ajudando a construir o mapa de direcionamento das ações corporativas.


Artigos relacionados

6 ideias imperdíveis para empreender em 2019 O ano de 2017 encerrou com a economia apresentando crescimento em 1%, segundo informações divulgadas pelo IBGE. O que sinalizou um cenário de recuperação econômica neste ano de 2018. Porém, ainda tem sido um período de muita resiliência. O momento ainda tem...
Como se preparar para o cenário de recuperação econômica O Brasil vive hoje uma crise sem precedentes, de cunho político e institucional, que reverbera diretamente na economia brasileira. Ao analisarmos o cenário macroeconômico notamos uma falta de confiança em todas as esferas quanto ao momento de se retomar os inv...
Como ser competitivo em tempos de crise econômica Estamos totalmente absorvidos pela crise econômica e política que é considerada uma das maiores dos últimos 50 anos. Não precisa ir longe para constatar tal verdade. Uma busca rápida no site do Banco Central mostra que durante o crash da Bolsa de Nova Iorque e...

Sobre Camilo Cotrim

Formado em Administração de Empresas, pós-graduado em Estratégia, especialista em Finanças, mestrando em Contabilidade e Coordenador do curso de MBA Gestão de Negócios, Controladoria e Finanças Corporativas do IPOG.

Comentários