5 práticas para se tornar um gestor financeiro de sucesso
3 minutos de leitura
06 de julho de 2017

5 práticas para se tornar um gestor financeiro de sucesso

Gestor Financeiro

O gestor financeiro é aquele profissional multitarefas, encarregado de conduzir o bom andamento financeiro de uma organização. Sua tarefa inclui muitas atividades desafiadoras que envolvem a análise, organização, controle e planejamento de novos objetivos de negócios.

Você pode estar pensando: nossa até o planejamento de novos objetivos cabe a ele? Sim, pois é do departamento financeiro que surgem as diretrizes de quando a empresa deve promover cortes de gastos, por exemplo. Portanto, ele sempre precisa ter uma carta na manga que indica como não perder a produtividade diante de um cenário em recessão, nestes casos.

Diante do desafio de se colocar essa atividade em prática, desenvolvemos um passo a passo de ações que vão contribuir para as boas práticas do gestor financeiro. Nossa intenção é que o profissional alcance eficiência ao adotar soluções simples no seu dia a dia de trabalho.

1. Planejamento orçamentário: a carta na manga do bom Gestor Financeiro

Toda empresa bem estruturada precisa de um orçamento organizado e detalhado. Essa informação é crucial para embasar as tomadas de decisões e traçar os próximos investimentos. Portanto, cabe ao gestor financeiro manter um documento nítido e objetivo, permitindo fazer análises em tempo real e captar informações imediatas.

Para isso, o gestor deve alinhar os objetivos do planejamento estratégico ao orçamentário, garantindo que eles estejam compatíveis. Uma forma de facilitar essa atividade é buscar um sistema de automatização, por meio de softwares específicos, que contribuem para a organização dos dados orçamentários e sua visualização de maneira fácil e compreensível.

2. Planejamento estratégico:

Se dedicar ao planejamento estratégico é fundamental em cenários estáveis, imagine em momentos de crise econômica! Cenários de incerteza demandam tomada de decisões mais rápidas afim de impedirem o avanço da crise.

Cabe aos gestores financeiros contribuírem para o redirecionamento da empresa rumo ao crescimento, ou ao menos, longe da recuperação judicial.

Portanto, o planejamento estratégico inclui ações que antecipem esses desafios. É preciso reunir e preparar profissionais capacitados e recursos necessários para lidar neste cenário. Um bom gestor financeiro se antecipa aos cenários porque sabe ler o caminho que os negócios estão tomando e prever as consequências de tais posicionamentos.

3. Previsão de caixa:

Uma ação complementar aos dois planejamentos (estratégico e orçamentário), a previsão de caixa é uma das grandes prioridades do gestor financeiro, bem como um de seus maiores desafios. Por meio dela é possível adaptar melhor a empresa ao mercado em alta volatilidade.

Uma previsão bem feita e fundamentada permite a tomada de decisões com maior segurança e com a antecedência necessária para evitar desgastes. Essa tarefa exige extrema habilidade do profissional, pois qualquer erro coloca a organização passível de comprometer seu planejamento financeiro.

Uma forma de contribuir com essa desafiadora atividade é obter o auxílio de um sistema automatizado e que contribua com a integração de tarefas, permitindo maior visualização do cenário e as probabilidades futuras com projeções e simulações.

4. Controle de leis e normas:

O departamento financeiro é um dos mais susceptíveis a mudanças legais. Portanto, os gestores financeiros precisam dedicar parte de seu tempo nesta atualização sob risco da empresa não atender alguma norma modificada com frequência.

O número crescente de regulamentos e mudanças na cobrança de impostos, ou mesmo nas alíquotas faz com que o gestor desta área se torne um exímio pesquisador do assunto. Para acompanhar essa evolução com qualidade é preciso investir em capacitação da equipe que cuida diretamente deste assunto.

5. Análise dos resultados almejados:

Implementar mudanças são muito importantes quando elas passam por uma análise para se medir o seu efetivo resultado. O departamento financeiro que adota um novo sistema de automação, por exemplo, precisa ter um estudo que mostre a sua real validade, comparando os resultados alcançados antes e após a sua operação.

Outra forma de se analisar resultados é verificar se as previsões financeiras feitas se concretizaram no futuro próximo que elas foram idealizadas.

Ter um mapa de análise das atitudes tomadas pelo departamento é importante para se comprovar se os resultados almejados estão sendo atingidos, ou onde é preciso manter o foco para alcançá-lo.

A dica dos especialistas da área para conseguirem ter maior eficiência na área gerencial é terceirizar os serviços contábeis, deixando-os livres para se concentrarem no planejamento estratégico e nas análises de resultado. Outra contribuição salutar é proveniente das consultorias e auditorias realizadas por equipe de especialistas que, ao desenvolverem um olhar de fora, sem apegos, conseguem notar falhas com  maior facilidade, ajudando a construir o mapa de direcionamento das ações corporativas.

Artigos relacionados

Fluxo de caixa: uma necessidade desconhecida Conhecer seus limites financeiros. Esta é a chave de um negócio para que ele não se afunde em um mar de dívidas. Não é à toa que o SEBRAE listou os 6 maiores erros que levam uma empresa a abrir estado de falência. E sabe qual item apareceu entre estes seis? A ...
Por que criar uma startup de economia criativa? Cinema, design, moda, arquitetura, literatura, artes cênicas e audiovisual são áreas que têm revelado inúmeras oportunidades no universo das startups, por meio da economia criativa. Além de fazer parte do nosso dia a dia, elas estão entre os setores mais promi...
Preciso contratar, e agora? Um dos problemas que mais tiram o sono de um líder é a contratação errada. Quando um recrutamento é mal feito, além dos custos financeiros desembolsados pela empresa, também podem ser gerados desgastes emocionais para o funcionário e alguma outra parte envolvi...

Sobre Camilo Cotrim

Mestre em Contabilidade pela FUCAPE Business School. Pós-graduado em Estratégia; Pós-graduação em Docência do Ensino Superior. Especializou-se em Finanças/Sebrae, em Franchising/ Franchising University/SP e Lead Assessor – MCG/Batalas. APG Sênior Amana-Key. Especialização, MBA em Gestão Organizacional Franklin Covey/IPOG; formado em administração pela PUC/GO. Formação de Conselheiro pelo IBGC - Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Iniciou sua carreira no Sistema Sebrae em 1991 permanecendo por 11 anos, onde exerceu cargos de consultor, instrutor de treinamentos e gerente de projeto. De 2001 a 2007 atuou no segmento da educação superior onde exerceu cargo de Diretor Administrativo Universidade Salgado de Oliveira – (Universo), assumindo também as funções de Professor na graduação, pós-graduação, coordenador de pós-graduação, coordenador de Estágios e professor da graduação até 2015. Em 2007 assumiu a função de diretor no Hospital São Francisco de Assis, prestando também assessoria e consultoria a entidades de classe hospitalares em Goiás. Empreendeu como sócio em indústria de pequeno porte, empresa de consultoria (Dókimos), (Ressonância Magnética); Foi sócio da Dr. Atende JÁ!. Atualmente exerce a função de Conselheiro e realiza mentoria a executivos para preparação para sucessão familiar. Coordena o curso MBA em Gestão de Negócios, Controladoria e Finanças Corporativas. É professor de pós-graduação no IPOG. Sócio da ELLEVTI Inteligência em Negócios; Sócio da Prospera.

Comentários