NuDetective: ferramenta forense de combate à pedofilia
3 minutos de leitura
04 de outubro de 2017

NuDetective: ferramenta forense de combate à pedofilia

NuDetective programa de análise forense

O NuDetective é um software que identifica arquivos com conteúdo pornográfico infanto-juvenil em locais de crime e de busca e apreensão com suspeita de pedofilia. A ferramenta forense foi desenvolvida pelo Perito Criminal Federal e professor do curso de Pós-graduação em Computação Forense e Perícia Digital do IPOG, Pedro Monteiro da Silva Eleutério e pelo Perito Criminal Federal Mateus de Castro Polastro.

Quer saber quais são as principais características desse sistema e como ele contribui com combate à pedofilia? Então você precisa ler este artigo!

A pedofilia é uma prática criminosa que leva o indivíduo a ter atração sexual por crianças e adolescentes. Segundo dados divulgados pelo Disque 100 e o aplicativo Proteja Brasil, em 2015 e 2016 foram denunciados 37 mil casos de violência sexual contra crianças e adolescentes.

De acordo com o artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente é crime divulgar e ter posse de qualquer registro, seja em foto, vídeo ou outro arquivo, em qualquer mídia, que tenha cena de sexo explícito ou pornografia com crianças e adolescentes.

A investigação desse tipo de prática criminosa pela Polícia Federal em cenas de crime tem sido cada vez mais eficaz, principalmente após a criação da ferramenta NuDetective.

NuDetective: principais características

A ferramenta forense NuDetective foi desenvolvida para contribuir com as investigações suspeitas de pedofilia por meio da detecção automática de nudez e pornografia infantil em arquivos armazenados em computadores, HDs, pen drives, cartões de memória e celulares.

Sem esse software os policiais apreendiam os equipamentos para posteriormente os peritos analisarem o conteúdo. Dessa forma a perícia poderia demorar dias para analisar os arquivos e o suspeito poderia fugir com mais facilidade. Agora, com a ferramenta NuDetective, em poucos minutos e na cena do crime, os peritos conseguem analisar e identificar arquivos ilegais com conteúdo pornográfico de pedofilia com a possibilidade de prender o suspeito em flagrante.

O sistema, disponibilizado gratuitamente para forças da lei e entidades públicas, foi desenvolvido em Java e é utilizado pela Polícia Federal, Polícias Estaduais e outras instituições públicas nacionais de segurança, além de corporações policiais da Argentina, Áustria, Noruega, Nova Zelândia, Paraguai, Portugal e Suécia. Em 5 anos o software colaborou com a prisão de mais de 150 criminosos somente no Brasil.

O NuDetective é um software portátil, disponibilizado em CDs ou pen drives, e não precisa ser instalado no computador que será investigado. Possui versões em Português, Inglês e Espanhol.

Técnicas computacionais de análise

As principais técnicas de análise e detecção de nudez da ferramenta forense NuDetective são:

Análise de Imagem: O software faz a busca de imagens, analisa o conteúdo e faz a detecção automática de nudez por meio da identificação de pixels de imagens com maior percentual de tom de pele humana juntamente com a aplicação de técnicas de geometria computacional.

Análise de Nomes: A ferramenta forense NuDetective faz a análise de palavras-chaves por meio de pesquisa de nomes dos arquivos para identificar termos comuns associados à pedofilia.

Análise de Hash: Hash é um código virtual de um arquivo, como se fosse uma impressão digital. O programa NuDetective faz a busca de arquivos por hashes  e compara com os códigos de hashes de arquivos ilegais presentes no banco de dados da Polícia Federal.

Análise de Vídeo: é o recurso mais recente implementado na ferramenta NuDetective. O software identifica vídeos de pornografia infanto-juvenil por meio da extração de frames de vídeos e aplicação do algoritmo de detecção de nudez, considerando a distribuição temporal desses frames ao longo do vídeo.

Como funciona o NuDetective?

Passo a passo:

1º) O perito conecta a mídia a ser investigada em seu notebook com algum tipo de bloqueio contra escrita (físico ou lógico), garantindo a preservação total das evidências;

2º) Inicia-se a ferramenta forense NuDetective;

3º) O local (partições do dispositivo de armazenamento) a ser examinado é selecionado;

4º) O sistema de análise do NuDetective é executado;

5º) Por meio das técnicas computacionais de análise, o sistema detecta os arquivos mais prováveis (suspeitos) de possuírem conteúdo relacionado com pornografia infanto-juvenil;

6º) Com a própria interface de resultados do NuDetective, em alguns minutos o Perito analisa os arquivos suspeitos, decidindo sobre a existência ou não de pornografia infanto-juvenil.

“É muito gratificante fazer parte de um projeto que contribui com a proteção de crianças e adolescentes do Brasil e do mundo. A aplicação de técnicas da Computação aplicadas à Computação Forense permitiu a que a investigação criminal de pornografia infantil fosse mais rápida e eficaz, colaborando com o combate à pedofilia e com a justiça” destaca o professor do IPOG Pedro Monteiro da Silva Eleutério.

Além de várias premiações nacionais e internacionais e notícias em diversos veículos de comunicação, a ferramenta forense NuDetective  recentemente foi destaque no programa Bom Dia Brasil da Rede Globo, confira aqui o vídeo da reportagem.

 


Artigos relacionados

5 passos essenciais para realizar a perícia forense em celulares Até maio deste ano, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) registrou que no Brasil existem 242,3 milhões de celulares. Esse grande número de aparelhos disponíveis e o desenvolvimento de novos recursos tecnológicos em dispositivos móveis trouxeram desa...
Boiada digital, não seja mais um! Mais do mesmo, essa é a nova tendência do mundo corporativo na internet. Novas tecnologias, ferramentas poderosas com um alto poder de segmentação para que?O importante é seguir a boiada, não ter originalidade, fazer o convencional. Em meados de 2013 quand...
Quais as competências profissionais de um perito em documentoscopia? Estamos vivendo uma era de informatização de nossas vidas: nossas atividades, trabalhos e relacionamentos. Mesmo assim, ainda continuamos a usar, em nosso dia a dia, documentos físicos, tanto cédulas de papel quanto cartões plásticos com chip eletrônico e tarj...

Sobre Pedro Monteiro

Graduado em Engenharia de Computação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e mestre em Ciências da Computação e Matemática Computacional pela Universidade de São Paulo (USP). Atua como Perito Criminal Federal na área de Informática desde 2006. É autor da Ferramenta Forense NuDetective, que auxilia na identificação de arquivos de pornografia infanto-juvenil em computadores. É professor da pós-graduação em Perícia Criminal & Ciências Forenses do IPOG.

Comentários