NuDetective: ferramenta forense de combate à pedofilia
3 minutos de leitura
04 de outubro de 2017

NuDetective: ferramenta forense de combate à pedofilia

NuDetective programa de análise forense

O NuDetective é um software que identifica arquivos com conteúdo pornográfico infanto-juvenil em locais de crime e de busca e apreensão com suspeita de pedofilia. A ferramenta forense foi desenvolvida pelo Perito Criminal Federal e professor do curso de Pós-graduação em Computação Forense e Perícia Digital do IPOG, Pedro Monteiro da Silva Eleutério e pelo Perito Criminal Federal Mateus de Castro Polastro.

Quer saber quais são as principais características desse sistema e como ele contribui com combate à pedofilia? Então você precisa ler este artigo!

A pedofilia é uma prática criminosa que leva o indivíduo a ter atração sexual por crianças e adolescentes. Segundo dados divulgados pelo Disque 100 e o aplicativo Proteja Brasil, em 2015 e 2016 foram denunciados 37 mil casos de violência sexual contra crianças e adolescentes.

De acordo com o artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente é crime divulgar e ter posse de qualquer registro, seja em foto, vídeo ou outro arquivo, em qualquer mídia, que tenha cena de sexo explícito ou pornografia com crianças e adolescentes.

A investigação desse tipo de prática criminosa pela Polícia Federal em cenas de crime tem sido cada vez mais eficaz, principalmente após a criação da ferramenta NuDetective.

NuDetective: principais características

A ferramenta forense NuDetective foi desenvolvida para contribuir com as investigações suspeitas de pedofilia por meio da detecção automática de nudez e pornografia infantil em arquivos armazenados em computadores, HDs, pen drives, cartões de memória e celulares.

Sem esse software os policiais apreendiam os equipamentos para posteriormente os peritos analisarem o conteúdo. Dessa forma a perícia poderia demorar dias para analisar os arquivos e o suspeito poderia fugir com mais facilidade. Agora, com a ferramenta NuDetective, em poucos minutos e na cena do crime, os peritos conseguem analisar e identificar arquivos ilegais com conteúdo pornográfico de pedofilia com a possibilidade de prender o suspeito em flagrante.

O sistema, disponibilizado gratuitamente para forças da lei e entidades públicas, foi desenvolvido em Java e é utilizado pela Polícia Federal, Polícias Estaduais e outras instituições públicas nacionais de segurança, além de corporações policiais da Argentina, Áustria, Noruega, Nova Zelândia, Paraguai, Portugal e Suécia. Em 5 anos o software colaborou com a prisão de mais de 150 criminosos somente no Brasil.

O NuDetective é um software portátil, disponibilizado em CDs ou pen drives, e não precisa ser instalado no computador que será investigado. Possui versões em Português, Inglês e Espanhol.

Técnicas computacionais de análise

As principais técnicas de análise e detecção de nudez da ferramenta forense NuDetective são:

Análise de Imagem: O software faz a busca de imagens, analisa o conteúdo e faz a detecção automática de nudez por meio da identificação de pixels de imagens com maior percentual de tom de pele humana juntamente com a aplicação de técnicas de geometria computacional.

Análise de Nomes: A ferramenta forense NuDetective faz a análise de palavras-chaves por meio de pesquisa de nomes dos arquivos para identificar termos comuns associados à pedofilia.

Análise de Hash: Hash é um código virtual de um arquivo, como se fosse uma impressão digital. O programa NuDetective faz a busca de arquivos por hashes  e compara com os códigos de hashes de arquivos ilegais presentes no banco de dados da Polícia Federal.

Análise de Vídeo: é o recurso mais recente implementado na ferramenta NuDetective. O software identifica vídeos de pornografia infanto-juvenil por meio da extração de frames de vídeos e aplicação do algoritmo de detecção de nudez, considerando a distribuição temporal desses frames ao longo do vídeo.

Como funciona o NuDetective?

Passo a passo:

1º) O perito conecta a mídia a ser investigada em seu notebook com algum tipo de bloqueio contra escrita (físico ou lógico), garantindo a preservação total das evidências;

2º) Inicia-se a ferramenta forense NuDetective;

3º) O local (partições do dispositivo de armazenamento) a ser examinado é selecionado;

4º) O sistema de análise do NuDetective é executado;

5º) Por meio das técnicas computacionais de análise, o sistema detecta os arquivos mais prováveis (suspeitos) de possuírem conteúdo relacionado com pornografia infanto-juvenil;

6º) Com a própria interface de resultados do NuDetective, em alguns minutos o Perito analisa os arquivos suspeitos, decidindo sobre a existência ou não de pornografia infanto-juvenil.

“É muito gratificante fazer parte de um projeto que contribui com a proteção de crianças e adolescentes do Brasil e do mundo. A aplicação de técnicas da Computação aplicadas à Computação Forense permitiu  que a investigação criminal de pornografia infantil fosse mais rápida e eficaz, colaborando com o combate à pedofilia e com a justiça” destaca o professor do IPOG Pedro Monteiro da Silva Eleutério.

Além de várias premiações nacionais e internacionais e notícias em diversos veículos de comunicação, a ferramenta forense NuDetective  recentemente foi destaque no programa Bom Dia Brasil da Rede Globo, confira aqui o vídeo da reportagem.

 


Artigos relacionados

Como empreender no mercado de tecnologia? Já pensou em empreender no mercado de tecnologia? Se esse é o seu objetivo, saiba que no mundo todo, há décadas, os gastos corporativos com tecnologia só crescem. É isso mesmo, há oportunidades a serem aproveitas por aqueles que possuem a veia empreendedora. ...
Crimes contra a honra: investigação de publicações ofensivas na Internet Ofender outras pessoas por meio da divulgação de conteúdo de ódio, falsas acusações, propagação de mensagens de preconceito, discriminação racial, de cor, etnia, religião, gênero, origem, pela condição da pessoa ser idosa ou pessoas portadoras de deficiência o...
Inspirando Carreiras: Perito Criminal conta sua experiência na área de Computação Forense Já pensou em seguir na área de Computação Forense? Então confira relatos inspiradores de um Aluno IPOG. O aumento da criminalidade é uma realidade assustadora. Cada vez mais criminosos se beneficiam dos recursos tecnológicos para facilitar o cometimento de cri...

Sobre Pedro Monteiro

Graduado em Engenharia de Computação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e mestre em Ciências da Computação e Matemática Computacional pela Universidade de São Paulo (USP). Atua como Perito Criminal Federal na área de Informática desde 2006. É autor da Ferramenta Forense NuDetective, que auxilia na identificação de arquivos de pornografia infanto-juvenil em computadores. É professor da pós-graduação em Perícia Criminal & Ciências Forenses do IPOG.

Comentários