Conheça o poderoso efeito dos Gatilhos Mentais
3 minutos de leitura
08 de fevereiro de 2017

Conheça o poderoso efeito dos Gatilhos Mentais

IPOG, Gatilhos Mentais

Todas as decisões humanas são tomadas primeiramente no inconsciente, e só depois vêm à consciência, normalmente acompanhadas de uma justificativa racional. Um estudo realizado pela Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS) mostrou que o ato de escolher pode ser dividido em três partes:

  1. Seu cérebro decide o que você vai fazer;
  2. Essa decisão aparece na sua consciência, o que transmite a sensação de que você está tomando a decisão de forma racional;
  3. Você age de acordo com a decisão tomada;

Por incrível que pareça, existe um número enorme de decisões que nosso cérebro toma e executa sem informar à nossa consciência. Entretanto, o nosso sistema nervoso possui um mecanismo de filtragem para validar as nossas escolhas. E é aí que entram os gatilhos mentais.

Esses gatilhos são diretrizes que nosso cérebro adota para não precisar fazer todo um trabalho de reflexão a cada decisão tomada. Técnicas de persuasão que se relacionam com aspectos instintivos, emocionais e sociais presentes em todos os seres humanos.

Os gatilhos mentais, quando aplicados de forma correta, são capazes de engajar as pessoas, motivando-as a agir. Veja abaixo quatro deles que você pode utilizar de forma rápida e comprovar a efetividade:

Gatilho de Escassez / Urgência

É comum ouvirmos a frase, “precisou perder para dar valor”, especialmente no que diz respeito a relacionamentos afetivos. Essa mesma lógica também funciona para os negócios. As pessoas costumam valorizar mais o produto que é escasso. O inconsciente coletivo associa que, quanto mais difícil for conseguir determinado objeto de desejo, mais raro e valioso ele é.

Esse gatilho é um dos mais poderosos. Quando o cliente não está totalmente seguro sobre comprar o produto, a possibilidade de não poder tê-lo o fará agir de forma mais rápida. Por exemplo, o bônus X só será dado até dia Y. Ou, o ingresso do evento ao vivo só será fornecido para os 200 primeiros compradores.

Gatilho de Reciprocidade

Há uma tendência natural a querer retribuir àquilo ou àquele que nos gera valor de alguma forma. Mas é claro que para alcançar o alvo é preciso que o cliente perceba esse ato como algo espontâneo. As ações devem primeiro ter como objetivo tornar a vida das pessoas mais simples, e depois, gerar algum lucro. Não o contrário, porque as pessoas sentem isso.

Esse é o gatilho mais nobre e dever ser usado em qualquer negócio, mesmo aqueles que não usam uma estratégia de marketing de conteúdo. Um exemplo do uso desse gatilho é quando a empresa oferece uma amostra grátis do produto ou serviço.

Com isso, a pessoa fica com a sensação de que ela está te devendo um favor e precisa retribuir de alguma forma. O mais importante é ter a reciprocidade como hábito, ela gera frutos para o negócio, e os ganhos estão além do que a ciência pode explicar. A sensação de ajudar as pessoas e sentir-se útil é imensurável.

Gatilho do Porque

Há uma frase famosa de que o que move o mundo não são as respostas e sim as perguntas. Por mais que nossas decisões sejam tomadas no âmbito do inconsciente, nossa mente sempre procura respostas para justificar nossas ações. As pessoas gostam de ter razões para o que elas fazem. Desta forma, busque sempre justificar o que você está fazendo. Quanto mais verdadeiro for seu argumento, maiores serão as chances de seu público confiar em você.

Se não existir uma explicação, geralmente as pessoas desconfiam que é somente uma estratégia de venda. Outro detalhe importantíssimo é que se você disse que as vendas se encerrarão amanhã, elas devem encerrar amanhã mesmo.

Gatilho de Antecipação

Para usar esse gatilho em sua estratégia é preciso planejar o lançamento do produto e começar a fazer a publicidade com informações e dicas sobre ele, semanas ou meses antes do lançamento.

Nesse caso se realiza entrevistas com especialistas na área, escreve-se artigos que mostram um pouco da história e até mesmo cria-se um trailer para o produto que será lançado. Se for possível, pessoas influentes também comentam sobre o produto que está por vir.

Assim, é formada uma comunidade de pessoas ansiosas para comprar o produto, especialmente se já houver uma demanda latente por ele.

Artigos relacionados

Native ads: descubra a prática que vai mudar a sua forma de ver a publicidade “Compre batom, compre batom!” Sim, esse foi um ótimo slogan e rendeu bons resultados para a marca. Mas isso nos anos 80! Nos tempos em que a tecnologia faz cada vez mais parte da vida das pessoas, o velho uso de imperativo nas propagandas não convence mais, nã...
Professor do IPOG relata pontos altos do RD Summit– maior evento de marketing digital da América Lat... O Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG) marcou presença na edição 2017 do RD Summit, realizado de 18 a 20 de outubro, na capital Florianópolis (SC). Considerado o maior evento de Marketing Digital da América Latina, o evento reúne em três dias grandes ...
Lições de um evento de Tecnologia e Inovação: Campus Party Brasília Nesse último final de semana estive imerso em um dos grandes eventos de tecnologia e inovação no Brasil: a Campus Party Brasília.  Como muitos profissionais e estudantes não puderam estar presentes, resolvi compartilhar o que aprendi por lá. Iot (Internet of ...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo.

Comentários