Será que você sabe mesmo o que é Psicologia Positiva?
5 minutos de leitura
30 de agosto de 2018

Será que você sabe mesmo o que é Psicologia Positiva?

o que é Psicologia Positiva

Aqui no Blog IPOG, nós já falamos várias vezes sobre como a Psicologia Positiva pode impactar a nossa vida profissional e pessoal. No entanto, muita gente ainda não entende ao certo o que é Psicologia Positiva e qual a sua funcionalidade no processo de desenvolvimento humano.

Por isso convidamos hoje, a profª Ma. Andrea Perez para nos ajudar nessa contribuição. Ela é Membro-Fundadora do Instituto Brasileiro de Psicologia Positiva, Especialista em Psicologia Positiva e professora no MBA Executivo em Desenvolvimento Humano e Psicologia Positiva do IPOG.

A partir de agora, conheça mais sobre o universo da Psicologia Positiva a partir dessa entrevista:

O que é Psicologia Positiva?

A Psicologia Positiva nasceu no campo da Psicologia quando Martin Seligman, seu criador, foi eleito em 1998 como Presidente da American Psychology Association (APA) e definiu em seu mandato uma corrente de estudos que se concentrassem em três pilares:

  • As emoções positivas do indivíduos;
  • Seus aspectos e qualidades positivas;
  • E nas instituições positivas, as quais promoveriam a aplicação da Psicologia Positiva, também denominada por muitos como a “ciência da felicidade”.

Defino, no livro Psicologia Positiva Aplicada à Psicologia Clínica, última obra publicada pela Editora Leader, a Psicologia Positiva como :

A Psicologia Positiva é a ciência da felicidade que contempla o estudo das características, aspectos e emoções humanas, com foco em teoria, medição, intervenções e práticas que potencializem, no âmbito individual e coletivo, o bem-estar.” (CORRÊA, 2018, p. 33)

Qual a importância da Psicologia Positiva?

A Psicologia Positiva é de suma importância, primeiramente, porque ela aborda uma temática que contempla toda a vida humana: a felicidade. Todos os indivíduos, em tudo que realizam, prospectam manter-se ou aumentar seus níveis de felicidade.

Diante dessa dimensão de aplicabilidade, a Psicologia Positiva traz, à temática do bem-estar, a cientificidade e a definição teórica, que antes eram reservadas mais ao campo da autoajuda, sem comprovação de resultados baseados em critérios rigorosos de pesquisa.

Além desses dois pontos, a Psicologia Positiva chega com a proposta de estudar e potencializar aspectos positivos das pessoas, cujos estudos e pesquisas foram negligenciados, face a contextos históricos em alguns pontos, que fizeram com que o campo da Psicologia reservasse justificadamente mais atenção ao estudo dos transtornos e patologias.

Sua aplicação multidisciplinar, sempre aponto como de extrema relevância, pois é essa possibilidade que reserva a esse estudo o caminho de amplo favorecimento de melhoria de mais vidas humanas.

É possível aplicar a Psicologia Positiva no meio corporativo?

Como já disse anteriormente, a Psicologia Positiva (PP) é multidisciplinar, e, no ambiente corporativo, já são inúmeras as possibilidades de aplicação. Essa inserção dos temas da PP nas organizações acabou ocorrendo, com o espelhamento para esses ambientes, das pesquisas dos pilares relacionadas às emoções positivas e seus benefícios aos indivíduos e do pilar relacionado ao estudo dos aspectos positivos, em oposição ao olhar sobre as deficiências e gaps de competência dos colaboradores.

Tomando “emprestadas” inúmeras pesquisas da Psicologia Positiva, inúmeros teóricos e estudiosos de gestão, liderança, comportamento organizacional, recursos humanos, carreira, atendimento a clientes, equipes, engajamento no trabalho, – sem pretender esgotar essa lista – começaram a aplicar suas temáticas, e, ainda, a construir ou adaptar arcabouços teóricos novos nos contextos das organizações.

Daí sugiram temáticas voltadas ao Happy Workplace, Capital Psicológico Positivo, Liderança Positiva, Supervisão Positiva, Strengths-Based Approach, entre outras, que já estão sendo aplicadas em vários países no mundo. Sem citar outros campos que já abordavam aspectos organizacionais positivos, como o caso da Investigação Apreciativa, que foi abraçada no arcabouço de tema da PP.

Por que as empresas deveriam aplicar a Psicologia Positiva?

As pesquisas mostram inúmeras contribuições do uso da PP no contexto do trabalho, a partir da elevação do bem-estar de seus colaboradores, do maior engajamento no trabalho, do uso de suas melhores qualidades humanas alinhadas ás atividades que realizam, à vivência de experiências de flow no contexto do trabalho e muito mais.

Quando usamos a PP e seus temas no contexto do trabalho, temos uma relação ganha-ganha:

  • Ganha o empregado que vive melhor e com maior satisfação na sua trajetória no trabalho,
  • E ganha a organização que acaba por usufruir de resultados que esse empregado oferece como desdobramento aos processos e resultados corporativos.

Para o empregado, com melhoria de aspectos relacionados à saúde, à conexão de novos conceitos, à criatividade, a um olhar mais amplo sobre tudo a sua volta, às relações humanas positivas e de outros benefícios, ele acaba alcançando novos comportamento e recompensas valiosas.

Por exemplo: se tornam mais inovadores, mais abertos a solucionar problemas, melhores negociadores, melhores líderes, têm maior engajamento no trabalho, e, a partir disso, acabam tendo mais promoções, salários mais altos e são mais recompensados por seus resultados.

Maiores benefícios para as empresas

A partir de tudo isso, a organização acaba sendo beneficiada com um corpo de empregados com emoções positivas elevadas e que usam mais suas qualidades humanas. Com esse empregado, as empresas:

  • Obtêm melhor concorrência no mercado com as inovações produzidas
  • Fidelizam mais seus cientes diante de excelente atendimento
  • Obtêm aumento da produtividade
  • Conseguem a diminuição de gastos com assistência médica
  • Vivenciam menores índices de turnover
  • Maior índice de ROI
  • E muito mais.

Por que se especializar em Psicologia Positiva?

Ao longo dos anos, tenho trabalho imensamente para o crescimento e disseminação da Psicologia Positiva no Brasil e fora do país, por acreditar que devemos divulgar os resultados que a aplicação de temas da PP podem ter para melhoria de nossas vidas e do nosso trabalho.

Fiz parte da primeira turma de pós-graduação em Psicologia Positiva no Brasil e de lá pra cá, pude acompanhar o crescimento que estamos promovendo em suas temáticas em inúmeros domínios. Participar de uma especialização e tornar-se um especialista nesta temática oferece ao profissional um diferencial no mercado, não apenas dos dias atuais, mas acredito que a Psicologia Positiva permanecerá por muito tempo, favorecendo campos como os da Educação, das organizações, das instituições sociais, das políticas públicas, da saúde, da Economia, das Tecnologias, das mídias, do Direito e muitos outros campos do conhecimento humano.

Eu digo sempre que com a Psicologia Positiva há campo de trabalho para todos, pois a vida de todos os indivíduos perpassa por suas temáticas”.

Por causa disso, levanto a seguinte bandeira sobre atuar na Psicologia Positiva: Juntos Somos Melhores. Quanto mais profissionais formados e conectados uns com outros, maior será a disseminação da Psicologia Positiva e mais poderemos fazer para a melhoria da condição de bem-estar e sucesso da humanidade.

Agora que você sabe o que é Psicologia Positiva, atenção!!

Como um campo novo e um crescimento exponencial, é preciso estar atento à seriedade com que os profissionais devem atuar neste novo mercado que se abre. É essencial lidar com os temas da Psicologia Positiva de forma absolutamente séria, aprofundada, embasada, criteriosa e com muita congruência.

Mais que muitos outros campos de trabalho, espera-se que um profissional especialista em Psicologia Positiva seja alguém cujo discurso está estreitamente alinhado com a forma com que conduz sua própria vida.

Por isso que uma boa formação já é um passo a frente para quem deseja fazer um excelente trabalho. Precisamos, como público em geral, estarmos atentos a iniciativas desprovidas de conteúdos sérios, conduzidas por profissionais oportunistas ou iludidos de que podem muito, sem que tenham buscado o aprofundamento que as temáticas da Psicologia Positiva requerem.

É preciso não deixar que esse movimento tão grandioso, e que pode auxiliar tanto a melhoria da nossa sociedade, não vire apenas mais um modismo, por conta de trabalhos ineficazes e rasos.

Por isso, fica a sugestão: ao trabalhar com a Psicologia Positiva, estude muito, especialize-se, seja congruente, aplique-se antes de começar a aplicar em outras pessoas, e acima de tudo, acredite que podemos mudar o mundo, se cada um fizer o melhor de si mesmo com a Psicologia Positiva”.

Gostou de saber o que é Psicologia Positiva? Deixe seu comentário e conheça o webinars: Plenitude: A jornada para o desenvolvimento integral do potencial humano.


Sobre Andréa Perez

Professora IPOG, Membro-Fundadora do Instituto Brasileiro de Psicologia Positiva; Palestrante de temas sobre Psicologia Positiva; Crítica Editorial e organizadora da Coletânea Biblioteca Positiva na Editora Leader; Mestra em Sistemas de Gestão; Especialista em Psicologia Positiva. Formações em Coaching: Coautora de livros entre eles: Psicologia Positiva- Como Descobrir e Desenvolver Qualidades Humanas; Coaching de Psicologia Positiva (no prelo); Organizadora e Coautora do livro publicado Psicologia Positiva - Teoria e Prática; e dos livros no prelo: Psicologia Positiva aplicada à Psicologia Clínica e Educando Positivamente e Conexões Positivas.

Comentários