O que a tecnologia BIM é de fato e por que isso é importante
7 minutos de leitura
19 de março de 2019

Saiba mais sobre a tecnologia BIM e seja um profissional desejado pelo mercado

Seja o profissional desejado pelo mercado: saiba mais sobre a tecnologia BIM

A indústria AEC (Arquitetura, Engenharia e Construção) apresenta cada vez mais complexidade e competitividade. Isso se deve ao surgimento das novas tecnologias e, ao mesmo tempo, do amplo acesso à informação.

Neste cenário, técnicas de construção virtual e formas de resolver a obra, antes mesmo de ela ser iniciada, se tornam cada vez mais populares.

Em 17 de maio de 2018 foi assinado Decreto Presidencial nº. 9.377 que estabelece a obrigatoriedade do uso da tecnologia BIM em projetos de obras públicas.

A medida visa o controle de gastos, o combate ao superfaturamento nas construções e a garantia de um resultado qualificado.

A implantação da estratégia BIM traz benefícios tanto para o governo quanto para o mercado. O Estado é o maior cliente que uma empresa poderia ter, por isso, a adoção dessa tecnologia induz que as empresas privadas sigam o mesmo caminho.

Portanto, o profissional que não desejar ser ultrapassado, ter seu nível de empregabilidade afetado ou perder oportunidades de empreender neste nicho, deverá se atualizar e entender como o BIM funciona, de fato.

Contudo, o fato é que a maioria das universidades não acompanham a velocidade das mudanças no mercado e não dispõem de conteúdos e metodologias suficientes no currículo para capacitar os alunos dos cursos de Arquitetura e Engenharias para trabalhar com essa metodologia.

Dada essa realidade, a solução encontrada por arquitetos e engenheiros tem sido o ingresso em cursos de pós-graduação em tecnologia BIM e outras ferramentas de gestão e projeto.

Se você está interessado em se destacar no mercado competitivo da engenharia civil, continue a leitura e conheça melhor a metodologia BIM, com ela você aproveita as oportunidades e cresce na carreira.

Impactos da tecnologia BIM nos projetos e gestão de AEC

Estamos vivendo uma das maiores viradas tecnológicas da AEC dos últimos anos, que promete superar até mesmo a transição da prancheta para o AutoCAD!

Cada dia que passa, os projetos de construção que demandam maior velocidade de entrega e profissionais de diversas áreas envolvidos em um único empreendimento.

Muitos outros desafios atravessam a rotina dos profissionais da construção.

Um deles é o cliente que, por conta do fácil acesso à informação, está cada vez mais exigente. Agora, ele pode navegar na internet e descobrir critérios para avaliar se a obra foi bem feita ou não.

Além disso, dada a crise recente, a engenharia civil precisa de métricas cada vez mais precisas: mais do que em qualquer outro tempo, não há espaço para erros.

Ainda hoje é muito comum encontrarmos incompatibilidades entre os projetos de estrutura, instalações e arquitetura, isso acontece porque esses costumam ser feitos por escritórios e/ou profissionais distintos.

Essas incongruências geram retrabalho que, por sua vez, fornecem custos adicionais.

Outro problema muito comum são os erros de projeto que começam a surgir durante a execução da obra. Para corrigi-los, é preciso parar a construção e, assim, gerar ainda mais custo.

Agora, com a tecnologia BIM é possível realizar uma construção antes mesmo de ela ter começado e conferir, antecipadamente, se todos os aspectos estão compatibilizados: projetando pelo computador todas as peças, instalações, estruturas e arquitetura a serem utilizadas.  

O uso desta técnica permite orçamentos mais precisos e entregues de forma automatizada. Dessa forma, é possível prever o real custo da obra.

Some tudo isso à possibilidade de mostrar a simulação do projeto em 3D para o cliente, ao invés de gráficos, linhas de balanço, planilhas e coisas semelhantes, que não são interessantes nem mesmo para profissionais da área.


Vantagens da metodologia BIM para profissionais da construção e arquitetura

Imagine-se tendo a possibilidade de, após montar um planejamento completo no Ms Project, integrá-lo com o 3D criado e, ainda, simular toda a construção da obra, conforme a passagem dos meses.

E mais, se ao selecionar determinado elemento construtivo você puder ter a exata quantidade dele que foi utilizada na obra, contabilizado de forma precisa?

Essas possibilidades te animam? Então, essas são apenas algumas das vantagens desfrutadas por profissionais que utilizam o BIM.

Um engenheiro de custos, por exemplo, pode usar a tecnologia BIM para analisar a viabilidade de um empreendimento de maneira correta.

O gestor de obras, por sua vez, conseguirá coordenar a integração de projetos, custos e prazos e ter uma maior capacidade de gerir equipes de engenharia.

Ele ainda poderá contribuir para a redução de custos e aumento dos lucros da empresa, vendo minuciosamente os pontos a melhorar e prevendo erros e problemas.

Segundo estudos contratados pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), o uso da tecnologia BIM promete redução de custos em até 20%. Dados de pesquisas da Fundação Getúlio Vargas (FGV) preveem um aumento de produtividade em 10%, caso seu uso cresça 10 vezes até 2028, e aumento de 28,9% do PIB da indústria da construção.

A tecnologia BIM significa automação e compatibilização dos processos da construção e beneficia todos os envolvidos na obra, desde os projetistas até a empresa contratante e seus gestores.

Visto isso, listamos algumas outras vantagens importantes desta tecnologia:

 

  • com os softwares BIM, a comunicação entre os participantes é mais eficiente e a segurança na troca de informações é garantida;
  • a possibilidade de realizar a simulação completa da construção, permite testar soluções previamente e prevenir desacertos no processo de aplicação do projeto, diminuindo retrabalhos, desperdícios e a geração de resíduos;
  • a simulação prévia possibilita a revisão do projeto em busca de alternativas mais sustentáveis e econômicas;
  • todas essas possibilidades culminam em economia de tempo e auxiliam o cumprimento das datas estipuladas.

O que não é BIM

Apesar da recente tentativa de popularização da tecnologia BIM, é muito comum que alguns profissionais ainda não saibam ao certo o que ela significa.

Tem até quem acredite que BIM é um software, o resuma ao Revit ou o confunda com modelagem 3D.

Por isso, acredito que mais que explicar o que é, é importante definir o que não é BIM. Acompanhe.

BIM não é 3D

Para começar, BIM não é sinônimo de 3D. A sigla vem do inglês Building Information Modeling, em tradução livre: Modelagem da Informação da Construção.

O 3D é a evolução natural do desenho de projeto. Um “objeto volumétrico” ou modelado em três dimensões é apenas uma ferramenta utilizada pelos projetistas para a visualização do modelo real.

O BIM é a informação agregada ao 3D. Temos objetos volumétricos parametrizados e informações diversas (relacionadas a tipos e quantidade de insumos e mão de obra) que são adicionadas ao projeto.

A informação BIM presta serviço aos profissionais envolvidos na obra (engenheiros, arquitetos, orçamentistas, compradores, etc.) e não só ao projetista.

BIM não é REVIT

A tecnologia BIM não é a mesma coisa que Autodesk Revit ou qualquer outro software de modelagem 3D que você costume usar. Trata-se de um conceito e uma metodologia que visa a compatibilização e integração do projeto e da obra.

BIM é informação, processo, modelagem, integração; as ferramentas vêm simplesmente para auxiliar e facilitar essas necessidades.

O Autodesk Revit, por sua vez, é uma ferramenta para operacionalização desta metodologia e não o seu sinônimo, nele é possível criar o modelo virtual preciso, de forma paramétrica, para monitoramento e gestão da construção.

Comparando o AutoCAD com o Autodesk Revit, no primeiro, o projetista desenha apenas uma linha em 2D, enquanto no software BIM ele “constrói” o edifício enquanto modela e atribui as informações necessárias.

Por exemplo, podemos construir uma parede em ambiente virtual, com espessura, comprimento e altura, além de registrar o material do qual será feito, fabricantes, propriedades térmicas/acústicas, custos envolvidos, entre outros.

É preciso dominar o AutoCAD para utilizar o BIM?

Ao contrário do que muita gente pensa, não é preciso dominar o AutoCAD para utilizar o BIM, mas é importante ter um mínimo de conhecimento em desenho técnico.

Isso porque os softwares que utilizam tecnologia BIM (por exemplo: Autodesk Revit, Vector Works e ArchiCad) são mais práticos e intuitivos, neles você não necessariamente desenha um projeto, mas seleciona uma forma predefinida e a configura.

O decreto presidencial e suas implicações

Conforme comentamos na introdução deste artigo, o decreto presidencial que estabelece a obrigatoriedade do uso da tecnologia BIM para a construção e gestão de projetos de obras públicas é um caminho sem volta e afetará todo o mercado da construção nacional.

A decisão do governo é fruto da “Estratégia Nacional de Disseminação do BIM” ou “Estratégia BIM BR”, promulgada em 17 de maio de 2018.

O plano conta também com uma plataforma online com conteúdo sobre a Modelagem da Informação da Construção para consulta e hospeda o repositório das bibliotecas virtuais BIM no Brasil, a chamada Biblioteca Nacional BIM (BNBIM).

Além das empresas públicas, espera-se que todo o mercado acompanhe a utilização da tecnologia BIM.

Diante deste cenário, espera-se que o mercado fervilhe na busca por profissionais qualificados na gestão de tecnologia BIM. E você poderá ser esse profissional de valor investindo em uma pós-graduação em tecnologia BIM.

8 passos para fazer sua pós-graduação

Baixe gratuitamente o infográfico e confira 8 dicas que vão ajudá-la(o) a extrair o máximo da sua especialização!

Conheça o Master BIM: Ferramentas de Gestão e Projeto do IPOG e se diferencie no concorrido mercado da construção.

Torne-se um especialista na gestão da tecnologia BIM

Alinhados ao novo cenário global da Indústria 4.0, Big Data e IOT – Internet das Coisas – os engenheiros puderam trocar a prancheta pelo tablet e os desenhos 2D por tecnologia 3D.

Para você que sonha tornar-se um BIM Manager ou gerente de BIM é imprescindível fazer um curso de pós-graduação ou MBA em ferramentas de gestão e projeto BIM.

Para isso, o Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG) oferece o Master BIM: Ferramentas de Gestão e Projeto.

Este MBA apresenta forte grade interdisciplinar e permite ao aluno o domínio das ferramentas relativas à metodologia BIM e sua aplicação prática no cotidiano profissional.

O aluno do Master BIM: Ferramentas de Gestão e Projeto do IPOG aprende de forma teórica e prática a utilizar a tecnologia BIM para o desenvolvimento de projetos de Arquitetura e Engenharia e, ainda, gerir as equipes de profissionais.

O curso é indicado para quaisquer pessoas graduadas nas áreas de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil e demais profissionais ligados a área da Construção Civil, que desejam aprofundar e qualificar seus conhecimentos quanto a metodologia BIM.

Além disso, o curso conta com diferenciais competitivos em relação ao mercado:

  • o quadro docente é montado por professores Mestres e Doutores com comprovada experiência mercadológica;
  • a formação neste MBA garante ampliação de atuação profissional para os nossos alunos;
  • nossas turmas garantem networking qualificado;
  • a ementa é formada por módulos práticos, imediatamente aplicáveis à atuação profissional.

Ao dominar essa tecnologia, você passa de um engenheiro civil para um profissional diferenciado no mercado, que gera valor para a construtora ou escritório que trabalha.

Seja você também o profissional que o mercado precisa! Para mais informações, acesse a página do curso em nosso site.

Conheça o IPOG Instituto de Pós-Graduação e Graduação

Um estabelecimento de ensino com nome e reconhecimento no mercado faz total diferença no currículo. De que vale fazer uma pós-graduação em um local que não é valorizado por recrutadores e executivos?

O IPOG – Instituto de Pós-Graduação e Graduação – realiza diversos cursos de ensino superior e conta com professores de excelência e renome  no mercado.

A proposta é um ensino humanizado, que estimula o desenvolvimento das potencialidades de cada aluno.  

Presente em todos os estados do país e no Distrito Federal, o IPOG conta com  quase 20 anos de experiência na formação de grandes profissionais.

A satisfação dos alunos se tornou a sua marca registrada e a prova disso é que esse índice chega a 97,14% em todo o país.

Os projetos pedagógicos realizados na instituição diferem dos existentes no mercado e isso fez com que a instituição alcançasse o status que tem hoje.

Não deixe de investir no seu futuro e se tornar aquele profissional que sempre sonhou.

Entre em contato conosco para mais informações!

Artigos relacionados

Domoterapia: a arte de curar ambientes ao longo da História O termo DOMOTERAPIA, deriva do Latim “DOMUS”, que significa Casa, Imóvel e da palavra Grega “THERAPEI”, que significa cura. ”DOMUS”’ era o nome dado às as casas particulares, onde moravam os cidadãos mais ricos no tempo do Império Romano. É uma das artes ma...
Tudo sobre Pós-graduação em Gerenciamento de Obras: em 7 min! A realização de uma obra, seja ela de engenharia civil ou arquitetônica, exige não apenas um estudo da viabilidade do projeto, mas também um esforço para garantir que tudo se materialize no tempo proposto e dentro do orçamento que foi estipulado, de modo a alc...
O que é Eficiência Energética? E o que engloba? Eficiência energética é a relação entre o resultado da utilização de um determinado equipamento comparado ao seu consumo de energia. Por exemplo, vamos considerar uma lâmpada: a sua eficiência energética é a relação entre a quantidade de luz emitida e o consum...

Sobre Alan Araújo

Arquiteto e Urbanista pela UFPB. Mestre em BIM e Realidade Virtual/Realidade Aumentada. Técnico em Edificações pelo ETFPB (2002). Membro do Comitê ABNT para criação da CIE-134 – BIM. Elaborador do template ABNT para Revit. BIM Manager e diretor/sócio no Grupo Bloco e na ProjetoAcg. Trabalha com Projetos em BIM, treinamentos e palestras por todo o Brasil. Certificado Autodesk – Profissional e proprietário da ProjetoAcg como Centro Autorizado Autodesk.

Comentários