Lean Construction: benefícios, exemplos e 5 princípios fundamentais
5 minutos de leitura
30 de setembro de 2019

Lean Construction: benefícios, exemplos e cinco princípios fundamentais

Lean Construction: benefícios, exemplos e cinco princípios fundamentais

Diante do enorme crescimento do setor da construção civil, as pequenas, médias e grandes empresas buscam se modernizar para se manter competitivas no cenário atual do mercado. 

Pensando em melhorias em relação a atrasos, desperdícios e até mesmo a logística de uma obra, muitos gestores, no mundo todo, estão aplicando o método Lean Construction ou, simplesmente, construção enxuta.

Em uma metodologia que visa planejamento e controle, o canteiro de obras e o processo de produção tornam-se organizados e producentes por meio do método Lean Construction.

O que é Lean Construction?

Lean Construction é a otimização de processos que consiste na entrega de um produto final de qualidade. Eliminam-se, também, desperdícios e busca-se um prazo rígido para a execução da obra.

Lean Construction: benefícios, exemplos e cinco princípios fundamentais

Para entender como surgiu este modelo de produção, vamos voltar alguns anos na história. 

Ainda no século 20, o início da produção moderna teve como princípio o “modelo T”, de Henry Ford. Logo após a 2ª Guerra Mundial, com a fragilização japonesa e a falta de recursos, a Toyota criou um modelo de sistema de produção baseado na eliminação de desperdícios e no uso consciente da matéria-prima.

O Sistema Toyota de Produção (STP) foi desenvolvido na década de 1940, mas somente em 1990 tornou-se base para o que viria a ser conhecido como Lean Manufacturing (Manufatura Enxuta), do livro “A máquina que mudou o mundo”, de James P. Womack, Daniel Roos e Daniel T. Jones. 

O pensamento Lean começa a ser utilizado fora do ambiente de fábrica, influenciando outros ramos da indústria.

A abordagem do Lean Construction inclui ainda a aplicação dos princípios do pensamento clean para o ambiente de construção. Engloba desde a gestão da produção até a finalização do projeto.

E dentro dessa metodologia surgem cinco princípios fundamentais para aplicação e manutenção do método durante o processo de construção. Veja a seguir.

Cinco princípios fundamentais do Lean Construction

Pensando em projetos de alta produtividade e aderência da equipe na realização de prazos e metas, os cinco princípios que norteiam a metodologia Lean Construction servem como guia para essa transformação na forma de executar o andamento de projetos de construção.

1 – Agregar valor à construção

Esse princípio está relacionado ao conceito de processo como gerador de valor. Com base nesse princípio fica estabelecido que devem ser claramente identificadas as necessidades dos clientes internos e externos, e esta informação deve ser considerada no projeto do produto e na gestão da produção.

Confira também: diferenciais críticos do profissional de Engenharia em tempos de mercado desafiador

Conhecer o público-alvo a fundo é uma das maneiras mais inteligentes de proporcionar experiências únicas e significativas ao cliente. Assim, você adquire diferencial realmente competitivo frente ao mercado.

Na prática, significa fazer pesquisas de mercado antes, durante e após a entrega das chaves. Assim, é indicado que você considere tudo: a área da construção, os costumes, a faixa etária e as preferências dos moradores locais para aumentar o valor do produto, de acordo com o que esperam.

É importante comunicar as descobertas a todos os profissionais, para que essas pessoas estejam na mesma página e caminhem rumo a um objetivo comum.

2 – Eliminar o que não acrescenta

 


Este certamente é o passo mais importante da metodologia Lean Construction. A eficiência dos processos pode ser melhorada e suas perdas, reduzidas por meio da eliminação de algumas das atividades de fluxo.

A máxima da metodologia da construção enxuta é, de fato, eliminar aquilo que está a mais. Ao adotar o Lean Construction, os gestores desejam otimizar o passo a passo, tornando o fluxo de trabalho mais direto.

Assim, a eficiência construtiva dos processos pode ser melhorada, principalmente pela redução ou eliminação de atividades como transporte, espera, processamento e inspeção.

Um exemplo bem simples é a utilização de caminhões maiores para o transporte de materiais, diminuindo o número de viagens necessárias e, consequentemente, o valor gasto com essa atividade.

3 – Otimizar tempo

A falta de um cronograma na obra pode levar à perda de material, em especial o concreto. E, dentro da metodologia Lean Construction, tornar a construção mais enxuta significa fazer mais em menos tempo.

É isso, aliás, o que prega o modelo JIT (ou Just in Time). O propósito é criar um ambiente mais produtivo, sem desperdícios. O sistema JIT foi desenvolvido na década de 1970 com o intuito de produzir somente conforme a demanda, reduzindo custos de estoque e derivados deste processo.

O Just in Time também inclui aspectos de administração de materiais, gestão da qualidade, projeto do produto e organização do trabalho como o uso do 5S (Seiri, Seiton, Seiketsu, Shitsuke e Seisou).

O tempo de ciclo é composto de todas as atividades de transporte, espera, processamento e inspeção para a produção de um determinado produto.

Ao reduzir esse tempo, a empresa acaba obtendo outras vantagens, como entrega mais rápida ao cliente, facilidade na gestão fragmentada dos projetos e precisão na estimativa de futuros projetos, com um sistema de produção mais estável e adequado equivalente ao que prega a metodologia Lean Construction.

4 – Reduzir a variabilidade

No ramo da construção civil, as taxas de imprevistos e incertezas são recorrentes. Cada projeto é único e tem seu próprio ritmo de construção.

Seja na construção de edifícios ou estruturas, as variações envolvidas são geralmente relacionadas a fornecedores, métodos construtivos, tempo de execução e, até mesmo, à própria demanda do cliente.

Reduzir essa variabilidade, dentro da metodologia Lean Construction, é fundamental para que seja mantido um padrão tanto financeiro quanto da execução das obras, conforme o planejamento, garantindo a qualidade e uniformidade do produto final.

5 – Tornar processos transparentes

Evitar ruídos na comunicação durante o processo de construção é um dos princípios da metodologia Lean Construction. A transparência da gestão em todas as etapas do projeto deve ser simples e direta, evitando falhas e retrabalhos.

Aplicar transparência nas ações significa uma busca constante de melhorias e aperfeiçoamento.

 

Essa transparência é também no sentido real, quando envolve, por exemplo, a remoção de obstáculos visuais do canteiro de obras, como divisórias e tapumes.

A utilização de cartazes e sinalização com informações relevantes, além de indicadores de desempenho e de programas de organização e limpeza no campo, pode ser repensada para que traga a mínima poluição visual.

Construção enxuta: como otimizar obras com o método Lean 

Aplicar a metodologia Lean Construction demanda muita disciplina e organização de toda a equipe. É uma busca contínua de melhorias para todo o processo, e todos os envolvidos precisam estar engajados em alcançar bons resultados.

Realizar treinamento dos colaboradores, escolher maquinário mais eficiente e ter um planejamento eficaz do processo de produção traz, sem dúvida, excelentes resultados.

A maximização do valor, a eliminação dos desperdícios e a criação de um fluxo de trabalho mais suave e confiável fazem do Lean Construction um método repleto de vantagens para a empresa.

Aumenta as margens de lucro e, simultaneamente, contribui para a reputação social que a empresa poderá nutrir, visto que é uma iniciativa mais sustentável e ecológica.

Conheça o MBA em Projeto, Dimensionamento e Modelagem de Estruturas e Fundações do IPOG 

O MBA em Projeto, Dimensionamento e Modelagem de Estruturas e Fundações, do IPOG, propõe a atuação nos quatro pilares básicos do campo estrutural: concepção (modelagem), dimensionamento, projeto e execução, apresentando princípios teóricos e práticos voltados para um desempenho estrutural adequado.

É uma especialização que permite ao profissional uma ampla visão da área de estruturas, que vai desde a concepção e projeto, passando pelo controle de execução e desempenho em uso.

Este MBA propõe ainda uma visão sistêmica da obra, para que o especialista da área de Estruturas e Fundações apresente a melhor solução, com foco na racionalização aliada ao desempenho (bom e barato).

Artigos relacionados

Curso de design de interiores: o que levar em consideração na hora de escolher No campo de arquitetura e design, como em outros setores, os hábitos mudaram, novas tendências se instalaram e, por isso, buscar uma especialização por meio de um curso de design de interiores é um passo importante para se atualizar e adquirir habilidades par...
Construção modular: como se especializar para aderir às novas práticas do mercado Embora a área de construção civil seja um tanto resistente à mudança, os sistemas construtivos estão em transformação mais intensa, nos últimos anos, devido ao surgimento de novas tecnologias e novos materiais, além das diferentes necessidades e dos valores q...
Como se preparar para abrir seu escritório de Arquitetura? Em uma época em que o empreendedorismo está em alta, na arquitetura a realidade não tem sido diferente. Vários profissionais têm o desejo de construir uma carreira e serem reconhecidos pelo trabalho desenvolvido no seu próprio escritório de Arquitetura. Uma p...

Sobre Nilson Carvalho

É engenheiro civil há mais de 20 anos e atuante desde 1997 em obras de rodovias, pavimentação urbana, saneamento, conjuntos habitacionais, edifícios residenciais e comerciais, pequenas centrais hidroelétricas, barragens e shopping centers. É professor de pós-graduação a nível Brasil das melhores instituições de ensino e escritor de vários livros sobre gerenciamento na construção civil. Consultoria em dezenas de construtoras no Brasil, tais como: Gafisa, Brookfield, Tenda, Fuad Rassi, Rodrigues da Cunha, Louly Caixe, dentre outras. Entusiasta do gerenciamento na construção civil e com bagagem de muita experiência no assunto, palestrante no Brasil e realização de mais de 250 obras como gerenciador, supervisor e consultor de construtoras. Seu portfólio de gestão chega a mais de R$ 2,5 bilhões.

Comentários