Avaliação Neuropsicológica Infantil: entenda o que é e como funciona!
7 minutos de leitura
12 de setembro de 2018

Avaliação Neuropsicológica Infantil: entenda o que é e como funciona!

IPOG, Avaliação Neuropsicológica Infantil, Avaliação psicológica de crianças

Você sabe o que é Avaliação Neuropsicológica Infantil? A Neuropsicologia é uma disciplina científica que estuda, de um modo geral, as relações entre o cérebro e o comportamento.

A partir da década de 70, com a revolução cognitiva e a influência da tecnologia, esta área do conhecimento ficou conhecida como Neuropsicologia Cognitiva, acrescentando nas pesquisas, o interesse pelo modo como os indivíduos  processam detalhadamente as informações.

Assim, além de se preocupar em localizar as regiões cerebrais responsáveis por determinados comportamentos, os profissionais passaram a compreender o modo como as pessoas internalizam os estímulos.

O neuropsicólogo atua em consultórios, hospitais, instituições e clínicas, auxiliando na avaliação de crianças, adultos e idosos que possam apresentar algum comprometimento neurológico, ou em pesquisas envolvendo o funcionamento cerebral em não pacientes.

Muitos psicólogos têm buscado a Neuropsicologia frente à sua cientificidade, sistematicidade e, consequentemente, sua aplicabilidade juntos aos clientes. A expansão da Neuropsicologia vem por meio da utilização de testes confiáveis e procedimentos interventivos cada vez mais eficazes.

Saber intervir proporciona para a criança possibilidades de desenvolvimento, favorecendo autonomia, independência e qualidade de vida. Como parte de um corpo maior de conhecimento intitulado como Neurociências, a Neuropsicologia é uma área interdisciplinar de teorias e atuação, que integra instrumentos, métodos e modelos de várias áreas, como:

  • Psicologia;
  • Neurologia;
  • Psiquiatria;
  • Linguística;
  • Psicolinguística;
  • Neurolinguística,
  • Inteligência Artificial;
  • Fonoaudiologia;
  • Farmacologia;
  • Fisioterapia;
  • Terapia Ocupacional;
  • Educação;
  • Biologia;
  • Dentre outras.

O profissional em neuropsicologia, portanto, realiza uma revisão dos conhecimentos, selecionando-os e utilizando-os em função de seu objetivo, sempre buscando compreender a relação entre cérebro, funções mentais/cognitivas e comportamento.

Avaliação Neuropsicológica Infantil: demanda frequente no cotidiano do psicólogo

A Avaliação Neuropsicológica Cognitiva Infantil  se refere à utilização desses procedimentos técnicos aplicados à compreensão do processamento cognitivo infantil, ou seja, ao modo como as crianças internalizam e evocam as informações.

Desse modo, a avaliação é bastante utilizada para diagnosticar casos de:

Ao lado disso, favorece o diagnostico precoce de alterações no desenvolvimento, como o Transtorno do Espectro Autista (TEA) e demais atrasos no desenvolvimento global, favorecendo práticas interventivas interdisciplinares mais precoces e, consequentemente, mais eficazes.

Pesquisas recentes apontam que para cada 62 crianças, ao menos uma apresenta características no TEA ou algum tipo de atraso no desenvolvimento. Nos consultórios, a procura pelo neuropsicólogo aumentou muito. Não apenas para avaliar, como também para estabelecer uma linha terapêutica que proporcione melhora na vida do paciente e oriente a família quantos aos procedimentos adequados.

Em relação ao TEA, por exemplo, a avaliação neuropsicológica é fundamental para a equipe que atende a criança. Segundo o professor do IPOG e Neuropsicólogo Infantil, Dr. Fernando Silveira, um outro benefício é que por meio da Avaliação Neuropsicológica Infantil é possível traçar uma assertividade prognóstica.

De acordo com o especialista, “a Neuropsicologia é toda pautada em evidências. Refere-se à uma prática da Psicologia mais confiável devido à utilização de instrumentos com validade científica”, pontua o professor. Muitas são as vertentes da psicologia que oferecem suporte clinico para as crianças.

No entanto, a neuropsicologia fornece dados previamente testados, regados à significância estatística. Como consequência de todo esse investimento científico, o mercado vem oferecendo a criação  de programas de:

  • Estimulação atencional;
  • Desenvolvimento das funções executivas (processos responsáveis pelo emissão de comportamentos mais ajustados às exigências do meio);
  • Controle da agressividade;
  • Estimulação da memória operacional (processo responsável pela manipulação mental das informações);
  • Estimulação psicopedagógica de funções vinculadas às dificuldades da leitura/escrita;
  • Dentre outros que favorecem o desenvolvimento infantil.

Testes Psicológicos somente com profissional de psicologia

Segundo o Conselho Federal de Psicologia (CFP), apenas os profissionais da psicologia podem realizar psicodiagnóstico ou avaliação psicológica por meio de testes psicológicos. Essa é a grande diferença entre o psicólogo e os demais profissionais que buscam a especialização na área.

Os psicólogos possuem conhecimentos e habilidades psicométricas específicas que garantem a qualidade técnica e ética desta prática junto aos pacientes. Vale ressaltar que a neuropsicologia utiliza dos testes psicológicos e neuropsicológicos durante todo o processo de avaliação.

No mercado é possível encontrar ferramentas objetivando a compreensão da inteligência (à partir de dois anos de idade), dos processos atencionais (concentração, divisão, seletividade e alternância), dos processos perceptuais, viso-motores, das funções executivas, das habilidades acadêmicas (atividades que demandam conhecimento de escolaridade), assim como a compreensão da personalidade e da dinâmica parental.

Nesse sentido, somente os neuropsicólogos com formação em psicologia possuem o preparo e o respaldo técnico para a utilização das ferramentas necessárias. Atualmente, os pesquisadores e as editoras se encontram atentos à necessidade de novas ferramentas que possam contribuir para esta prática, desenvolvendo crescentemente novos testes e materiais para a estimulação, bem como reabilitação.

Desafios da Neuropsicologia infantil 

O Neuropsicólogo Infantil, Dr. Fernando Silveira, destaca que um dos maiores desafios para os profissionais está relacionado com a interpretação adequada dos resultados e o domínio de todas as técnicas disponíveis.

O profissional reforça que, embora exista um protocolo estruturado, é importante saber que para cada caso clínico existe uma demanda particular de ferramentas.

Encontrar profissionais capacitados e especialistas que possam fazer uma interpretação de forma adequada é um desafio. Outro desafio  é o profissional ser assertivo nas suas impressões, no seu diagnóstico e, principalmente, na sua conduta terapêutica.

“Para ser um neuropsicólogo de sucesso, ao meu ver, é preciso ter uma  formação de excelência, supervisão constante e conhecimento clínico apurado de todas as possibilidades disponíveis”, explica Fernando.

Isso ocorre porque a avaliação neuropsicológica infantil tem características bastantes próprias, vinculada à compreensão detalhada dos diferentes estágios do desenvolvimento”

No que tange ao exercício da profissão, o neuropsicólogo deve ser capacitado para analisar e administrar não apenas os testes, mas também um conjunto de variáveis.

Para realizar uma avaliação neuropsicológica infantil, por exemplo, é preciso conhecer as diferentes teorias do desenvolvimento,  explorar o histórico de cada caso e suas vicissitudes, realizar observações diretas e indiretas do comportamento da criança, entrevistar familiares e profissionais da escolas, assim como manter discussão interdisciplinar e ser capaz de estabelecer uma proposta interventiva eficaz.  Outro ponto fundamental é a elaboração de documentos.

A Neuropsicologia trabalha com a descrição detalhada dos processos cognitivos, bem como a apresentação sistemática dos resultados analisados a quem é de direito. O objetivo do relatório é registrar  todo o processo de avaliação, fornecendo aos profissionais um auxílio diagnóstico e, principalmente, um direcionamento nas tomadas de decisões.

Na prática, é notório o aumento de médicos, psicopedagogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas e outros profissionais que solicitam esta avaliação como critério essencial para a administração de medicação ou a estruturação de propostas interventivas mais adequadas.

A avaliação também é solicitada anteriormente e posteriormente a procedimentos neurocirúrgicos, garantindo se a atuação médica prejudicou ou evoluiu as funções cognitivas do paciente.

Assim, um laudo bem elaborado favorece a compreensão do caso clínico e garante possíveis ajustes necessários. Exemplo disso é o uso indiscriminado de algumas medicação para regulação intencional. Há alguns anos, os médicos têm solicitado o parecer neuropsicológico antes de ministrarem quaisquer remédios. É de praxe a discussão do caso dentro da equipe frente à necessidade ou não dos remédios.

O que é importante saber?

Cada vez mais, os testes psicológicos vêm sendo utilizados como recurso indispensável no cenário infantil. Dificuldades no desempenho escolar, seguidas de déficits na adaptação e socialização estão entre os casos mais frequentes, e já podem ser mensurados e analisados detalhadamente de modo quantitativo.

Por isso, é importante que os pais fiquem atentos. Caso surjam sinais e sintomas, é preciso procurar um especialista da área para que possam receber as orientações necessárias.

A Neuropsicologia vem sendo cada dia mais procurada, além de ser muito indicada por médicos, psicopedagogos e especialistas, de um modo geral, na área da Educação. Por meio de ferramentas previamente testadas e investigadas por cientistas do comportamento e da cognição é possível contribuir para o desenvolvimento das crianças assistidas.

Como já informado, as alterações no desenvolvimento, por exemplo, ocupam um  lugar privilegiado no ranking das indicações, principalmente no que diz respeito ao TEA.

Afinal, quanto mais precoce for o diagnóstico e mais imediata for a intervenção, maiores são as chances da criança desenvolver um repertório comportamental e cognitivo dentro do previsto para as crianças da mesma idade. Além do mais, conhecer a criança favorece orientação apropriada aos pais e aos educadores.

Oportunidades no mercado da Neuropsicologia Infantil 

Com uma demanda altamente crescente, o mercado carece de profissionais, de fato, capacitados para trabalhar com avaliação neuropsicológica infantil. Por isso é importante se especializar, buscar conhecimentos e se preparar para atuar em um universo tão sensível e delicado como a infância.

Atento a toda essa responsabilidade e possibilidade de mercado, o IPOG possui em sua grade de cursos a Pós-Graduação em Neuropsicologia.  O objetivo do curso é oferecer formação de qualidade para os alunos, garantindo uma prática profissional de excelência na área neuropsicológica.

Para isso, o IPOG conta com um corpo docente composto por mestres e doutores na área que apresentam durante as aulas profundo conhecimento teórico, prática clínica, exercício de todos os testes utilizados pela neuropsicologia, ao lado de estágios supervisionados, extremamente importantes para fornecer competência e autonomia ao futuro especialista.

A instituição conta ainda com a parceria de editoras que favorece a manipulação adequada dos testes, oferecendo ao aluno comodidade e acesso aos protocolos originais de cada ferramenta. Outro ponto positivo se refere ao estágio clínico supervisionado por professores que atuam diretamente no contexto adulto e infantil.

O IPOG, por meio de aulas tecnicamente consistentes, assume seu compromisso não apenas com o aluno, mas também com a psicologia e, principalmente, com o paciente que buscará o futuro profissional.


Artigos relacionados

Gestão nas unidades de saúde – saiba como se destacar nesse setor Você já ouviu alguém falar sobre problemas na área da saúde? Na verdade, a pergunta mais adequada seria: quem nunca ouviu falar em problemas no setor de saúde? Por isso é importante termos gestão nas unidades de saúde. De fato, os problemas são muitos, mas ...
Quais são os direitos trabalhistas dos médicos? O mês de maio é sempre um período oportuno para discutirmos sobre os direitos trabalhistas. Afinal, no dia 1º de maio, é o Dia do Trabalho e também, uma data importante para nossa história, no ano de 1943, em que se aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho ...
Ferramenta de gestão em unidades de saúde No mundo globalizado, os sistemas de saúde vêm enfrentando dificuldades decorrentes da incorporação de tecnologia na assistência, em um momento de forte crise no setor financeiro, associado à crescente demanda da população cada vez mais bem informada e exigent...

Sobre Fernando Silveira

Fernando Silveira é professor IPOG, psicólogo, diretor clínico e atua na área de avaliação psicológica e neuropsicológica, técnicas projetivas, reabilitação e psicoterapia.

Comentários