3 minutos de leitura
04 de janeiro de 2017

Como o Diagnóstico Organizacional pode salvar sua empresa?

IPOG, Diagnóstico Organizacional

Assim como as pessoas, as empresas também adoecem, mas, de uma forma diferente. Nesse período de crise vivido no país, o cenário econômico acabou sofrendo uma retração no consumo e trazendo às empresas problemas mercadológicos, financeiros, estruturais etc. E, assim como em um ser humano, as empresas também precisam de um diagnóstico do seu problema para saber as causas que a levaram àquela situação e como tratá-las.

Por isso, o especialista em gestão financeira do IPOG, Camilo Cotrim, listou quatro dicas para te ajudar a fazer um diagnóstico correto dos problemas da sua empresa:

Atuar na prevenção: Para os procedimentos com uma empresa é necessário que haja uma boa gestão, um cuidado com o negócio, conhecer bem a empresa, acompanhar bem seus indicadores e gerenciar bem seu fluxo de caixa, porque de uma maneira preventiva isso vai trazer uma condição para que ela tenha menos problemas. Ou seja, em uma analogia com o ser humano, a sua empresa vai adoecer muito menos e você vai precisar de menos remédios, portanto, será uma empresa mais saudável. Levando a um entendimento de negócios, você vai gastar menos com consultoria e com profissionais que antes você contratava para evitar erros.

Não tente atuar nos sintomas e sim nas causas: O que tem se visto é que muitas empresas não conseguem reconhecer qual é a real causa dos seus problemas e por causa disso, ficam tratando as consequências. Segundo Camilo Cotrim, numa empresa, é preciso saber quando temos uma pequena febre ou se estamos tendo um problema grave que precisa de uma cirurgia. Então nós temos que fazer um bom diagnóstico e reconhecer a real causa dos problemas. A dica é fazer uma boa investigação, seguindo uma técnica adequada, com profissionais que saibam o que estão fazendo e, com isso, reconhecer a real causa do problema.

Reconheça bem o seu problema: Muitas das vezes nós percebemos que as empresas acabam tentando consertar os problemas do cotidiano sem estar fazendo uma leitura mais abrangente em relação ao que está acontecendo no seu negócio. Pode ter aparecido um concorrente ou você pode ter feito uma promoção de vendas muito maior do que o seu caixa suporta, o que pode gerar problemas dentro do seu cotidiano e da sua gestão. “Não reconhecer esse tipo de situação e não reconhecer o que anda acontecendo, pode te levar a ter uma crise de gestão, ou seja, você como um gestor, como um empresário, um diretor, ou mesmo um gerente, pode estar tendo problemas no seu cotidiano, nas suas rotinas que vão te levar a resultados não muito agradáveis. é preciso reconhecer isso e fazer o bom tratamento, cuidar das causas”, alerta o especialista do IPOG.

Senso de prioridade: Se por acaso a sua empresa entrou numa crise, num momento difícil financeiramente, é necessário que você compreenda a necessidade de entrar de uma maneira mais profissional para tratar desse assunto. Camilo Cotrim sugere que se você não tem as habilidades necessárias, procure um profissional que tenha credibilidade, que tenha conhecimento e conheça essas ferramentas de um jeito bem seguro e passe a fazer com que a intervenção seja mais rápida possível. Porque não agir, não decidir, talvez seja uma das piores decisões para uma empresa que está em crise. é necessário ter uma atitude, ser proativo, e fazer o reconhecimento de que o problema está acontecendo e agir rapidamente.

Agora que você já conhece nossas dicas, aproveite para investir conhecimento na sua empresa e mantê-la bem estruturada, fugindo dos problemas provocados pela crise econômica.

Sobre Camilo Cotrim

Formado em Administração de Empresas, pós-graduado em Estratégia, especialista em Finanças, mestrando em Contabilidade e Coordenador do curso de MBA Gestão de Negócios, Controladoria e Finanças Corporativas do IPOG.

Comentários