2018: o ano de superação da crise
3 minutos de leitura
31 de outubro de 2017

2018: o ano de superação da crise

Quanto mais perto nos aproximamos do final de 2017 sentimos a necessidade de deixar para trás todas as dificuldades que este ano propiciou ao setor produtivo. Pois venho trazer boas notícias: quem sobreviveu a 2017 está preparado para iniciar um ciclo de prosperidade em seus negócios, garantido por um novo cenário macroeconômico que se descortina num horizonte bem próximo. Apesar de duras, a crise ofereceu uma série de lições a serem aprendidas. E durante todo 2017, para sobreviver foi preciso ser criativo e aplicar uma boa dose de resiliência. Mas fortes indícios nos fazem constatar a mudança neste cenário. Vejam só:

  • Finalmente tivemos o descolamento da crise política e econômica. Novas delações não impactam imediatamente a bolsa de valores, por exemplo;
  • Aumento na geração de emprego. Estamos voltando a ver contratações, estimuladas pela retomada da construção civil e da indústria automobilística;
  • Anúncio de parcerias público privadas para diferentes obras de infraestrutura.

Saída da crise: Como se preparar para a retomada do crescimento?

  1. Antecipação das tomadas de decisões:
    Para entrar em 2018 preparado para se recuperar das perdas deste ano é preciso começar o planejamento agora, neste exato momento. Isso significa que está nahora de se dedicar ao planejamento estratégico de seu negócio, definindo metas mensais a serem alcançadas. Para quem é do setor varejista, montar o calendário de metas com as principais datas auxilia a visualizar momentos-chave para recomposição do estoque, por exemplo.
  2. Organizar o cadastro de clientes:
    Uma das lições que a crise nos deixou: investir na sistematização de um cadastro organizado de clientes, para lhe auxiliar a identificar características de perfil de consumo de cada um deles. Esse cadastro deve ser composto de forma estratégica e de fácil acesso. Imagina se em meio a crise você tivesse em mãos os contatos de cada um dos seus clientes que buscam o produto que você precisou colocar na promoção? Não teria sido mais fácil impulsionar as vendas? Pois bem, para 2018 esse detalhe tão importante não pode ficar de fora. Organize-se!
  3. Habilidades negociais:
    Outra lição deixada pela crise: nossa capacidade de renegociação de dívidas. Mas neste caso, não estamos pensando em te orientar a negociar dívidas, mas prazos e descontos junto aos seus fornecedores no ato da composição do estoque. Com o planejamento estratégico em mãos, fica mais fácil se antecipar às negociações para aquisição de novos produtos e materiais.
  4. Investir em diferentes canais de venda:
    Faça com que o seu cliente te encontre tanto no plano físico quanto virtual. Esteja atuante nos dois segmentos, e compartilhe as informações de um meio com o outro. Dessa forma, você sempre será lembrado como referência no seu serviço.
  5. Foco do cliente:
    Quando se conhece o cliente fica mais fácil surpreendê-lo. Organize seu serviço de forma a superar as expectativas dele. Ofereça um atendimento personalizado, que o ajude no processo decisório. Faça a diferença para cada potencial cliente que você estabelece contato. Isso vai garantir que ele, não só retorne ao seu estabelecimento, mas o indique ao seu ciclo de convívio.
  6. Presença virtual:
    As redes sociais são fortes meios para se marcar presença e ser lembrado pelo cliente. Atualmente, 30% da população mundial marca presença nas redes sociais e utilizam as referências que encontram por lá como opções de consumo. Mas faça uma inserção de forma profissional, que se mensure a sua presença, que gere interação com o público. Estar em uma rede social sem apresentar relevância não contribui em nada para sua imagem corporativa.
  7. Desenvolva uma visão disruptiva:
    Nunca se esqueça de responder a seguinte pergunta: por que estou investindo nesse segmento? Manter o seu propósito vai ajudá-lo a enxergar maneiras diferentes de fazer a mesma coisa, e de agregar valor e diferenciais àquilo que os seus concorrentes se propõem a fazer. Resumindo: fazer o mesmo, de forma diferenciada. Como exemplo vemos cafés que oferecem consulta gratuita de livros e revistas aos seus clientes; barbearias dotadas com uma série de ações para entreter seus clientes como mesa de bilhar e chopp. Faça a diferença para ser lembrado sempre.

Se interessou pelo assunto? Que tal conhecer mais dicas para melhor se preparar para o cenário de recuperação econômica, ao clicar aqui.

 


Artigos relacionados

Como se preparar para o cenário de recuperação econômica O Brasil vive hoje uma crise sem precedentes, de cunho político e institucional, que reverbera diretamente na economia brasileira. Ao analisarmos o cenário macroeconômico notamos uma falta de confiança em todas as esferas quanto ao momento de se retomar os inv...
Qual o comportamento do cliente? Uma coisa é fato, não um existe um parâmetro que analise os clientes de forma generalizada, como um "manual" de como agir. Afinal, é preciso levar em consideração os mais diversos aspectos: culturais, regionais, sociais e econômicos. Mas, também é fato que o c...
Qual o legado 2016 deixou para nós? Podemos dizer que 2016 não foi um ano fácil, não é mesmo? Mas temos a certeza que ele deixou um legado positivo, que foi o desenvolvimento de competências e habilidades. Foi preciso que cada um aprendesse, mesmo que na marra, a ser mais produtivo, inovador e r...

Sobre Wanderley Villarinho

Graduado em Administração de Empresas com MBA em Administração Pública, Gestão de Pessoas, Psicopedagogia e Política e Estratégia. Especialização em Consultoria Organizacional pelo IBCO, Gerenciamento de Stress e Incidentes Críticos pela ONU, Mentor Talks pela Creative Initiative e Personal & Professional Coaching pela AIC. Atualmente, é Diretor da WV Consultoria, com foco em Governança Corporativa e Compliance; Planejamento Estratégico; Gestão de Riscos; Liderança, Relações Interpessoais; Tomada de Decisão e Negociação. Atua como professor de Pós-Graduação no IPOG.

Comentários