Neuropsicofarmacologia e a importância na formação do psicólogo
5 minutos de leitura

Neuropsicofarmacologia: o que é e a importância dessa área de estudo para o psicólogo

Em algum momento, o psicólogo passará por casos em que será importante ter conhecimento em farmacologia. Concordando ou não com a prescrição de medicamentos para a cura das dores psicológicas, o profissional precisa estar preparado para oferecer acolhimento a pacientes que fazem uso desses psicotrópicos.

Nesses casos, a neuropsicofarmacologia entra como um campo de estudo importante para os psicólogos que buscam aperfeiçoar as suas práticas e ampliar a sua área de atuação. Essa área ajuda a compreender os efeitos de medicamentos usados por pacientes no tratamento de distúrbios mentais, suas causas e consequências, proporcionando melhor atendimento clínico.

Se você ainda tem dúvidas sobre o tema, este artigo trará informações relevantes acerca da neuropsicofarmacologia e como a área auxilia no trabalho dos psicólogos. Além disso, apresentamos a melhor forma de atender esses pacientes, tendo como base a neuropsicofarmacologia.

O que é a neuropsicofarmacologia?

Com fundamentos interdisciplinares, a neuropsicofarmacologia combina princípios da psicofarmacologia e da neurociência. Portanto, é interessante entender cada um desses temas para chegar a esse conceito.

Primeiramente, a psicofarmacologia se direciona aos estudos dos possíveis efeitos dos medicamentos no cérebro, além do comportamento que podem causar nas pessoas. Já a neurociência examina o sistema nervoso, tal qual a maneira que os nervos influenciam o comportamento humano.

Sendo assim, um dos principais objetivos da neuropsicofarmacologia é entender a relação entre determinados fármacos e os seus efeitos no cérebro. O foco é saber como funciona a atuação neurológica desses fármacos na saúde mental dos pacientes em tratamento psicológico.

Embora o psicólogo não seja o responsável pela prescrição dos medicamentos, esse profissional é fundamental para o processo de cura das dores de pacientes que necessitam de psicotrópicos prescritos por médicos psiquiatras.

Assim, quando o psicólogo entende quais os efeitos desses medicamentos, ele passa maior segurança ao paciente, visto que considera as dores, os caminhos para tratamento e a ação dos fármacos durante o processo. 

Como o estudo em neuropsicofarmacologia ajuda o psicólogo?

Os estudos da neuropsicofarmacologia podem ter como foco os distúrbios psicóticos, como a esquizofrenia, ou os distúrbios de humor, como a depressão. A ciência ainda pode se direcionar à análise de distúrbios alimentares, como a anorexia e a bulimia, à ansiedade ou aos problemas relacionados ao sono.

Nesse sentido, os psicólogos com conhecimento em farmacologia podem obter conhecimento sobre os mecanismos de ação, os efeitos e as interações de psicofármacos usados pelos pacientes.

Como resultado, o profissional deve aprender com a neuropsicofarmacologia a identificar o efeito terapêutico das substâncias, as reações colaterais mais comuns e o potencial de dependência dos fármacos psicotrópicos.

Dessa forma, o psicólogo pode se especializar na área para entender melhor a individualidade do paciente, os tratamentos por meio de medicamentos devidamente prescritos e a relação com os distúrbios.

Benefícios do conhecimento sobre farmacologia para psicólogos

  • Melhor compreensão do processo de medicalização;
  • Entender o uso de psicotrópicos e sua relação com a saúde mental;
  • Compreender as consequências e as alterações desencadeadas a partir do uso de medicamentos;
  • Base sólida para poder dialogar com o psiquiatra, com fundamentação e conhecimento;
  • Proporcionar segurança e confiança ao paciente por entender o quadro clínico para além das necessidades como tratamento psicológico;
  • Conhecer os melhores caminhos a trilhar a partir das particularidades psicofarmacológicas do paciente;
  • Fornecer análise das medicações e do contexto que envolve seu uso, suas causas e suas consequências;
  • Ter um complemento no processo psicoterápico também poderá potencializar nossa atuação como psicólogos clínicos.

Estude neuropsicofarmacologia com o IPOG

A neuropsicofarmacologia é um dos tópicos de estudo da pós-graduação em Neuropsicologia do IPOG. O curso permite que você se especialize e domine técnicas para realizar avaliações neuropsicológicas com sucesso, passando confiança e segurança ao paciente que faz uso de medicamentos psicotrópicos.

A pós-graduação do IPOG oferece uma metodologia com respaldo teórico e conhecimento aplicado à prática. Dessa forma, o estudante aprende com professores de referência na área e ainda tem acesso antecipado aos testes psicológicos e protocolos para se diferenciar no mercado.

Conheça a pós-graduação em Neuropsicologia

A pós-graduação em Neuropsicologia do IPOG tem o foco direcionado para a sua capacitação para que você desenvolva na sua atuação avaliações aprofundadas e elabore planos eficazes de intervenção em pessoas que apresentam atraso no desenvolvimento global, por meio de testagens e técnicas específicas.

O curso possibilita que o profissional tenha a chance de ampliar sua área de atuação. Assim, pode trabalhar em diversos espaços, como consultórios, hospitais, escolas e centros de reabilitação.

Diferenciais do curso

Entre os diferenciais desse curso, estão a parceria da Vetor Editora, que é referência na publicação de testes psicológicos. Dessa maneira, os professores da pós-graduação terão acesso aos protocolos para serem trabalhados em sala de aula e às novas práticas cientificamente comprovadas.

A formação também oferece a conexão entre teoria e prática. Dessa forma, é possível aprender por meio de casos clínicos com pacientes reais ou voluntários, a partir dos três últimos módulos.

Além do mais, os profissionais matriculados podem contar com supervisão. São 90 dias sendo monitorados por um profissional altamente capacitado para poder orientá-lo nesses casos.

O que você vai aprender?

  • Neuropsicologia: Perspectivas e Fundamentação Psicométrica
  • Bases Neuroanatômicas e Neurofisiológicas do SNC – Sistema Nervoso Central
  • Neuropsicofarmacologia
  • Avaliação Neuropsicológica das Funções Executivas
  • Neuropsicologia do Desenvolvimento Infantil
  • Neuropsicologia do Envelhecimento
  • Avaliação Neuropsicológica da Atenção
  • Avaliação Neuropsicológica da Linguagem
  • Avaliação Neuropsicológica dos Transtornos de Aprendizagem
  • Avaliação Neuropsicológica das Praxias
  • Avaliação Neuropsicológica da Memória
  • Avaliação Neuropsicológica da Inteligência
  • Avaliação Neuropsicológica dos Transtornos Psiquiátricos
  • Reabilitação e Intervenção Neuropsicológica Infantil
  • Reabilitação e Intervenção Neuropsicológica do Adulto e Idoso
  • Supervisão Clínica I
  • Supervisão Clínica II
  • Supervisão Clínica III

Por que escolher o IPOG para fazer uma pós-graduação?

Presente desde 2001 no mercado, o IPOG é uma instituição de ensino com experiência em formar profissionais que apresentam perfis sólidos para o mercado de trabalho. Assim, o instituto já fez parte da história de mais de 100 mil estudantes de graduação, pós-graduação e cursos de curta duração.

O IPOG já conta com mais de 52 unidades em todos os estados do país e no Distrito Federal. Além disso, a instituição apresenta parcerias internacionais e tem o seu padrão de qualidade comprovado pelo índice de satisfação entre os alunos, que chega a 97,14%. 

Metodologia inovadora

A metodologia de ensino do IPOG apresenta inovação, com o propósito de aperfeiçoar cada vez mais a experiência de aprendizagem. A técnica foi elaborada a partir de referências pedagógicas e tem fundamento em dois princípios.

O primeiro deles é a formação continuada dos professores. Além de contar com docentes de referência e atuantes no mercado, o IPOG possibilita que os estudantes matriculados no curso façam uma avaliação semanal dos professores.

A segunda base da metodologia é a soma das práticas em sala de aula com o Ambiente Virtual de Aprendizagem. Cada módulo da pós-graduação é apresentado com o modelo de sala de aula invertida. Nessa perspectiva, o aluno é estimulado a conhecer o conteúdo antes das aulas, para impulsionar a retenção de conteúdo e o tempo de aprendizagem.

Professores com sucesso nas carreiras

O IPOG dispõe de um time de professores com sólida experiência profissional na área. Isso permite que a qualidade do corpo docente vá além do ambiente acadêmico, oferecendo trocas reais de conhecimento, baseadas em problemas encontrados diariamente no exercício da profissão.

Estude de onde quiser

A pós-graduação em Neuropsicologia do IPOG é ofertada em duas modalidades: presencial e remota, com aulas on-line e ao vivo.

Desse modo, os profissionais podem optar por aquela que melhor atende à rotina pessoal e de trabalho. Ou seja, é possível estudar com flexibilidade e tendo melhor aproveitamento do conhecimento repassado.

Seja um especialista em Neuropsicologia

Agora que você sabe a importância de aprender sobre neuropsicofarmacologia, invista em seu potencial e amplie a qualidade do seu atendimento clínico.

Conheça a pós-graduação em Neuropsicologia do IPOG e seja um profissional completo e que ofereça um grande diferencial para receber seus pacientes.

Gostou deste artigo sobre neuropsicofarmacologia? Leia também outros conteúdos em nosso blog:

Artigos relacionados

9 dicas para ser um bom gestor de saúde De acordo com dados de maio/2018 disponibilizados pelo Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), no Brasil existem mais de 320.600 estabelecimentos de saúde nos setores público e privado cadastrados no Ministério da Saúde. Esse número demonstra a...
Estratégias eficazes para aumentar a visibilidade de consultórios de saúde Como a área de saúde trabalha com clientes que muitas vezes estão vulneráveis ao procurar os profissionais, a humanização do atendimento faz a diferença e auxilia para aumentar a visibilidade do seu consultórios de saúde. "A conexão emocional entre paciente e ...
Infecção hospitalar: orientações importantes para profissionais da saúde A infecção hospitalar possui um alto índice de mortalidade no Brasil. Segundo a Associação Nacional de Biossegurança (Anbio ), em média, 100 mil pessoas morrem por ano devido a contaminação por  infecção hospitalar. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) ...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo.

Comentários