Computação Forense: perícia digital é a solução para a investigação de crimes cibernéticos em empresas
2 minutos de leitura
11 de maio de 2017

Computação Forense: perícia digital é a solução para a investigação de crimes cibernéticos em empresas

O volume de crimes digitais em empresas tem aumentado. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Thomson Reuters, as empresas brasileiras gastam R$ 6,4 bilhões por ano (4,9% da sua receita anual) na prevenção e combate de crimes financeiros, sendo os ataques cibernéticos o crime mais comum.  O aumento de fraudes no ambiente virtual corporativo no Brasil é a nova realidade para a atuação de peritos digitais.

A frenética evolução da tecnologia também contribui para que as invasões sejam mais avançadas com a utilização de novas táticas para fraudar o sistema de segurança virtual das instituições. Um ataque cibernético pode causar prejuízos à empresa e expor dados de clientes para serem utilizados em outros golpes.

Um levantamento realizado pela consultoria Gartner indica que, até 2020, cerca de 30% das 2000 maiores empresas do mundo serão atingidas por cibercriminosos. Os golpes virtuais geralmente são feitos por meio da disseminação de vírus e malwares para ter acesso aos dados e controle dos computadores, celulares e outros dispositivos digitais.

O phishing, por exemplo, é uma prática criminosa muito utilizada, que influencia o usuário a clicar em links maliciosos e tem o objetivo de captar informações, como dados pessoais, senhas de cartões bancários, números de documentos por meio de mensagens, sites e outra plataforma de inserção de informações.

Com o grande volume de casos relacionados ao vazamento de dados no ambiente corporativo, as companhias têm conseguido identificar crimes eletrônicos e punir os responsáveis pelas fraudes por meio de técnicas da Computação Forense. As ferramentas utilizadas na Comutação Forense permitem a coleta e análises de dados em meios digitais para investigação e identificam os criminosos responsáveis pelo delito.

A procura por especialistas da Computação Forense para atuar no setor empresarial tem crescido. “As companhias estão preocupadas com o aumento de crimes cibernéticos e estão investindo em equipes para detectar e investigar um ataque de modo ágil”, afirma o coordenador do curso de pós-graduação em Computação Forense e Perícia Digital do IPOG, José Walber Pinheiro.

Processo de investigação

A primeira etapa do processo é coletar e isolar o equipamento que será analisado. Após isso, utiliza-se ferramentas com tecnologia forense para extrair todos os dados e registros presentes no armazenamento do dispositivo. Todos os dados captados são preservados e duplicados para outro equipamento.

A partir daí, a análise e cruzamento das informações e acessos serão realizadas. Com as análises e laudos prontos, a empresa consegue acionar a justiça para tomar as providências necessárias contra o infrator.

Devido o aumento de crimes na internet, a computação forense é tendência no ramo empresarial, visto que, todo o sistema está integrado a computadores, servidores, celulares, tablets e nuvens. “Para investigar fraudes cometidas no ambiente virtual, o perito digital precisa ter formação especializada, técnica e legal”, complementa José Walber.

Dicas de proteção

Para proteger e prevenir ataques de hackers ao sistema é preciso investir na segurança da informação da empresa, estabelecer uma política eficaz de acessos, fazer backups e monitoramento diário, instalar um excelente antivírus e promover ações de conscientização para os colaboradores sobre a forma correta de utilizar as tecnologias do local de trabalho.


Artigos relacionados

IPOG na InterFORENSICS: confira as principais contribuições do evento para os profissionais de Compu... A InterFORENSICS 2017 foi um sucesso. Nos três dias de evento, mais de 1300 pessoas participaram da ampla programação de palestras, workshops, apresentação de trabalhos, reuniões, lançamentos de livros e visitação em estandes de empresas e instituições. Par...
UFED Touch Ultimate: conheça a solução completa da Cellebrite para a investigação forense em disposi... Existem muitas soluções no mercado que proporcionam a extração, análise de dados, desbloqueio, descriptografia de dispositivos móveis, como: tablets, smartphones, GPS, cartões de memória. A Cellebrite é referência global em soluções forenses para as forças de ...
Profissionais de TI mais disputados no mercado Enquanto muitos profissionais sofreram os impactos da crise nos últimos anos, os experts em Tecnologia mantiveram ótimas oportunidades no mercado de trabalho. Isso porque a TI está presente em praticamente todos os segmentos de negócios, principalmente por con...

Sobre Walber Pinheiro

Doutorando em Ciências da Informação pela Universidade Fernando Pessoa em Porto (Portugal) e coordenador do curso de Computação Forense e Perícia Digital do IPOG.

Comentários