IPOG na InterFORENSICS: aluna de Computação Forense e Perícia Digital é destaque no evento
2 minutos de leitura
25 de Maio de 2017

IPOG na InterFORENSICS: aluna de Computação Forense e Perícia Digital é destaque no evento

A programação do InterFORENSICS contou com apresentações de trabalhos científicos de várias áreas das ciências forenses.  Dos quase 200 trabalhos enviados para participar da conferência, 30 foram selecionados para a apresentação oral. O artigo “Análise comparativa de criptomoedas” da aluna Caroline Silvéria Ribeiro, do curso de Computação Forense e Perícia Digital da unidade de Brasília, foi um dos escolhidos.

Para a aluna, o evento tem contribuído muito para o aperfeiçoamento profissional. “Participar da InterFORENSICS está sendo fantástico. É a realização de um sonho. Fiquei muito ansiosa para apresentar o que são as criptomoedas. Esse tema está bastante em alta, principalmente  após o ataque do WannaCry de algumas semanas atrás”, destaca Carolina Silvéria.

O artigo desenvolvido sob a orientação do professor de Computação Forense e Perícia Digital do IPOG, Luciano Kuppens, apresenta uma análise comparativa de 4 criptomoedas: Bitcoin, Litecoin, Dogecoin e Xaurum sobre as perspectivas de legalização no Brasil e no mundo, valorização, aceitação e popularidade;

A aluna do IPOG também explicou como as moedas virtuais são criadas e a sua relação com o cenário atual. As criptomoedas quebram barreiras impostas por governos e instituições financeiras, formando uma rede mundial de transações instantâneas”, ressalta a estudante.

Conversamos com a futura especialista em Computação Forense e Perícia Digital e ela nos falou um pouco sobre o curso e o futuro da área no Brasil. Confira a entrevista abaixo:

Quais foram os motivos que te levaram a escolher a pós-graduação em Computação Forense e Perícia Digital?

Em primeiro lugar, a ementa do curso é apaixonante. O currículo dos professores me chamou muita atenção. Ter uma pós-graduação em que todos os professores são peritos da Polícia Federal é bastante instigante.  O contato com esses peritos oficiais do Brasil é muito interessante, pois além do compartilhamento da experiência profissional, temos acesso às ferramentas computacionais de uso policial e livres. Esse equilíbrio do curso é muito bom, porque nos dá uma visão como um todo.

Como você vê o futuro dessa área no Brasil?     

A Operação Lava Jato é um exemplo de futuro que não tem como negar. Tudo hoje é digital, e as investigações precisam estar cada vez mais preparadas para atender o crescimento de crimes envolvendo a tecnologia computacional. A meu ver, a perícia trabalha para ajudar a manter a ordem de um país e precisamos disso mais do que nunca.

O IPOG parabeniza a aluna pelo excelente trabalho, pela conquista em apresentar o artigo no InterFORENSICS e por contribuir de forma tão significante para o meio profissional e acadêmico.

Artigos relacionados

Biometria: quais os métodos mais seguros para a identificação em uma investigação criminal? A biometria é muito utilizada em todo mundo para identificação pessoal em diversas atividades. Seja para investigações criminais, registro em documentos pessoais, acessar locais, votar, realizar transações financeiras, entre outras funções para a identificação...
Descubra quais são as 5 melhores áreas de Tecnologia da Informação A área da Tecnologia da Informação é uma das poucas que parece não sofrer com a crise econômica. Segundo pesquisa realizada pela International Data Corporation (IDC), até 2019, o setor deverá demandar cerca de 450 mil profissionais na América Latina, sendo ...
Crimes contra a honra: investigação de publicações ofensivas na Internet Ofender outras pessoas por meio da divulgação de conteúdo de ódio, falsas acusações, propagação de mensagens de preconceito, discriminação racial, de cor, etnia, religião, gênero, origem, pela condição da pessoa ser idosa ou pessoas portadoras de deficiência o...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo.

Comentários