2 minutos de leitura
25 de maio de 2017

IPOG na InterFORENSICS: aluna de Computação Forense e Perícia Digital é destaque no evento

A programação do InterFORENSICS contou com apresentações de trabalhos científicos de várias áreas das ciências forenses.  Dos quase 200 trabalhos enviados para participar da conferência, 30 foram selecionados para a apresentação oral. O artigo “Análise comparativa de criptomoedas” da aluna Caroline Silvéria Ribeiro, do curso de Computação Forense e Perícia Digital da unidade de Brasília, foi um dos escolhidos.

Para a aluna, o evento tem contribuído muito para o aperfeiçoamento profissional. “Participar da InterFORENSICS está sendo fantástico. É a realização de um sonho. Fiquei muito ansiosa para apresentar o que são as criptomoedas. Esse tema está bastante em alta, principalmente  após o ataque do WannaCry de algumas semanas atrás”, destaca Carolina Silvéria.

O artigo desenvolvido sob a orientação do professor de Computação Forense e Perícia Digital do IPOG, Luciano Kuppens, apresenta uma análise comparativa de 4 criptomoedas: Bitcoin, Litecoin, Dogecoin e Xaurum sobre as perspectivas de legalização no Brasil e no mundo, valorização, aceitação e popularidade;

A aluna do IPOG também explicou como as moedas virtuais são criadas e a sua relação com o cenário atual. As criptomoedas quebram barreiras impostas por governos e instituições financeiras, formando uma rede mundial de transações instantâneas”, ressalta a estudante.

Conversamos com a futura especialista em Computação Forense e Perícia Digital e ela nos falou um pouco sobre o curso e o futuro da área no Brasil. Confira a entrevista abaixo:

Quais foram os motivos que te levaram a escolher a pós-graduação em Computação Forense e Perícia Digital?

Em primeiro lugar, a ementa do curso é apaixonante. O currículo dos professores me chamou muita atenção. Ter uma pós-graduação em que todos os professores são peritos da Polícia Federal é bastante instigante.  O contato com esses peritos oficiais do Brasil é muito interessante, pois além do compartilhamento da experiência profissional, temos acesso às ferramentas computacionais de uso policial e livres. Esse equilíbrio do curso é muito bom, porque nos dá uma visão como um todo.

Como você vê o futuro dessa área no Brasil?     

A Operação Lava Jato é um exemplo de futuro que não tem como negar. Tudo hoje é digital, e as investigações precisam estar cada vez mais preparadas para atender o crescimento de crimes envolvendo a tecnologia computacional. A meu ver, a perícia trabalha para ajudar a manter a ordem de um país e precisamos disso mais do que nunca.

O IPOG parabeniza a aluna pelo excelente trabalho, pela conquista em apresentar o artigo no InterFORENSICS e por contribuir de forma tão significante para o meio profissional e acadêmico.

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo.

Comentários