IPOG na InterFORENSICS: confira as principais contribuições do evento para os profissionais de Computação Forense
3 minutos de leitura
05 de maio de 2017

IPOG na InterFORENSICS: confira as principais contribuições do evento para os profissionais de Computação Forense

A InterFORENSICS 2017 foi um sucesso. Nos três dias de evento, mais de 1300 pessoas participaram da ampla programação de palestras, workshops, apresentação de trabalhos, reuniões, lançamentos de livros e visitação em estandes de empresas e instituições.

Para Evandro Lorens, diretor da Academia Brasileira de Ciências Forenses (ABCF) e da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF) e idealizador e organizador da conferência, a InterFORENSICS foi uma aposta importante e planejada. “Planejamos e trabalhamos duro para conseguir chegar nesse modelo. Tínhamos certeza que o evento como um todo seria um sucesso. Trabalhamos para oferecer qualidade nas 10 trilhas de conhecimento. O congresso foi um sucesso. Atingimos os nossos objetivos”, destaca Evandro.

Além disso, a conferência contou com a participação de renomados palestrantes nacionais e internacionais e promoveu a integração entre a comunidade de ciências forenses.

Para Helio Buchmüller, Presidente da Academia Brasileira de Ciências Forenses (ABCF) e idealizador e organizador da conferência, o evento foi excelente. “União é a palavra chave da interFORENSICS. Conseguimos reunir em um mesmo ambiente peritos criminais, juízes, delegados, policiais, membros do Ministério Público, defensores públicos, advogados, pesquisadores, estudantes, profissionais das ciências forenses e empresas que atuam nesta área”, ressalta Helio.

Computação Forense

A InterFORENSICS promoveu ótimos debates com temas relacionados à computação forense. Além de workshops e apresentações de trabalhos, o evento ofereceu mais de 10 palestras.  Os conteúdos abordados tiveram relação com o grande volume de dados que a investigação precisa lidar, como as moedas virtuais vão afetar o trabalho da computação forense pela falta de rastreabilidade e a influência da segurança e privacidade nessa área.

Além disso, técnicas de combate à pirataria e recuperação de dados, desafios da computação forense para a Internet das Coisas, análise de dispositivos criptografados, correlação de evidências digitais, computação em nuvem e crimes cibernéticos foram temas importantes apresentados na conferência.

Outra contribuição marcante foi em relação ao recente ataque cibernético WannaCry.  Considerando que o crime aconteceu há duas semanas, a conferência conseguiu trazer informações novas e de altíssima qualidade.

Aproveitamos o evento e conversamos com o advogado especialista em direito digital e crime cibernético, Fernando Peres, sobre os principais desafios para a investigação de crimes digitais. Confira a entrevista:

Quais os principais desafios dessa área no cenário atual?

É discutível que existe um número cada vez maior de adeptos na internet e das mais diferentes tecnologias. Temos um grande problema ainda da educação dos usuários, isso faz com que o número de crimes aumente de forma desproporcional. Existe um conceito muito equivocado sobre liberdade de expressão e o que pode ou não fazer na internet. E existe ainda a falsa sensação de impunidade de muitos criminosos. Muitos acreditam que podem cometer crimes e não serão identificados. E é por isso que esse conhecimento das análises periciais e da inteligência investigativa se tornam cada vez mais importante para o sucesso das investigações.

Minha especialidade é perícia forense computacional, com isso, os equipamentos de informática adquirem novas tecnologias sempre. Se as perícias, investigações e as análises não acompanharem a evolução dos equipamentos, a investigação acaba se tornando mais difícil. Existe, além de tudo, uma necessidade muito grande de adquirir conhecimento sobre produção de provas e a práticas periciais.

 

O que você achou do evento?

O InterFORENSICS é uma referência na área de perícias forenses. É importante sempre estar atualizado com os estudos, teorias, práticas e com as novas tecnologias.

A próxima edição da InterFORENSICS será em 2019. “As expectativas para o próximo evento são as melhores, queremos ter mais trilhas, mais palestrantes e participantes. Nós queremos ver o quanto avançamos como pessoas, como grupo de trabalho e ver como nós evoluímos a ciências forenses nesses dois anos”, complementa Evandro Lorens.

A participação do IPOG no InterFORENSICS foi muito importante. Queremos compartilhar com você todo o aprendizado que conquistamos com o evento por meio de publicações no blog dos temas abordados na conferência. O nosso objetivo é contribuir cada vez mais com o seu sucesso profissional na área de computação forense.29


Artigos relacionados

Data mining: Garimpando valiosas informações em meio a inúmeros dados Termo de origem inglesa, o data mining (mineração de dados, em tradução literal) surgiu na década de 90, junto a comunidades de bases de dados. Inicialmente ligada à área de informática, a prática consiste na atividade de organização de dados, buscando estabel...
Como é feita a análise forense do Sistema Operacional Windows? Visto que todo computador necessita de um sistema para iniciar suas funções, você já parou para pensar como os peritos digitais investigam crimes em sistemas operacionais? Se você tem interesse em saber mais sobre esse assunto, nesse artigo vou esclarecer como...
Internet Segura: 10 dicas para se prevenir! Para que possamos ter mais cuidado ao navegar na internet é preciso, primeiramente, bom senso em todos os cliques. Por onde passamos, fica registrado o endereço de IP (Internet Protocol) do computador que estamos utilizando.Também é importante ressaltar qu...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo.

Comentários