Segurança e privacidade em Internet das Coisas (IoT): como aumentar a confiança do usuário?
3 minutos de leitura
10 de outubro de 2017

Segurança e privacidade em Internet das Coisas (IoT): como aumentar a confiança do usuário?

IPOG, Iot, Internet das Coisas, Internet of Things

É fato que a forma de interação física em todo o mundo mudou. Hoje, as casas estão automatizadas, a iluminação, temperatura, TV’s, fechaduras e portas podem ser controladas por um smartphone, geladeiras sinalizam a necessidade de abastecimento de alimentos. Esses são poucos exemplos da gama de oportunidades que a Internet das Coisas pode oferecer.  A Internet das Coisas, conhecida também pela sigla IoT, do inglês, Internet of Things, interliga e conecta objetos à internet, computadores e smartphones. Essas integrações tecnológicas deixa o dia a dia mais produtivo, eficiente, prático e dinâmico para os usuários.

Uma pesquisa realizada pela BI Inteligence prevê que até 2020 haverá um total de 24 bilhões de dispositivos conectados à internet. Ao mesmo tempo que essa tecnologia cresce e fica acessível, os riscos de segurança e privacidade também aumentam e possibilitam mais ciberataques.

IoT: Relação de confiança

Para a Internet das Coisas funcionar com efetividade, os usuários precisam ter uma relação de confiança. As empresas precisam conquistar e manter a confiança dos clientes por meio do fornecimento de uma tecnologia cada vez melhor e segura.

Privacidade e segurança na rede

A segurança e proteção na coleta e compartilhamento de dados pessoais são os principais desafios para esse setor. A combinação de informações e acessos registrados nos dispositivos inteligentes coloca à privacidade em risco, pois gera um conjunto de comportamentos que podem ser usados por criminosos virtuais.

Esse é um marco de inovação da internet e da tecnologia que permite possibilidades promissoras e infinitas para empresas e governos se conectarem com consumidores. Se você trabalha com projetos para dispositivos IoT, é importante entender como essa tecnologia pode alavancar seu negócio e sua carreira.

Mas para isso acontecer, a única questão é: você está totalmente preparado para fornecer produtos IoT com segurança e privacidade para seus clientes?

Soluções de cibersegurança para construir confiança

Desenvolver um dispositivo IoT que oferece uma conexão segura e confiável são os principais desafios para os especialistas em cibersegurança e empresas fabricantes dessa tecnologia.

A segurança digital deve fazer parte de todo o ciclo de vida do dispositivo: projeto, fabricação e durante o uso com o consumidor.

O sistema para um dispositivo IoT deve ser proativo, preventivo e corretivo, pra a segurança, privacidade, disponibilidade e integridade de dados. Confira alguns itens que devem ser levados em consideração nesse processo para agregar a efetividade do produto com confiança para o usuário:

  • Desenvolver projetos seguros, em nível de hardware, software e hospedagem em nuvem;
  • Melhorar o controle de governança de TI da empresa;
  • Estabelecer padrões de segurança elevados;
  • Implementar sistemas de controle de qualidade;
  • Realizar análises de vulnerabilidade do dispositivo;
  • Utilizar protocolos seguros de atualizações e correções;
  • Desenvolver sistemas com criptografia para proteção de dados;
  • Realizar testes de segurança;
  • Desenvolver plano de contingência contra possíveis ameaças futuras;
  • Monitorar constantemente o sistema para detectar possíveis ameaças cibernéticas;

Para isso gerar valor e garantir a confiabilidade, precisa-se informar o usuário de como essa tecnologia foi produzida.

Como se proteger?

Assim como as empresas devem fazer a sua parte para garantir a segurança e privacidade no uso de dispositivos conectados à internet, o consumidor final também precisa se precaver para aproveitar ao máximo os benefícios dessa tecnologia.

A grande maioria dos dispositivos com a tecnologia da Internet das Coisas solicitam informações pessoais. É preciso ter muito cuidados antes de conectar objetos e fornecer dados. Confira importantes ações que devem ser executadas pelos usuários de dispositivos IoT.

  • Pesquise sobre o dispositivo antes de comprar;
  • Utilize senhas seguras;
  • Atualize o software sempre que solicitado;
  • Utilize sistemas com criptografia para proteção de dados;
  • Instale aplicativos oficiais da marca ou de fontes seguras;
  • Fique atento às configurações do dispositivo;
  • Verifique as vulnerabilidades do produto;

O ambiente físico e o digital vão se comunicar cada vez mais através da conexão com a internet e computadores. A Internet das Coisas cresce de forma acelerada e é uma tecnologia promissora para a área de Tecnologia da Informação.

Qualquer dispositivo conectado à internet é passível de invasão, por isso precisamos estabelecer estratégias de segurança cibernética para que consigamos oferecer os melhores produtos com segurança e privacidade para os usuários.

 Leia Mais:

4 Dicas para evitar transtornos no ambiente virtual

Conheça as vantagens de utilizar um Escritório Inteligente

Boiada digital, não seja mais um!


Artigos relacionados

NuDetective: ferramenta forense de combate à pedofilia O NuDetective é um software que identifica arquivos com conteúdo pornográfico infanto-juvenil em locais de crime e de busca e apreensão com suspeita de pedofilia. A ferramenta forense foi desenvolvida pelo Perito Criminal Federal e professor do curso de Pós-gr...
Inspirando Carreiras: Aluna IPOG conta sua experiência profissional na área de perícias judiciais O mercado para peritos judiciais no Brasil é rentável e fértil, com grandes oportunidades profissionais em todo o país. A área de perícias judiciais é uma área que exige muita qualificação e preparo e pode ser realizada por profissionais de diferentes formaçõe...
Computação Forense: como investigar em nuvem? A nuvem é um modelo computacional que armazena dados sem a necessidade de um espaço em hardware, mas sim de forma virtual, na internet. Além disso, permite o acesso de qualquer lugar do mundo por meio de um dispositivo eletrônico com conexão à internet. Estud...

Sobre Walber Pinheiro

Doutorando em Ciências da Informação pela Universidade Fernando Pessoa em Porto (Portugal) e coordenador do curso de Computação Forense e Perícia Digital do IPOG.

Comentários