Umidade nas edificações: como fazer um projeto que previne patologias
5 minutos de leitura
16 de setembro de 2022

Umidade nas edificações: como fazer um projeto que previne patologias

A umidade nas edificações é um dos principais problemas que podem ocorrer na construção civil e que podem comprometer a estrutura predial. Por isso, é essencial que o engenheiro estude bastante sobre o tema para entender como evitar a situação e preservar a vida útil do edifício.

Para quem quer evitar esse tipo de problema ou mesmo se antecipar, pode contar com técnicas essenciais para solucionar esse desafio e, assim, prevenir os danos e a necessidade de reparos em um prazo curto de tempo.

Neste artigo, abordamos os principais tipos de umidade nas edificações e quais são as medidas mais eficazes para combatê-las. Confira!

Quais são os tipos de umidade na construção civil?

Atualmente, podemos considerar que a umidade na construção civil pode ser representada por quatro tipos:

  • decorrente de intempéries;
  • proveniente da condensação;
  • advinda de infiltrações;
  • ascendente por capilaridade.

Para entender melhor, confira o que é cada uma e como elas surgem.

Umidade decorrente de intempéries

Um dos tipos mais comuns de umidade nas construções é decorrente de intempéries, como a água da chuva que penetra nas fissuras da fachada. Nesses casos, as consequências podem tanto afetar a estrutura das edificações quanto gerar grandes problemas.

Tudo depende do projeto, dos materiais e dos cuidados durante o levantamento da obra.

Umidade proveniente da condensação

A umidade proveniente da condensação é um dos tipos mais conhecidos na construção civil, afetando edificações com facilidade.

Nesse caso, ela acontece quando o vapor de água do interior do ambiente entra em contato com superfícies frias. O resultado é o surgimento de bolor e gotículas, que podem danificar a estrutura de construções em médio e longo prazos.

Além disso, a saúde dos usuários da edificação acaba comprometida por gerar fungos e bactérias nocivos à saúde.

Umidade proveniente de infiltrações

A umidade proveniente de infiltrações costuma atingir as paredes do interior das construções. Sendo assim, esse tipo é o mais comum em ambientes enterrados, a exemplo de subsolos, que são projetados sem prevenção ao lençol freático do lado de fora.

Umidade ascendente por capilaridade

Por fim, a umidade ascendente por capilaridade é aquela que surge em regiões mais inferiores da parede, onde há maior absorção da água do solo por meio da fundação.

Portanto, a parede está ligada com as vigas da edificação e fica parcialmente enterrada, em contato com a área úmida. Esse tipo de problema é mais comum em locais como estacionamentos, sótãos e pisos térreos.

O que causa a umidade nas edificações?

As principais causas de umidade nas edificações é a falta de impermeabilização. Essa é a resposta dada por profissionais que analisam as construções em busca de soluções para infiltração e umidade.

Dessa forma, quando há chuva em excesso e escapamento de encanamentos, a tendência é que mofo, bolor e infiltrações tomem conta das paredes. Contudo, a falta de ventilação no local pode ser um agravante, acometendo locais como cozinhas e banheiros, onde há superfícies mais frias, com metais e vidros.

Cada caso deve ser analisado para que a melhor solução seja aplicada. Entre as saídas apontadas pelos profissionais de engenharia, as principais são os procedimentos feitos por meio de sistemas de pintura mais flexíveis e duráveis, por exemplo. Já em casos mais graves, cabe a revisão do projeto estrutural.

Quais são os principais problemas patológicos provocados pela umidade nas edificações?

No artigo “Principais manifestações patológicas ocasionadas pela umidade: uma revisão bibliográfica”, a engenheira civil especialista em Engenharia Diagnóstica, Karine Belon, cita os principais problemas patológicos causados pela umidade nas edificações. Entre eles estão:

  • infiltrações;
  • manchas;
  • mofo ou bolor;
  • eflorescência (formação de depósitos salinos nas superfícies);
  • corrosão de armaduras.

Quando se trata de um imóvel recém-comprado, o novo dono pode recorrer a questões legais para solicitar o reparo. Nessa perspectiva, é bom lembrar que as construtoras precisam reparar vícios em até 5 anos após a entrega de um imóvel.

Se for necessário fazer o processo de reparação, o trabalho demanda tempo e gastos extras. Por isso, a melhor opção é ter atenção a esses detalhes, de preferência estudando e se especializando na área como forma de otimizar os projetos e evitar falhas.

Como evitar umidade nas edificações?

Agora que você já conhece as principais causas e patologias decorrentes da umidade, saiba quais são as ações preventivas para impedir esse tipo de problema.

Separamos adiante algumas dicas que podem ser postas em prática para que os imóveis se mantenham em condições normais de uso.

Use sistemas de impermeabilização

De acordo com a NBR 9575, a impermeabilização é “o conjunto de operações e técnicas construtivas (serviços), composto por urna ou mais camadas, que tem por finalidade proteger as construções contra a ação deletéria de fluidos, de vapores e da umidade”.

O uso de sistemas de impermeabilização é essencial para que os elementos e ambientes que são suscetíveis à água, originada da chuva ou de limpeza, estejam isolados. Com isso, os telhados, os beirais e as calhas devem ser bem projetados, a fim de proteger a fachada contra a exposição à água de forma contínua.

Faça o isolamento da parede

No caso de umidade ascendente por capilaridade, uma solução que pode ser posta em prática é isolar a parede com drenos, geotêxtil ou brita. Sendo assim, esse recurso é indicado, principalmente, para pisos térreos.

Instale esquadrias em banheiros e cozinhas

Para evitar problemas como a falta de ventilação, que pode causar umidade nas edificações, é importante apostar em esquadrias funcionais. Dessa forma, é possível escolher várias opções de janelas, em materiais como madeira, alumínio e vidro.

Use essa solução especialmente em banheiros e cozinhas, visto que são os locais mais afetados pela falta de ventilação no ambiente residencial e pela umidade por condensação.

Faça cursos para se aprimorar

É fundamental investir em cursos para se aprimorar e se atualizar na sua profissão. Sempre há novos métodos e novas tecnologias para otimizar projetos construtivos, por isso é preciso estar em contato com ambientes que promovam o acesso ao conhecimento e às novas técnicas.

Uma das melhores opções é a pós-graduação. Além de contribuir com conhecimentos técnicos para evitar esse tipo de problema nas construções, é possível fazer networking, compartilhar experiências e obter melhores posições profissionais.

Conheça a pós-graduação em Patologia das Construções do IPOG

A pós-graduação em Patologia das Construções: Diagnósticos e Tratamentos do IPOG é remota, com aulas on-line e ao vivo, que prepara os profissionais para diagnosticar, prevenir e tratar problemas que podem acontecer nas edificações de maneira geral.

Com essa formação, o aluno aprende como utilizar os melhores materiais e as técnicas mais adequadas, buscando ainda o menor custo.

Módulos do curso

Na especialização em Patologia das Construções: Diagnósticos e Tratamentos do IPOG, você vai aprender temas como:

  • Introdução à Patologia das Construções;
  • Laudos, Vistorias e Perícia Judicial;
  • Patologia das Fundações;
  • Patologia das Estruturas de Concreto Armado;
  • Patologia das Vedações, dos Revestimentos e dos Pisos Argamassados e Cerâmicos Residenciais e Industriais;
  • Patologia das Instalações Elétricas, Hidrossanitárias e Combate a Incêndio;
  • Fissuras nas Edificações: Diagnósticos, Prevenções e Tratamentos;
  • Umidade nas Edificações e Impermeabilizações;
  • Ensaios para Diagnósticos;
  • Patologia das Estruturas Pré-Moldadas, Protendidas, Metálicas e de Madeiras;
  • Patologia em Taludes, Muros de Contenções, Túneis e Barragens;
  • Recuperação e Reforço de Estruturas de Concreto Armado.

Por que escolher o IPOG?

O IPOG é uma instituição com uma trajetória de mais de 20 anos no mercado. Além de cursos de graduação em 4 áreas, oferece mais de 120 opções de especialização e mais de 60 cursos de curta duração.

Confira os diferenciais da instituição:

  • empresa premiada diversas vezes pelo GPTW (Great Place to Work);
  • corpo docente formado por mestres e doutores com vasta experiência em suas áreas de atuação e metodologia específica;
  • 25 mil alunos ativos;
  • índice de satisfação entre alunos chega a 97,14%;
  • equipe de mais de 800 professores e 320 colaboradores;
  • 52 unidades em todo o país.

Seja um especialista com o IPOG e domine conhecimentos sobre umidade nas edificações

É hora de dar um passo a mais na carreira e buscar o sucesso profissional. Com o IPOG, você tem todos os diferenciais para se destacar no mercado e conquistar posições de destaque nas empresas.

Seja um especialista em Patologia das Construções: Diagnósticos e Tratamentos. Acesse a página do curso, preencha o formulário e fale com um de nossos consultores de carreiras.

Gostou deste conteúdo? Leia também outros artigo em nosso blog:

Artigos relacionados

O que pode acontecer com a engenharia civil em 2018? Recentemente, conversamos aqui no Blog IPOG sobre o futuro da Engenharia Civil em 2018. Ao longo do texto, o professor Gilberto Porto expôs como a crise, de fato, ensinou muita coisa para o mercado que começa a reagir. A partir de algumas relações como o PI...
Práticas gerenciais como diferencial na gestão da obra e de seus custos Os engenheiros que acompanham o Blog IPOG sabem que constantemente nós destacamos a importância da gestão na prática destes profissionais. O engenheiro que aplica práticas gerenciais na gestão da obra, consegue alcançar mais produtividade e os resultados conqu...
Você sabe controlar os custos da obra? Falar sobre economia na obra é sempre bem atrativo, não é mesmo? Afinal, conseguir fechar as contas no azul ainda é um desafio tanto para pequenos construtores, como para empresas que trabalham na execução de grandes empreendimentos. Mas qual será o segredo p...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo.

Comentários