Como se preparar para abrir seu escritório de Arquitetura?
6 minutos de leitura
15 de agosto de 2018

Como se preparar para abrir seu escritório de Arquitetura?

Escritorio de Arquitetura, IPOG, Montar o seu Escritório, Escritório, Arquitetura

Em uma época em que o empreendedorismo está em alta, na arquitetura a realidade não tem sido diferente. Vários profissionais têm o desejo de construir uma carreira e serem reconhecidos pelo trabalho desenvolvido no seu próprio escritório de Arquitetura.

Uma pesquisa feita pelo IPOG entre os alunos da Pós-Graduação Master em Arquitetura e Lighting e da Pós-Graduação Design de Interiores – Ambientação e Produção do Espaço, revelou que a maior parte dos jovens arquitetos que estão ingressando no mercado ou que já atuam há pelo menos 5 anos, têm o desejo de ter o próprio escritório de arquitetura. Alguns, inclusive, estagiaram ou até trabalharam em empresas referência no segmento, mas hoje já atuam de forma autônoma.

(Confira 10 dicas incríveis para uma boa gestão do seu escritório de arquitetura aqui)

Mas será que é simples abrir o próprio escritório de arquitetura?

Acredite! O maior desafio não é abrir um escritório, mas sim, mantê-lo em funcionamento. Este é o “X” da questão. Na maioria das vezes, os profissionais ficam tão focados em ser os donos do próprio negócio, que acabam se esquecendo de pensar em itens básicos para que um empresa sobreviva no mercado.

Começar um negócio não tem segredos. É preciso passar pelos tradicionais processos de abertura de empresas no Brasil e depois ter um computador em mãos e a capacidade técnica para atuar, a princípio. No entanto, o desafio está em fazer com que este negócio inicial se expanda e ganhe destaque no mercado.

O profissional deve sempre pensar no diferencial que ele oferecerá para o mercado, ainda que com uma estrutura de trabalho reduzida no começo.

Segundo Miriam Runge, Arquiteta e Urbanista, Especialista em Design Mobiliário, e também Professora IPOG, algumas perguntas importantes devem ser feitas antes de começar o próprio negócio:

  1. Gosto de empreender?
  2. Estou pronto para atuar na captação de clientes?
  3. Estou consciente de que vou assumir responsabilidades?
  4. Consigo entender os custos envolvidos?

De acordo com a arquiteta, também é fundamental que o profissional conheça o seu mercado e saiba como se posicionar. “Isso é fundamental para se manter no negócio”, destaca.

Principais erros na hora de abrir um escritório de arquitetura

Miriam Runge alerta que um dos principais erros dos arquitetos que decidem empreender é achar que a capacidade de fazer um bom projeto é sinônimo de sucesso profissional. E pontua algumas outras questões. Veja se você se identifica com alguma delas?

  • Falta de conhecimento sobre finanças
  • Pouca experiência em Vendas
  • Desinteresse pela área de Marketing

Engraçado que Finanças, Vendas e Marketing não são itens que o arquiteto costuma encontrar na graduação, não é mesmo? Mas atenção, são fundamentais para quem escolhe pelo caminho empreendedor!

Outro erro comum e o principal segundo Miriam Runge é “achar que sendo dono do próprio escritório vamos trabalhar menos!!”.

Então, como se preparar para o próprio negócio?

1. Pesquise

Entenda o mercado. Conheça a concorrência, como atuam, quais são suas estratégias e como se relaciona com os clientes.

2. Busque conselhos

Entenda, quem já está no mercado, algum dia precisou começar. Portanto, busque conselhos. Consulte colegas de profissão e até mesmo conselhos de classe, que podem ajudar em questões relacionadas à precificação e outras questões legais.

3. Planeje

Miriam Runge chama a atenção para a necessidade de ter um plano, traçar metas, trabalhar sempre com planejamento. Neste caso, você pode consultar fontes de pesquisa que contribuam na elaboração de um plano de negócios.

4. Esteja pronto para se dedicar

“O empreendedor precisa saber que vai se envolver muito. Por isso, deve estar disposto a abrir mão do tempo livre e correr riscos”, explica a professora do IPOG. Ela ainda lembra que trata-se de um processo trabalhoso sim, principalmente porque a maioria dos conceitos necessários para quem deseja empreender não são aprendidos na graduação.

5. Busque novos conhecimentos

Conhecimento na área de gestão de pessoas e área financeira é fundamental, mesmo que básico. De acordo com Miriam Runge, o arquiteto que vai administrar o próprio escritório também precisa saber delegar tarefas, organizar a equipe , mesmo que pequena.

A empresa é um negócio, não um passatempo.”

Ela precisa gerar lucro, remunerar os profissionais envolvidos e organizar esta máquina não é uma tarefa fácil, pontua a professora.

Outro lembrete importante está no Livro “Personal Branding – construindo sua marca pessoal”, de Arthur Bender:

O segredo é pensar como empresa. Um empreendimento chamado você.”

Dicas sobre como montar o próprio escritório de arquitetura

Para quem ainda está em dúvida sobre como montar o próprio escritório de arquitetura, Miriam Runge, preparou algumas dicas que podem ajudar quem deseja se destacar no mercado. Está preparado (a)?

Defina um nicho de atuação

Uma das áreas da gestão em que o arquiteto também deve pensar na hora de montar o próprio escritório de arquitetura é em que nicho ele deseja atuar. Uma das vantagens da profissão é que o arquiteto tem uma visão ampla, portanto pode atuar em diversos nichos como urbanismo, acessibilidade, entre outros.

Inclusive, buscar uma especialização pode ser uma boa oportunidade para conhecer diferentes nichos com um olhar mercadológico e assim poder escolher em qual deles o arquiteto deseja atuar.

Miriam Runge explica que nas pós-graduações em arquitetura do IPOG, por exemplo, o aluno tem contato com diversas possibilidades de atuação e pode decidir durante a especialização por qual caminho deseja seguir.

Nós inclusive já conversamos aqui no blog sobre a quantidade de áreas de atuação para os arquitetos. E também já citamos casos de alunos que decidiram por qual caminho eles queriam seguir a partir da pós-graduação. Teve até quem realizou o sonho de trabalhar por conta própria a partir da especialização. Hoje, esses profissionais entenderam como montar o próprio escritório de arquitetura e seguem suas carreiras se destacando no mercado.

Miriam Runge destaca alguns nichos clássicos da área, mas que apresentam um campo fértil de atuação no mercado. Eis alguns deles: a cores e a influência delas no espaço, luminotécnica, hotelaria, ponto de venda, restaurantes, entre outros.

Portanto, para a professora, um dos pontos para se diferenciar no mercado é: o profissional que gerencia o escritório de arquitetura precisa definir em qual nicho deseja atuar. A partir disso, ele poderá se especializar e saberá como se posicionar corretamente nessa área e qual a fatia de mercado que ele deseja conquistar.

Esteja atento aos novos nichos de mercado

Novos nichos estão surgindo com o novo mercado da construção. E uma das demandas é por obras e decorações mais rápidas.

A revolução tecnológica e o avanço das redes sociais provocaram mudanças em todos os âmbitos da sociedade, inclusive na maneira do cliente se comportar. Tanto a vida das pessoas como a maneira do profissional atuar também foram impactadas por essas transformações.

E o reflexo disso na arquitetura é um cliente que tem exigido cada vez mais projetos e obras mais rápidos e ágeis. Isso obriga o mercado da arquitetura a desenvolver esse tipo de trabalho. Com resultados a curto prazo, por ser uma exigência do cliente. “Isso abriu no mercado de arquitetura um espaço para quem quer trabalhar com obras mais rápidas”, explica Miriam Runge.

Para exemplificar, a professora cita que ao invés de realizar uma reforma integral, alguns clientes preferem reformar superficialmente alguns cômodos (repaginação da casa, mudança de cores de um cômodo, troca tapetes, quadros). Não é à toa que têm surgido tantas programas de TV que exploram a criação ou repaginação de um único ambiente.

Ou seja, os clientes têm buscado transformações que geram menos impacto e que são mais rápidas na hora da execução.

De acordo com a arquiteta, essas mudanças estão presentes até mesmo na construção civil com as chamadas “construções leves”, que são bem programadas, assistidas pelo computador através do BIM. “Isso tudo modificou o mercado de arquitetura e construção”, destaca Miriam.

Ou seja, tanto os novos nichos que estão surgindo como aqueles que já são clássicos (iluminação, urbanismo, paisagismo, entre outros) na arquitetura, podem fazer parte do planejamento de gestão de um escritório.

Quanto mais focado, mais nichado e mais especializado o escritório for, com certeza, mais sucesso esse escritório terá no mercado”

Pratique o Marketing de Relacionamento

Você sabe o que é Marketing de Relacionamento? A verdade é que muitos arquitetos se apegam às áreas de atuação específicas da profissão e acabam ficando perdidos quando decidem atuar por conta própria profissionalmente.

É que o papel de gestor, como já explicamos, exige conhecimento sobre finanças, administração e inclusive sobre marketing. Afinal, o arquiteto precisa captar clientes, oferecer um atendimento de qualidade e executar um serviço que gere boas experiências e, por que não, fidelizar esse cliente?

Nesse sentido, é preciso aprender mais sobre técnicas de atendimento, sobre como gerar identificação com o cliente de modo que ele perceba que pode confiar naquele profissional para criar e executar o seu projeto.

E acredite, investir nessa área foi a estratégia de muitos profissionais. Conheça aqui por exemplo, o caso da Érica Pandolfo, de Ribeirão Preto (SP). Ela fez do atendimento aos clientes o seu diferencial no mercado.

Agora é a sua vez!

Portanto, se ter o seu próprio escritório de arquitetura também é um sonho para você, chegou a hora de colocar a mão na massa! Busque conhecimento, converse com que já atua no mercado e encare essa nova jornada! Oportunidades para crescer e se desenvolver, sem dúvida não vão faltar!!

E aí, pronto para começar?

Se você tem este sonho de empreender, sempre faça a si mesmo algumas perguntas:

  • Você está pronto para o mercado de arquitetura?
  • O que você tem para oferecer de diferente como profissional?

Lembre-se, abrir um escritório não é difícil. O desafio é manter-se no mercado e destacar-se profissionalmente.

Deixe aqui abaixo nos comentários suas principais dúvidas sobre este assunto. Com o apoio dos nossos especialistas, queremos ajudá-lo a impulsionar sua carreira ao patamar que você sempre sonhou.


Artigos relacionados

Engenharia de Segurança dos Alimentos: carreira promissora O hábito de se alimentar fora de casa tem sido cada vez mais comum na rotina dos brasileiros. Com o crescimento desta demanda, aumenta a procura por profissionais da área de Engenharia de Segurança dos Alimentos, isso você vai entender um pouquinho mais adiant...
Professor do IPOG ganha prêmio de Arquitetura Oliveira Jr, Professor do IPOG na Pós-Graduação Master em Arquitetura & Lighting,  Arquiteto e Urbanista, foi um dos vencedores do Concurso Nacional de Habitação de Interesse Social, realizado pela Companhia de Desenvolvimento da Habitação do Distrito Fede...
Descubra as 5 fases para que o gerenciamento de projetos dê certo Na última metade do século XIX, o mundo comercial estava se tornando cada vez mais complexo. Projetos governamentais de larga escala foram o ímpeto para a tomada de decisões importantes, que se tornaram a base para a metodologia do gerenciamento de projetos. ...

Sobre Miriam Runge Runge

Arquiteta e Urbanista, Especialista em Design de Mobiliário e Professora Convidada em cursos de Pós-graduação do IPOG nas áreas de Gestão, Revestimentos e Design de Interiores Residencial. Atua em arquitetura residencial e comercial, participando diversas vezes da mostra CASA COR RS. (Crédito da Foto: Eduardo Liotti)

Comentários