Pontos forte e fracos do filme "Fome de Poder". Confira
5 minutos de leitura
18 de Janeiro de 2018

Pontos forte e fracos do filme “Fome de Poder”

Seguindo a máxima que diz que “a vida imita a arte, e a arte imita a vida”, trazemos como sugestão para esta postagem as lições extraídas do filme “Fome de Poder” (disponível no Netflix), e que conta a história da transformação do McDonald´s na primeira grande rede de fast food do mundo.

Uma forma descontraída e agradável de tirarmos valiosas lições administrativas, e que mostram o que devemos fazer, e até o que não aconselhamos, na busca pela realização profissional, e pela ampliação dos negócios.

Caso você não tenha assistido ao filme, vale a pena vê-lo antes mesmo de continuar a leitura, pois será mais fácil captar o contexto em que as lições são aplicadas. Desde já, avisamos que há spoiler a seguir.

Breve sinopse

O filme Fome de Poder, dirigido por John Lee Hancock, reproduz a história real vivida pelos irmãos Richard e Maurice McDonald’s, que desenvolveram toda uma dinâmica para agilizar a produção e o oferecimento de hambúrgueres, no sul da Califórnia. Uma forma revolucionária e rápida de padronização do preparo de sanduíches, que despertou o interesse do representante comercial Ray Kroc, a ponto de torná-lo um dos sócios da iniciante rede, e, posteriormente, o dono exclusivo da lanchonete, tomando não só a ideia desenvolvida pelos irmãos, como também o sobrenome que é até hoje é sua marca registrada universalmente.

Como analisamos o filme Fome de Poder?

Para poder apresentar de maneira mais didática as lições extraídas do filme, focamos nos pontos fortes e fracos mostrados nas tomadas de decisão administrativas, para que possam melhor absorver as valiosas táticas repassadas. Fique à vontade para aplicá-las na sua vida pessoal e profissional.

Pontos fortes

1. Resiliência

O personagem Ray Kroc (vivido por Michael Keaton), representante comercial de máquinas de milk shake, nos brinda com uma verdadeira aula de resiliência. No início da história ele chega a atravessar os Estados Unidos de uma ponta a outra para vender as máquinas de milk shake. Sempre cultivando uma visão positiva sobre a vida, apesar de conseguir concretizar uma venda a cada dez visitas realizadas. Tudo isso porque ele ia atrás de sua realização e da busca por oferecer conforto à sua família. Todo empreendedor deve desenvolver a resiliência como uma de suas características principais.

2. Assumir riscos

Guarde esse conselho para sua vida:

“Se você pretende crescer na vida, pessoal e profissionalmente, deve aprender a assumir riscos.”

Não dá para mudar o patamar de seu negócio sem assumir certos riscos. Isso é inerente ao processo. O personagem Ray Kroc transformou a lanchonete em uma rede espalhada por todo Estados Unidos assumindo riscos. Mesmo sem conhecer nada sobre lanchonetes, ele acreditou no potencial do negócio e investiu todo o seu tempo e habilidade no desenvolvimento da rede.

3. Contar com inteligência financeira:

Há uma grande diferença entre entender de finanças e reconhecer que precisa ter alguém ao seu lado que entenda. Para ser um grande administrador não é preciso dominar a área financeira, mas é essencial contar com alguém que faça isso.

O Mc Donald´s só passou a crescer exponencialmente e de forma sólida quando foi adotada uma inteligência financeira no seu planejamento. Em um determinado momento do filme, antes do adminstrador Ray Kroc tomar essa atitude, a rede de fast food já estava em 17 estados norte-americanos, mas ele estava falido financeiramente.

A reviravolta na história acontece quando ele contrata um especialista em finanças, que passa a diagnosticar seu modelo de negócio e o aconselhar a ajustá-lo de forma a garantir maior lucratividade ao negócio.

Afinal, não seria apenas com os lucros obtidos da venda de hambúrgueres que ele conseguiria se tornar grande, mas sim detendo o próprio terreno onde as lojas eram montadas. Além da franquia de sanduíches, ele passou a ser um verdadeiro investidor imobiliário, recebendo pelos aluguéis das lojas em funcionamento, e ampliando suas margens de lucro.

4. Tino para encontrar o franqueado ideal:

Não basta ter uma grande ideia e sair estabelecendo parcerias aleatórias com o único intuito de ampliar sua franquia. O filme mostra muito bem como o perfil do franqueado impacta diretamente no sucesso de cada uma das lanchonetes abertas.

Assim que teve a ideia de ampliar a rede Mc Donald´s, o administrador Ray Kroc buscou junto à elite da época parceiros como franqueados. Acontece que para essas pessoas, que nem ao menos comiam sanduíches no seu dia a dia, a lanchonete era vista como mais um meio de se ganhar dinheiro. Não tinham preocupação em manter os padrões de qualidade estabelecidos pelos irmãos fundadores.

Em dado momento, ele passa a buscar franqueados que viam no seu negócio a grande oportunidade de suas vidas. Que colocavam todas as suas economias na franquia e faziam daquela lanchonete a razão de suas vidas, sua grande fonte de sobrevivência. Foi a partir daí que o Mc Donald´s deu uma guinada surpreendente, rumo à consolidação do mega conglomerado que é hoje.

5. Reconhecer talentos e estar sempre bem assessorado:

“Você não precisa ser o melhor em tudo, desde que esteja cercado das melhores pessoas para auxiliá-lo.”

O personagem principal tinha esse dom inato de saber identificar talentos para somar ao seu negócio. Ele era capaz de achar as pessoas certas para investirem em seu sonho, de captar o espírito empreendedor das pessoas e desenvolvê-lo. Ray Kroc conseguia encontrar as pessoas certas para brigar por suas causas.

No ponto crucial do filme, quando há a reviravolta societária do Mc Donald´s e Ray Kroc consegue obter 100% da empresa, tirando-a dos irmãos fundadores, ele contou com uma assessoria jurídica de ponta. Ele conseguiu estabelecer um contrato com os irmãos sem ao menos registrar nada no papel. Fez uma promessa de pagamento de 1% dos lucros até o final da vida dos fundadores e nunca cumpriu o acordado. Hoje, esse percentual equivaleria a US$100 milhões de dólares anuais, dinheiro esse que os fundadores nunca usufruíram.

Pontos fracos

1. Sócios com objetivos diferentes (visão de mundo)

“Seja na vida pessoal ou nos negócios, estabeleça parceria com pessoas que compartilham objetivos de vida semelhantes aos seus. Caso contrário, essa relação está fadada ao fracasso.”

Desde o início da parceria estabelecida pelos irmãos Mc Donald´s com o administrador Ray Kroc ficou claro os diferentes pontos de vista sobre o negócio que eles nutriam. Como sócios, eles divergiam em vários pontos, a começar pelo tamanho da franquia. Enquanto o administrador se empenhava em ampliar a rede, os irmão Mc Donald´s se preocupavam com a manutenção do controle de qualidade estabelecido por eles, pela realização correta dos processos. Tais divergências foram corroendo aos poucos a parceria societária, culminando na sua dissolução.

2. Soberba

Misturado à audácia e espírito empreendedor do personagem principal, Ray Kroc, também se detectava a soberba. E essa conduta o fez perder boas oportunidades. Ele era um profissional que não escutava ninguém, no início da história. Precisou quebrar financeiramente para poder aceitar um aconselhamento especializado.

3. Assumir riscos não calculados

A ambição de crescer fez com que o personagem principal assumisse riscos não calculados, chegando a hipotecar a própria casa para levantar recursos para o seu projeto de expansão. Assumir riscos é fundamental para o crescimento, desde que sejam bem pensados e não coloquem tudo a perder caso deem errado.

4. Estabelecer parcerias equivocadas

Em um primeiro momento de expansão da franquia, Ray Kroc buscou parceiros como franqueados que não entendiam do negócio, nem ao menos frequentavam lanchonetes. Ao visar apenas pessoas com dinheiro como franqueados, acabou entregando sua ideia a quem não conhecia do mercado e só pensava em lucrar com ele. Neste ponto, ele percebeu que teria que mudar a estratégia.

5. Estar mal assessorado

O trunfo do administrador Ray Kroc ao conquistar 100% da empresa foi exatamente o erro dos irmãos: assessoria. Enquanto o administrador contou com uma inteligente assessoria jurídica na negociação, os irmãos acreditaram meramente na força das palavras estabelecidas durante a negociação. Não se preocuparam em analisar a proposta mais profundamente, ou mesmo em registrá-la oficialmente. Portanto, estar mal assessorado pode, literalmente, levá-lo a perder sua grande ideia.


Artigos relacionados

Como abrir falência da sua empresa em dois anos e em três passos Antes de falarmos sobre os passos para falir a sua empresa, pense num mundo alternativo, no qual o ambiente de negócios não sofra mudanças econômicas, políticas ou sequer tecnológicas. Um mundo no qual não tivéssemos tido Einstein ensinando sobre a relatividad...
Líderes não motivam ninguém! Os líderes costumam ser muito cobrados em relação à motivação da equipe. A busca por resultados exige destes gestores que eles sejam capazes de sempre garantir um alto nível de engajamento entre os colaboradores. No entanto, será mesmo que a motivação parte...
Como organizar as finanças pessoais na prática Você sabe organizar as suas finanças pessoais? Todo início de ano é comum vermos a grande maioria dos brasileiros alegando um elevado grau de endividamento. Como se já iniciassem um novo ano sempre no vermelho, pedindo socorro para pagar contas que são plename...

Sobre Marcelo Camorim

Tem 30 anos de experiência em empresas multinacionais, tendo ocupado cargo de CEO de grandes empresas como Ricardo Eletro, Drogaria Santa Marta, entre outras. É contador e bacharel em Direito, com MBA em Gestão de empresas e MBA em Relação com Investidores. Atualmente é Presidente do Conselho de Administração da Hospfar; conselheiro há 7 anos da GSA Alimentos e conselheiro convidado da FECOMÉRCIO do Estado do Ceará. Atua como professor do Instituto de Pós-Graduação e Graduação IPOG em MBAs nas áreas de Gestão e Negócios.

Comentários