5 razões para fazer um MBA em Gestão de Projetos
4 minutos de leitura
31 de outubro de 2017

5 razões para fazer um MBA em Gestão de Projetos

Cada vez mais, empregadores de diversos segmentos têm procurado profissionais competentes em gestão de projetos. Eles buscam profissionais qualificados, com competências como: gestão do tempo, implantação de estratégias, administração eficiente do cronograma de trabalho, capacidade de liderança, entre outras.

Um estudo realizado pelo Project Management Institute (PMI) identificou que até 2020, o Brasil precisará de 1,3 milhão de gerentes de projetos. Além disso, a pesquisa também apontou que nos próximos anos, o Brasil será o quinto país, em número de vagas, a demandar profissionais de projetos. Isso se deve à vasta lista de projetos para serem executados no país. Mundialmente, serão criados mais de 13 milhões de postos para esses profissionais.

O que as empresas procuram?

As empresas procuram profissionais que além de entregar projetos no prazo e de acordo com o custo planejado, também sejam capazes de identificar se estes projetos executados são os mais aderentes à organizações.

Trata-se de uma profissão em ascensão em todo o mundo, no entanto ainda falta em muitos profissionais a qualificação adequada. Ao contrário do que muitos imaginam, apenas o conhecimento técnico não é o suficiente. O profissional que deseja se destacar também precisa desenvolver habilidades comportamentais, necessárias a qualquer tipo de negócio.

O conhecimento em metodologia de desenvolvimento de projetos e a certificação na área, como um MBA em Gestão de Projetos, também são bastante valorizados.

Portanto, quem busca uma qualificação de olho em atender essas necessidades do mercado voltadas para a gestão de projetos, sem dúvida sai na frente. E é exatamente aí que um MBA em Gestão de Projetos pode fazer toda a diferença.

O que esperar de um MBA em Gestão de Projetos?

O objetivo da formação é preparar o aluno para atender ao que o mercado procura. Segundo o coordenador do MBA em Gestão de Projetos do IPOG, Luís Antônio Volpato, o foco do curso está em formar Gerentes de Projetos.

E para isso, busca desenvolver os dois conjuntos de competências que, segundo o professor do IPOG, precisam estar presentes em um bom Gerente de Projetos:

  • Competências técnicas (hard skills);
  • Competências comportamentais (soft skills).

Durante a formação, o conteúdo das aulas está em linha com as mais avançadas práticas de gestão do Guia PMBOK® (Guide to the Project Management Body of Knowledge), que já está em sua 6ª edição. O documento é referência na área, pois reúne as melhores práticas de gerenciamento de projetos, além de disciplinas com foco em negócios, como Gerenciamento de Pessoas, Negociação, Estratégia empresarial e análise de viabilidade financeira em projetos.

Portanto, o aluno pode esperar sair de uma formação como essa preparado para ser um especialista em transformar planos em realidade. Um profissional pronto para colocar uma ideia em pratica, pois irá contar com todos os instrumentos necessários e indispensáveis para os processos estratégicos. Além de desenvolver a capacidade de análise e reflexão críticas, apresentando e desenvolvendo conceitos, fundamentos e metodologia na administração dos projetos.

5 razões para fazer um MBA em Gestão de Projetos

1) Maior empregabilidade

Ao cursar um MBA em Gestão de Qualidade, o profissional enriquece seu currículo e se destaca em meio a um mercado cada vez mais competitivo. A qualificação é um diferencial, principalmente porque profissionais dessa área atuam em papeis de gestão.

Além disso, tornou-se comum ver o MBA em Gestão de Projetos como exigência em anúncios de empregos na área.

2) Melhores Salários

Segundo pesquisa realizada pelo SINE, o salário de Gerente de Projetos no Brasil varia de R$ 5.800,00 a até R$ 28.000,00. Portanto, qualificar-se como um especialista nessa área, coloca o profissional em uma posição vantajosa.

A valorização deste cargo se deve principalmente à importância por conduzir processos fundamentais para a empresa: Gerenciar projetos e operações da organização; efetuar o planejamento físico e financeiro dos projetos; identificar oportunidades de aplicação e contatar fornecedores; administrar pessoas e equipes e interagir com outras áreas; estabelecer prazos e elaborar cronogramas dos projetos; entre outros.

3) Desenvolvimento da Liderança

Para ser um bom Gestor de Projetos não basta ter apenas competências técnicas, como já destacamos. E uma das competências essenciais é a Liderança.

Segundo Luís Antônio Volpato, gerenciar um projeto é uma função de liderança, em que o líder do projeto deverá guiar e motivar sua equipe para que alcancem os resultados esperados pelos financiadores dos projetos, além de saber se comunicar adequadamente em todos os níveis da organização, conseguindo o comprometimento necessário de todos os envolvidos.

Portanto, quem busca um MBA em Gestão de Projetos também sai na frente ao desenvolver competências técnicas e comportamentais que são essenciais para o sucesso no dia-a-dia do mercado.

4) Atualização com o Mercado

Essa vantagem é essencial principalmente para quem já está atuando na área há algum tempo. A correria diária, o alto número de processos gerenciados e as demais demandas, muitas vezes fazem com que o profissional fique estagnado.

No entanto, o mercado evolui em ritmo acelerado e apenas quem acompanha esse avanço consegue se manter em destaque. Por isso, um MBA em Gestão de Projetos pode contribuir para atualizar conhecimentos, principalmente em relação às práticas aplicadas mundialmente.

5) Networking

Durante o MBA em Gestão de Projetos, a sala de aula se torna um excelente espaço para troca de contatos e experiências. Ali, o profissional poderá conhecer e se aproximar de colegas e profissionais que atuam em diferentes empresas e ramos e assim, poderá estar diante de oportunidades únicas em sua carreira.

Especialize-se!

Segundo o coordenador do MBA em Gestão de Projetos do IPOG, quanto mais especializado em um determinado assunto, maior é a capacidade do profissional para desenvolver suas tarefas.

Hoje as organizações empresariais, governamentais e até mesmo não-governamentais têm projetos a implantar e os Gerentes de Projetos envolvidos têm a necessidade dessa qualificação. Volpato ainda destaca que uma boa gerência de projetos deverá estar embasada em boas práticas (PMBOK), estas já testadas e comprovadamente aceitas mundialmente.

“O gerente de projetos precisa ter o conhecimento e saber aplicar na prática, as técnicas de planejamento e controle. Um grande diferencial é o profissional que consegue liderar um projeto num ambiente de alta complexidade, de alto nível de estresse e, na maioria das vezes, em uma organização matricial, com profissionais dedicados em tempo parcial ou participando de outros projetos concorrentes.”

 


Artigos relacionados

A visão contemporânea de gestão de pessoas – Como será o seu futuro? A comunicação dentro das empresas, principalmente entre os departamentos estratégicos, é um problema que precisa de uma liderança mediadora para apaziguar os conflitos de interesse de forma inteligente, e com espírito de equipe. A comunicação se torna a soluçã...
Como conquistar clientes? Na busca pela conquista do cliente, tem quem acredite ainda que a bajulação e a boa comunicação são suficientes – e eficientes – para garantir a compra. No entanto, com cada vez mais informação a seu dispor, os clientes estão mais exigentes com o melhor tratam...
Construa uma carreira de sucesso na Docência Nos últimos anos, por conta das enormes mudanças ocorridas na sociedade, o conhecimento e o modo de conceder informação também tem sido alterado. E como fica o mediador de aprendizagens? Hoje, torna-se fundamental que o profissional da educação se atente para ...

Sobre Luís Volpato

Coordenador do MBA Gestão de Projetos IPOG, Pós-Doutor pela Universidade Católica Portuguesa (Cidade do Porto), Doutor em Educação e Mestre em Administração Financeira pela PUC-SP, Graduado em Administração e Ciências Contábeis. Atua como professor universitário, professor convidado do MBA Executivo da Universidade Católica do Porto-Portugal e como consultor financeiro de empresas.

Comentários