6 lições para ser um bom líder em tempos de crise e assegurar o futuro do seu negócio
4 minutos de leitura
16 de outubro de 2020

6 lições para ser um bom líder em tempos de crise e assegurar o futuro do seu negócio

Um bom líder de equipe é fundamental para melhores resultados em momentos conturbados. Afinal, é função do gestor conduzir a busca por soluções junto ao seu time, mantendo-o engajado e coeso. 

Se no dia a dia a luta pela sobrevivência do negócio já é desafiadora, em tempos de crise as empresas precisam lidar ainda mais com cancelamentos de contrato e redução de custos e de pessoal, o que inevitavelmente gera incertezas e pode fragmentar um ambiente de trabalho.

Nesses momentos, a inteligência emocional, a visão estratégica, o conhecimento sobre o mercado, a resiliência e a capacidade de gerir pessoas são fundamentais.

Para ajudar você a pôr essas características em prática e tornar o seu time engajado, mesmo em momentos difíceis, separamos 6 lições essenciais para líderes de sucesso. 

Confira!

6 lições para ser um bom líder em tempos de crise e assegurar o futuro do seu negócio
  • Mantenha-se informado

Uma das qualidades de um bom líder é ser confiante para transmitir segurança, e a informação ajuda na construção desse elemento importante diante de incertezas.

Conheça a crise que está afetando o seu negócio, entenda a origem, o contexto e os rumos para antecipar cenários e ações. Além disso, é crucial acompanhar regularmente as mudanças no seu segmento.

Tudo isso por meio de fontes genuínas, como órgãos governamentais e oficiais, capazes de oferecer informação em primeira mão. 

Por fim, esteja informado sobre o andamento do seu negócio por meio de relatórios, indicadores de performance e outros dados relevantes. Não esqueça, informação é poder e permite o planejamento mais assertivo. Esteja presente.

Distanciar-se do seu time em momentos desafiadores é uma ação bastante problemática, pois a equipe precisa de orientação, ações engajadoras e comunicação para continuar funcionando.

Um líder distante não é capaz de tranquilizar uma equipe, reduzindo os impactos da crise.

A proximidade com a liderança ajuda na fomentação de uma cultura organizacional sólida e na adesão do grupo a um propósito único alinhado aos objetivos de negócio, especialmente no contexto do trabalho remoto, comum nos dias atuais. Um líder presente e atuante mantém a união do time.

  • Busque equilíbrio

CEOs e presidentes gestores são as pessoas que tomam as decisões mais cruciais para um negócio, por isso equilíbrio também define o que é ser um bom líder.

Considerando que a gestão de negócios tem encontrado um cenário que pede processos enxutos e assertivos, a pressão por resultados precisa se equilibrar com os recursos humanos.

6 lições para ser um bom líder em tempos de crise assegurar o futuro do seu negócio

É preciso entender que sem o componente humano não há resultados, por isso a pressão que faz tudo funcionar não pode ter um caráter destrutivo, adoecedor de funcionários.

Já pensou em criar grupos de acolhimento e contratar psicólogos? Também é possível promover lives que não tenham apenas conteúdo profissional, mas que irão auxiliar no momento atual, como palestras sobre ansiedade, inteligência e equilíbrio emocional etc.

Nesse momento é importante considerar que todo mundo está sendo influenciado de alguma forma, então o líder estará lidando com um emocional atípico daqueles colaboradores.

O caminho para o equilíbrio é estabelecer acordos claros, desenvolver o fit entre os objetivos das pessoas e as metas da empresa. Um ambiente de trabalho equilibrado é bom para todos.

  • Abra espaço para colaboração

Ser líder normalmente envolve atribuições difíceis como conciliar pessoas, demitir, ter pulso firme. No entanto, assumir a lógica do super-herói que age sozinho é improdutivo.

Desenvolver o senso de pertencimento entre os colaboradores envolve incluí-los sempre que possível na busca por soluções. Demonstrar humildade e cooperar em sinergia motivam uma equipe, alavancando a produtividade. 

Uma estratégia é desenvolver “duplas, funciona assim: escolher duas pessoas que serão companheiras umas das outras. É se preocupar em dar bom dia, perguntar como foi o dia de trabalho, como a pessoa estar se sentindo.

Dessa forma, o líder não fica sobrecarregado em oferecer auxílio emocional ao time e ainda estreita laços entre os colaboradores.

Outra ideia para manter o espírito de união mesmo à distância é promover happy hours caseiros.

Isso mesmo! Se a sua empresa já tinha a cultura dos encontros pós-expediente, isso pode ser mantido com as chamadas de vídeo, na qual cada colaborador pode mostrar a sua casa, alguma coleção da qual se orgulha ou ainda marcar de assistir aquela live juntos.

  • Opte pela transparência

A transparência deve estar presente em todas as frentes em que atua uma liderança, porque isso transmite honestidade e mantém um espírito realista na companhia, assegurando informação nos diversos níveis.

Em períodos de crise, é preciso investir ainda mais em comunicação eficaz, ter um planejamento estratégico, com ações táticas claras, capazes de se adaptar rapidamente ao cenário de mudanças, e todos devem ter ciência das suas responsabilidades.

Portanto, transparência não pode ser mais uma palavra que fica no plano da teoria, ela tem que configurar uma prática. Do contrário, a incoerência se alastra na empresa, comprometendo processos e resultados.

É importante que o líder deixe claro o que está acontecendo e o que vai acontecer na empresa. Se haverá cortes, fale sobre isso, mesmo que seja difícil.

Em momentos como esse, é comum surgir rumores e é papel do líder confortar a sua equipe, mesmo com notícias que não sejam animadoras.

  • Cobre resultados, mas seja empático

Nesse momento delicado, é importante que a empresa enxergue que existe uma adaptação de todos os lados.

Então, às vezes o colaborador vai ganhar mais tempo porque não tem mais o deslocamento, mas ao mesmo tempo ele também precisa lidar com outras demandas que antes não tinha, como fazer almoço, cuidar dos filhos, de outros parentes e da casa. 

Assim, a medida que a empresa e o trabalhar conseguem entender que esse é o momento de cada um dar o seu melhor e ir além, tudo irá funcionar bem.

Portanto, o importante aqui é o líder entender que não dá mais para usar os mesmos parâmetros que antes, afinal, as condições mudaram. Então precisa ter flexibilidade, empatia, dinamismo e disponibilidade das duas partes.

  • Cuide de si

Normalmente, o nível de estresse costuma subir com a má fase, a saúde fica comprometida e as habilidades parecem insuficientes. Esse ponto merece atenção, afinal todo líder é também um ser humano.

Portanto, antes de querer cuidar dos outros, é essencial que o líder cuide de si. 

É fundamental desacelerar, delegar quando possível e manter uma rotina bem segmentada de alimentação, exercícios e trabalho. 

Além disso, manter as conexões humanas em dia, seja com sua família e amigos ou funcionários, é muito importante.

Pensando na importância de líderes exemplares em organizações de trabalho, o IPOG idealizou diversas especializações com foco em gestão.

Que tal incrementar a sua formação? Para conhecer mais os nossos cursos em Gestão e Negócios, fale conosco.

E então, você está pronto para assumir as rédeas da situação?

Até a próxima!

Confira mais assuntos como este no nosso blog:

Artigos relacionados

Psicologia do consumo: como vender e atrair mais clientes para seu negócio Todos os dias recebemos milhares de estímulos que nos levam a tomar decisões. Seja no ambiente profissional ou pessoal, esse é um hábito da espécie humana. E, claro, isso não seria diferente quando pensamos na compra e venda de produtos. São milhares de infor...
O que você e sua empresa precisam saber e fazer para aumentar o número de mulheres em cargos de gest... Pesquisas recentes revelam que instituições com mulheres em cargos de liderança lucram mais. O Instituto Americano Peterson de Economia Internacional, em parceria com a consultoria EY, publicou resultados de uma pesquisa realizada com 22 mil empresas em 91 paí...
O que as ferrovias têm a ver com a economia de um país? Nos últimos 50 anos, as ferrovias brasileiras vem sofrendo com a falta de investimento na construção de novas linhas férreas, em detrimento do desenvolvimento do modal rodoviário, haja vista que poucas obras foram iniciadas pelo governo federal e, dessas pouca...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo.

Comentários