Culture code: uma chave para alavancar resultados nas empresas
4 minutos de leitura
21 de Maio de 2020

Culture code: uma chave para alavancar resultados nas empresas

Culture code: uma chave para alavancar resultados nas empresas

Nos momentos mais desafiadores para um negócio, uma cultura organizacional bem transmitida e coesa pode ser a chave para melhores resultados. É por essa razão que o investimento em culture code, ou código de cultura, está tão em alta.

Para Daniel Coyle, autor do best-seller The culture code: The Secrets of Highly Successful Groups, saber construir uma cultura organizacional é a habilidade mais importante para líderes e a base para equipes de alta performance. Afinal, grupos que funcionam bem juntos crescem juntos.

Assim, gestores interessados em ter sucesso por meio do fortalecimento da identidade do negócio devem conhecer o que é culture code e sua importância para uma organização. 

Para entender mais sobre esse tema, preparamos este artigo com pontos essenciais e dicas para elaborar um código de cultura na sua empresa.

O que é culture code

Código de cultura é uma compilação documentada dos valores, crenças, hábitos, comportamentos e políticas externas e internas de uma organização. Por ele são informadas as práticas e os princípios pelos quais uma empresa atua e se orienta.

Além disso, esse documento contém também as diretrizes sobre como a organização se desenvolve e suas expectativas. Constam ainda os perfis profissionais, com fit cultural, para auxiliar a empresa na busca por excelência.

Cultura organizacional vs. culture code: entenda a diferença

O culture code é a materialização detalhada da cultura organizacional de uma empresa. Ele é construído a partir das práticas e da explicitação ampliada e atual sobre a missão e os valores da organização.

Por tentar cobrir de forma clara e objetiva as diversas frentes em que a identidade corporativa pode se manifestar, o documento serve como um guia para o dia a dia dos colaboradores, nos processos seletivos e de team building, além de ser base para as decisões de crescimento da empresa. 

Vejamos mais razões para criar um culture code na sua gestão!

Por que ter um código de cultura na minha empresa?

Sobretudo, o alinhamento é uma vantagem do culture code bem elaborado e distribuído em todo o ambiente de trabalho. 

Se todos sabem como e o que fazer, de acordo com a empresa em que atuam, há redução de divergências e falhas que prejudicam os resultados.

Diretrizes bem definidas impactam de maneira positiva a produtividade, e, se este documento é elaborado de forma colaborativa, atentando-se às boas práticas que já existem, os colaboradores podem se sentir mais motivados e desenvolver um senso de pertencimento.

A gestão de pessoas tem sido elemento fundamental da gestão estratégica contemporânea, porque se percebeu que funcionários saudáveis, motivados, em sinergia e bem desenvolvidos por líderes são capazes de alavancar os resultados.

Especialmente em tempos de expansão ou de crise – e não podemos deixar de mencionar o desafio do trabalho remoto nos dias atuais –, um culture code conhecido e praticado por todos dentro de uma organização é capaz de reforçar o comprometimento com os objetivos de negócio.

Além disso, como dissemos, o código de cultura não tem a ver somente com a esfera interna de uma empresa, mas com agregar mais profissionalismo e comunicação clara para clientes, fornecedores e toda a cadeia de valor.

Como construir o culture code de uma empresa?

Criar o código de cultura é uma atividade importante e pode ser mais simples do que você imagina. Vejamos algumas dicas:

  • Você não precisa começar do zero. Há diversos modelos disponíveis na internet, com certeza algum pode ser personalizado ao seu perfil de negócio.

Um dos culture codes mais famosos do mundo é o da Netflix, divulgado em 2009, que popularizou a tendência nas empresas. No Brasil, uma das referências mais conhecidas vem da RD Station.

  • David Coyle, no livro citado acima, propõe três eixos essenciais para a criação de um culture code:
  • Construir um ambiente de segurança e confiança para encorajar toda a equipe, criando um sentimento de time.
  • Compartilhar a vulnerabilidade, entender que é preciso assumir riscos juntos e fomentar a cooperação.
  • Estabelecer propósito, elencar prioridades e buscar práticas e costumes de excelência, não perdendo de vista a proficiência e a criatividade.
  • Invista na sua formação enquanto gestor. A dinâmica atual pede dos líderes o desenvolvimento de novas habilidades e a atualização constante da visão estratégica. O desenvolvimento de um culture code de sucesso está atrelado a essa capacitação.
  • É importante saber qual é a cultura da sua organização hoje e quais processos, práticas e costumes estão em vigor, para entender o que pode ser mantido, otimizado e descartado.
  • Conheça em detalhes as principais crenças, missões, valores e objetivos da empresa. Esse é o esqueleto do culture code.
  • É claro que o gestor lidera e fomenta a implementação de um código de cultura, mas é importante integrar os colaboradores nesse processo, porque eles podem contribuir positivamente e vivem nessa cultura diariamente.

Com essas dicas, será possível ter uma cultura organizacional mais forte e proporcionar um ambiente de trabalho agradável a todos os colaboradores.

E então? Como anda a cultura na organização em que você atua?

Se você quer aumentar o conhecimento em gestão organizacional e se tornar um líder de destaque, entre em contato conosco e confira as nossas especializações!

Gostou deste artigo? Separamos mais 3 títulos que podem ser úteis para você:

Até a próxima!

Artigos relacionados

Gestão estratégica: confira 5 dicas que irão potencializar a produtividade e rotina da empresa Como manter os colaboradores engajados e sempre produtivos?  Esta é a pergunta que os gestores mais escutam. De fato, não tem como fazer isso contando apenas com a sorte. Por esse motivo, a Gestão Estratégica é uma solução muito utilizada por profissionais. ...
5 motivos para investir em uma loja colaborativa. Vem ver! Está em desenvolvimento no Brasil um tipo de gestão que já se encontra bastante aprimorada em outros continentes: a gestão colaborativa. Durante o período em que vivi na África do Sul, entre 2013 e 2015, me deparei com inúmeros tipos de comércio que se estrutu...
Cíntia Rodrigues: foco na carreira e qualidade sempre à mesa com MBA em Gestão da Segurança dos Alim... Qualidade e segurança sempre foram pilares nos processos de produção e distribuição de alimentos no Brasil. Afinal, é prezando por esses aspectos que a indústria constrói a sua reputação positiva interna e externamente e eleva a confiança do consumidor, que b...

Sobre Taís Guedes

Mentora e Trainer em Liderança e Cultura Organizacional; Professora em MBA`s IPOG; Facilitadora do Programa de Desenvolvimento Integral do Potencial Humano; Expertise nas áreas de Liderança, Cultura Organizacional, Desenvolvimento Integral do Potencial Humano; Coordenadora da Pós-graduação em Psicologia Organizacional e do Trabalho no IPOG; Líder Programa Cultura Plena - Caminhos Vida Integral; Doutoranda em Psicologia pela PUC-GO – Bolsista Capes; Mestrado em Psicologia pela PUC-GO – Bolsista CNPQ; Pós-graduada em Liderança, Consultoria e Coaching pela Condor Blanco International (Chile); Graduada em Administração pela PUC – Pontifícia Universidade Católica; Formação em Autoliderança e Consultoria de Projetos de Vida; Análise Transacional 101 pela UNAT-Brasil – União Nacional de Analistas Transacionais; Practitioner em PNL pelo Conselho Brasileiro de Coaching e PNL; Coaching com base em Neurociência - Conversas Brain-based pela Mindmax Instituto de Desenvolvimento Humano e Organizacional / IPOG; Qualificação do Indicador de Preferências Psicológicas - Instrumento MBTI® Step I e MBTI® Step II Myers Briggs Type Indicator® pela Fellipelli; Formação em CTT Practitioner – Certificação internacional no Método Barrett® de Gestão de Cultura Organizacional; Leader Mentoring Business & Inovation Imersion no Vale do Silício, Califórnia, EUA; Path Inovation & Desing Thinking em Stanford University; Formação em Integral Leadership and Advanced of Human Values pelo Richard Barrett.

Comentários