Como obter um bom relacionamento interpessoal?
2 minutos de leitura
27 de dezembro de 2016

Como obter um bom relacionamento interpessoal?

IPOG, Relacionamento interpessoal

Desde o nosso nascimento já somos desafiados a lidar com uma tarefa difícil: a convivência.  E logo nos primeiros anos aprendemos que precisamos dos outros para sobreviver e que isso é inevitável, acontece desde o meio humano até o meio animal.

Com o passar dos anos e a chegada da vida adulta, mais uma vez é possível ver que uma pessoa não consegue sobreviver sozinha. Faltam recursos necessários para cuidar da própria saúde, alimentação, higiene e varias outras adversidades. No entanto, no momento em que ingressamos na vida profissional, surgem desafios ainda maiores de lidar com pessoas de diversas culturas e opiniões diferentes.

Por isso, a Master Coach Dorothy Irigaray destaca alguns pontos importantes do relacionamento interpessoal:

– Autossuficiência:

Na vida corporativa, principalmente se for em um ambiente muito competitivo, nos deparamos com essa ilusão da autossuficiência. Ela acaba dominando, fazendo com que as pessoas disputem para ver quem é melhor ou pior, tendo a ideia de que quem produz mais é necessário e quem produz menos é desnecessário. Para entender melhor o contexto da autossuficiência, qual o motivo de uma empresa contratar um gerente? A resposta é simples, todo ser humano é extremamente limitado na sua capacidade e só a amplia quando se une a outros seres humanos.

– Autoconhecimento:

É o caminho para a felicidade. Se você conhece a si mesmo, acaba tendo a ampliação da percepção a respeito do que te impacta. Como é que você vai sair do automático e fazer suas escolhas e não ficar respondendo aos estímulos do ambiente caso não tenha clareza de quem você é? Quando nascemos, nós aprendemos todos os comportamentos. Como você se desenvolve e aprende os comportamentos que são mais úteis se você não aumentar o conhecimento a respeito de si? Só assim é possível aumentar a percepção de como o mundo te impacta e como você impacta o mundo.

– Relacionamento:

Existem algumas funções complexas cognitivas que a gente só desenvolve por meio da relação com outras pessoas, por meio dos estímulos, aprendizado direcionado e o aprendizado das relações interpessoais. Esse é o desenvolvimento básico para a sobrevivência em grupo. Depois que a gente adquire autonomia, capacidade de aprender a aprender, nós interdependermos dos outros para conseguirmos atingir nossos objetivos.

Artigos relacionados

Que tal dar um up na sua produtividade pessoal em 2020? Quantas vezes você já teve aquela sensação de acordar, saber que tem uma série de tarefas a fazer, mas, conforme as horas vão passando, você se dá conta que não fez nem metade do que tinha se planejado? Você até se recorda no decorrer do dia da série de ativi...
Psicologia Positiva: três passos para a felicidade Se na década de 90 a psicologia era um ramo científico voltado apenas para o estudo de doenças, transtornos psicológicos, tratamentos de depressão, ansiedade, angustias e o sofrimento humano, uma nova vertente surgiu para complementá-la. Nos referimos a Psico...
Como a Psicologia Positiva pode impactar a sua vida pessoal e profissional?     Antes de entendermos sobre a importância da psicologia positiva é primordial lembrarmos que vivemos em uma sociedade que está cada vez mais em busca do sucesso profissional e temos que conviver com males que espreitam o nosso dia a dia, como o stress...

Sobre Dorothy Irigaray

Psicóloga organizacional, especialista em educação, pós-graduada em Dinâmica de Grupo, pós-graduanda no MBA Liderança Executiva e Desenvolvimento Organizacional pela Franklin Covey/IPOG, certificada em Introdução às Psicoterapias Cognitivas pela Universidade de Flores (Argentina) em curso credenciado pelo Instituto Albert Ellis (EUA), com Formação em Terapia Cognitiva com Ferramentas de Coaching pela Mosaico/Metacognitiva(RN) Consultora empresarial em gestão de pessoas, coordenadora e professora de pós-graduação do IPOG Coach Sênior qualificada pelo ICI (Integrated Coaching Institute), Especialista em Neurocoaching pelo Neuroleadership Group/Fellipelli, ambos cursos credenciados pela ICF (International Coaching Federation). Qualificada nos instrumentos MBTI, MBTI STEP II e Eqi 2.0 pela Fellipelli Instrumentos Diagnósticos. Qualificada em Positive Psychology pela University of North Carolina at Chapel Hill/COURSERA(EUA). Co-idealizadora e co-facilitadora do Program de Qualificação em Coaching da FATESG/SENIAGO. Co-coordenadora do Grupo de Coaches Makers. Experiência de mais de 20 anos em desenvolvimento de pessoas.

Comentários