Como obter um bom relacionamento interpessoal?
2 minutos de leitura
27 de dezembro de 2016

Como obter um bom relacionamento interpessoal?

IPOG, Relacionamento interpessoal

Desde o nosso nascimento já somos desafiados a lidar com uma tarefa difícil: a convivência.  E logo nos primeiros anos aprendemos que precisamos dos outros para sobreviver e que isso é inevitável, acontece desde o meio humano até o meio animal.

Com o passar dos anos e a chegada da vida adulta, mais uma vez é possível ver que uma pessoa não consegue sobreviver sozinha. Faltam recursos necessários para cuidar da própria saúde, alimentação, higiene e varias outras adversidades. No entanto, no momento em que ingressamos na vida profissional, surgem desafios ainda maiores de lidar com pessoas de diversas culturas e opiniões diferentes.

Por isso, a Master Coach Dorothy Irigaray destaca alguns pontos importantes do relacionamento interpessoal:

– Autossuficiência:

Na vida corporativa, principalmente se for em um ambiente muito competitivo, nos deparamos com essa ilusão da autossuficiência. Ela acaba dominando, fazendo com que as pessoas disputem para ver quem é melhor ou pior, tendo a ideia de que quem produz mais é necessário e quem produz menos é desnecessário. Para entender melhor o contexto da autossuficiência, qual o motivo de uma empresa contratar um gerente? A resposta é simples, todo ser humano é extremamente limitado na sua capacidade e só a amplia quando se une a outros seres humanos.

– Autoconhecimento:

É o caminho para a felicidade. Se você conhece a si mesmo, acaba tendo a ampliação da percepção a respeito do que te impacta. Como é que você vai sair do automático e fazer suas escolhas e não ficar respondendo aos estímulos do ambiente caso não tenha clareza de quem você é? Quando nascemos, nós aprendemos todos os comportamentos. Como você se desenvolve e aprende os comportamentos que são mais úteis se você não aumentar o conhecimento a respeito de si? Só assim é possível aumentar a percepção de como o mundo te impacta e como você impacta o mundo.

– Relacionamento:

Existem algumas funções complexas cognitivas que a gente só desenvolve por meio da relação com outras pessoas, por meio dos estímulos, aprendizado direcionado e o aprendizado das relações interpessoais. Esse é o desenvolvimento básico para a sobrevivência em grupo. Depois que a gente adquire autonomia, capacidade de aprender a aprender, nós interdependermos dos outros para conseguirmos atingir nossos objetivos.


Artigos relacionados

O que é Coaching Logoterapêutico? Você já ouviu falar em Coaching Logoterapêutico? Trata-se de uma nova abordagem que tem como ponto de partida a Logoterapia, sobre a qual a gente já falou um pouco nesse outro artigo. Mas só pra lembrar... A Logoterapia é uma ciência do ramo da psicologia que...
Como descobrir sentido positivo no trabalho? Durante o I Simpósio Luso-Brasileiro de Psicologia Positiva, realizado entre os dias 1 e 3 de março em Lisboa - Portugal, a coordenadora do MBA Executivo em Desenvolvimento Humano e Psicologia Positiva do IPOG, Poliana Landin, falou sobre Liderança Positiva: c...
Filme aborda história de superação de um homem para vencer no ringue e na vida Vencer ou vencer, essa é a única regra de um lutador que tem sua vida totalmente mudada após ser derrotado. Com roteiro e direção de uma das pioneiras do cinema independente no Brasil, a atriz Luma Perucci, o longa-metragem "A Força de Um Lutador" começa a ser...

Sobre Dorothy Irigaray

Psicóloga organizacional, especialista em educação, pós-graduada em Dinâmica de Grupo, pós-graduanda no MBA Liderança Executiva e Desenvolvimento Organizacional pela Franklin Covey/IPOG, certificada em Introdução às Psicoterapias Cognitivas pela Universidade de Flores (Argentina) em curso credenciado pelo Instituto Albert Ellis (EUA), com Formação em Terapia Cognitiva com Ferramentas de Coaching pela Mosaico/Metacognitiva(RN) Consultora empresarial em gestão de pessoas, coordenadora e professora de pós-graduação do IPOG Coach Sênior qualificada pelo ICI (Integrated Coaching Institute), Especialista em Neurocoaching pelo Neuroleadership Group/Fellipelli, ambos cursos credenciados pela ICF (International Coaching Federation). Qualificada nos instrumentos MBTI, MBTI STEP II e Eqi 2.0 pela Fellipelli Instrumentos Diagnósticos. Qualificada em Positive Psychology pela University of North Carolina at Chapel Hill/COURSERA(EUA). Co-idealizadora e co-facilitadora do Program de Qualificação em Coaching da FATESG/SENIAGO. Co-coordenadora do Grupo de Coaches Makers. Experiência de mais de 20 anos em desenvolvimento de pessoas.

Comentários